9 de abril de 2021

SOLIDARIEDADE LIDE CEARÁ

Emília Buarque convoca empresas e pessoas a abraçarem o “Imposto do Bem”

A presidente do Lide Ceará, Emília Buarque, comandou nesta sexta-feira (9) a Live Lide para lançar o projeto “Imposto do Bem – Os desafios de fazer a diferença no Brasil”. Que contou com a participação de diversos empresários cearenses e também de outros estados brasileiros.

Max Perlingeiro e Emília Buarque participaram do evento virtual                      Foto: Portal IN

Os percentuais doados pelos contribuintes – pessoas físicas e jurídicas – são destinados a projetos sociais que atuam com crianças, adolescentes e idosos, que realizam ações nas áreas de educação, saúde, esportes, cultura, oferecendo melhor qualidade de vida aos beneficiado. E a pessoa que faz a destinação, pode escolher para qual entidade está repassando os valores.

O ex-ministro Luiz Fernando Furlan e chairman do Lide Global disse que foi despertado para a questão do Imposto do Bem, pelo Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (Funcad). Então, passou a fazer a destinação de 6% do seu imposto de renda, sempre no mês dezembro, pois se deixar para fazer isso na época da declaração anual, esse percentual cai pela metade.

Os valores não aproveitados pelos contribuintes são superiores a R$ 10 bilhões, ou seja, dinheiro que poderia ser utilizado no seu município ou estado, mas que muita gente não está atento a isso. “Então, quem já faz isso, deve externalizar para seus parentes e amigos, a fim de que todos possam fazer também”, explicou.

O medalhista olímpico e campeão mundial de Vela, Lars Grael e presidente do Lide Esporte, e atuou na linha de frente para implementar a lei de incentivo ao esporte, que ainda tem sido mal aproveitada em todo o País, deixando de dar um impulso a mais para os desportistas brasileiros.

Cláudio Carvalho, sócio-fundador da AW Realty e presidente do Lide Solidariedade, destacou que sua principal função é conectar as pessoas que tem condições de ajudar às pessoas que possuem projetos sociais significativos, pois a filantropia mudou muito os patamares nos últimos tempos.

“As famílias e empresas brasileiras doam pouco. É preciso retirar os gessos, e provocar os outros a realizarem filantropia também. Pois existem grandes projetos que realizam um trabalho fantástico, que nenhum governo jamais realizou em nosso País”, salientou Carvalho.

Já o empresário Max Perlingeiro ressaltou que as pessoas não devem ter vergonha por terem dinheiro, mas devem saber como aplicá-lo de modo correto e compartilhar esses recursos com quem mais necessita. E ressaltou que o Natal do Bem é uma ação que conta com uma fila de artistas querendo fazer doações. “Além de fazer a nossa parte, temos certeza que esses recursos arrecadados vão para aqueles que mais precisam”, afirmou.

Dado Montenegro foi um dos fundadores do Instituto Povo do Mar

O administrador de empresas e representante do terceiro setor, Dado Montenegro, afirmou que a campanha do Imposto do Bem é muito interessante, pois todo mundo ganha. E que o importante na vida das pessoas é compartilhar as oportunidades que possui, com o próximo.

“O mais importante é que as empresas ou pessoas físicas consultem o seu contador para ver se a totalidade do percentual de imposto de renda que pretende destinar a alguma instituição, está sendo efetivamente aproveitado”, ressaltou Montenegro.

“Vale um chamado para os contadores do bem, para entrar nessa corrente positiva, facilitando para as empresas e as pessoas, no sentido de destinarem esses recursos. Qualquer pessoa ou empresa pode enviar um e-mail para lide@lideceara.com.br, para que possamos tirar dúvidas e dar uma orientação correta”, completou Emília Buarque.

Mais notícias

Ver tudo de Sem categoria