DOBRAR O PIB CEARENSE

Ricardo Cavalcante apresenta principais demandas do Hub de Hidrogênio Verde ao secretário do Ministério da Economia

Por Marcelo - Em 4 de agosto de 2021

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará, Ricardo Cavalcante, apresentou o projeto do Hub do Hidrogênio Verde a Gustavo Ene, secretário do Desenvolvimento, Indústria, Comércio, Serviços e Inovação do Ministério da Economia, durante o evento, que aconteceu na modalidade híbrida.

Foi discutida a abrangência do Hub de H2V, que poderá dobrar o PIB do Estado em cinco anos , além de questões relativas às legislações e regulamentações do projeto. Participaram também do encontro Edson Silveira Sobrinho, subsecretário de Regulação e Mercado do Ministério da Economia; o 1° vice-presidente da FIEC, Carlos Prado; Luís Carlos Gadelha, presidente do Sindienergia; Jurandir Picanço, consultor do Núcleo de Energia da FIEC e presidente da Câmara Setorial de Energias Renováveis do Ceará; e o gerente do Observatório da Indústria, Guilherme Muchale.

Ricardo Cavalcante e diretoria da FIEC explicaram a Gustavo Ene o futuro Hub de Hidrogênio Verde                    Foto: Divulgação

“Nosso principal papel é mudar a sociedade e construir um País melhor para todos. Estamos definindo essa temática na esfera federal para que ela seja ampliada com outros órgãos e ministérios, como o de Minas e Energia, BNDES, Receita, entre outros, objetivando que nossos movimentos em relação à regulamentação do H2V não aconteçam de forma isolada. Estamos alinhados com a FIEC, que pode contar 100% com o Ministério da Economia e demais ministérios”, disse Gustavo Ene.

Ricardo Cavalcante aproveitou o momento para compartilhar dados e números do H2V, oportunidades do mercado mundial e o andamento dos projetos no solo cearense. O gestor ainda enfatizou a importância da reunião de hoje, com o objetivo de garantir a instalação do Hub de H2V e a sua regulamentação.

Gustavo Ene acompanhou a apresentação via internet, diretamente de Brasília

“Nossa preocupação é que todas as esferas de poder, sejam do âmbito municipal, estadual ou federal, entendam que o H2V é uma oportunidade única em nossa história e, por isso, precisamos de legislações que venham a contribuir com essa nova matriz energética. O Nordeste brasileiro tem tudo para ser a nova OPEP do Hidrogênio Verde. Para tal, precisamos estar de braços, mentes abertas e com as ações públicas necessárias para bem receber esses projetos”, declarou o presidente da FIEC.

Durante o encontro, Edson Sobrinho comentou que uma das atribuições do cargo o qual representa junto ao Ministério da Economia é a de regulamentação de mercados, indicando aprimoramentos nos marcos regulatórios dos diversos setores, e que é de interesse do Governo Federal saber como pode contribuir com a implementação dos projetos no Brasil.

O Hidrogênio Verde é obtido a partir de fontes renováveis, como as energias eólica e solar, sem a emissão de carbono, através da eletrólise da água, prática sustentável já adotada em vários países do mundo, e que possibilita a descarbonização do planeta. O Ceará é visto como uma das regiões mais promissoras para a sua produção, de acordo com relatório da Bloomberg de abril deste ano, e poderá aplicar a produção energética em diversas áreas.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business