19 de outubro de 2020

CDL DE FORTALEZA

Nível de inadimplência recua no Ceará, na passagem de agosto para setembro

O número de inadimplentes no Ceará caiu 2,53% na passagem de agosto para setembro. Na região Nordeste, na mesma base de comparação, a variação foi de ‐0,33%. E no Brasil, de -0,16%, revelando que o Estado teve um desempenho melhor no quesito redução do endividamento. Os dados fazem parte do levantamento do Departamento de Economia do SPC Brasil, um produto das Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDLs) de todo o País.

CDL Fortaleza comemora a redução dos índices no Ceará                               Foto: Divulgação

Para o superintendente da CDL de Fortaleza, Cristian Pinheiro, o indicador comparativo dos últimos dois meses mostra uma realidade mais próxima da situação pós-pandemia. “O recuo do indicador revela que mais pessoas estão conseguindo quitar débitos em atraso, que foram adquiridos, principalmente, com cartões de crédito, carnês, empréstimos pessoais e prestações de financiamentos de veículos e de imóveis. Além disso, o cenário reflete uma leve melhora em relação à renda das famílias”, afirmou.

Ainda segundo Cristian Pinheiro, esse quadro surpreendente é resultado direto do auxílio emergencial, dos programas de socorro às pequenas e microempresas, e também da taxa de juros no piso histórico, o que permitiu um forte movimento de renegociação de dívidas por parte dos bancos.

O SPC Brasil informa ainda que o número de dívidas em atraso de moradores do Ceará tem participação mais expressiva entre a faixa etária de 30 a 39 anos (25,81%). Além disso, em setembro de 2020, cada consumidor inadimplente no Estado tinha em média 1,806 dívidas em atraso.

Outro ponto de destaque do levantamento é de que o setor com participação mais expressiva do número de dívidas em setembro no Ceará foi o de bancos, com 52,04% do total de dívidas, seguido de longe pelo comércio (16,97%) e contas de águas e luz (14,51%).

Mais notícias

Ver tudo de IN Business