20 de fevereiro de 2020

SOLIDÁRIO A CID

José Sarto diz que momento atual exige ações baseadas na razão

José Sarto disse que a segurança dos cearenses não pode ser colocada em risco                    Foto: Divulgação

O presidente da Assembleia Legislativa, José Sarto, se mostrou solidário ao senador licenciado Cid Gomes e disse que o momento exige ações baseadas na razão, uma vez que a segurança dos cearenses não pode ser colocada em risco em nome de projetos políticos pessoais.

Ele destacou que Cid foi alvo dos disparos enquanto estava desarmado. “O senador foi atingido na clavícula e no pulmão. Temos vídeos mostrando que quem atirou o fez para matar. É lamentável o nível que a política cearense chegou nesses últimos dias e me solidarizo com a família Ferreira Gomes”, afirmou.

Sarto acredita que a população cearense está observando os fatos com muita atenção. “Somos nove milhões de cidadãos que precisam ter a garantia de ir e vir com segurança. Inclusive, o artigo 142 da Constituição Federal, veda greve militar. Logo não é greve, é motim”, asseverou.

Sessão na Assembleia Legislativa debateu a situação em Sobral

Disse que a Assembleia sempre recebeu representantes ligados à segurança, além de ter promovido um amplo debate sobre a questão salarial, com todas as partes envolvidas. “Foi pactuado um acordo mútuo e, inclusive, segmentos da Polícia se expressaram através de suas redes sociais a favor do acordo. Pouco tempo depois, voltaram atrás”, disse.

Para finalizar, lembrou que na Mensagem enviada ao Parlamento pelo Governo do Ceará, foi oferecido meio bilhão de reais de incremento à categoria, em comparação com a proposta inicial.Compreendo as inquietações, mas não é justo que o povo pague por isso. Agentes públicos armados têm a obrigação de dar segurança e grande parte da Polícia cumpre esse dever. Lamento que uma minoria esteja incitando motim, às escuras, mascarados”, completou José Sarto.

Mais notícias

Ver tudo de Negócios