15 de fevereiro de 2021

Mexida

Mercedes-benz híbridas deverão ganhar mais espaço em versões da marca

Jota Pompílio, editor

 

Seguindo a cartilha do politicamente correto, a fabricante alemã premium vai começar a deixar seus motores grandes a combustão de escanteio e dar prioridade aos mais eficientes, de quatro cilindros, que funcionam com ajuda com sistema híbrido, de acordo com o site da  norte-americano da Car and Driver.

Mercedes

 

O primeiro passo nessa direção será dado na linha dos esportivos C43 e C63 AMG, ainda conforme a publicação americana. A apresentação oficial da dupla da AMG com os novos conjuntos mecânicos deverá acontecer no fim deste mês. Tudo indica que tanto o C43 quanto o C63 AMG passarão a ser fabricados sobre a plataforma MLA, vinda do luxuoso Classe S. Além disso, ambos ganharão em torno de 60 mm de comprimento.

Os dois esportivos da AMG também estarão disponíveis com tração traseira ou integral, funcionando com câmbio automático de 9 marchas. Serão adotadas algumas opções de motores de quatro cilindros, todos sobrealimentados, capazes de gerar até 557 cv e nada desprezíveis 81,6 kgfm de torque.

Mercedes Benz Classe C 2019 1539185002547 V2 1920x1164

Mercedes Benz Classe C 

Classe C, o mais vendido

Outra boa novidade é que versões da Classe C poderão vir com novas baterias que garantem autonomia de cerca de 100 km apenas no modo elétrico.

No interior, um dos destaques na Classe C ficará por conta da grande tela central sensível ao toque que terá uma série de funções além de permitir o controle do sistema multimídia. A ideia será dissiminar a tendência de acabar com os botões físicos em toda a linha da Mercedes .

Mais notícias

Ver tudo de IN Road