30 de abril de 2021

ALTA PERFORMANCE

Grupo Marquise registra receita bruta de R$ 1,231 bilhão em 2020 e expectativa de negócios para este ano é excelente

O Grupo Marquise apresentou o balanço de demonstrações contábeis referentes a 2020. Apesar do ano atípico, o conglomerado cearense se manteve em um patamar confortável, com receita bruta global de R$ 1,231 bilhão. Além disso, acrescentou seu patrimônio com investimentos feitos na área ambiental, com a aquisição da CRT Bahia, localizada em São Sebastião do Passé, composta por uma central de tratamento e disposição de resíduos sólidos domiciliares e industriais.

Erivaldo Arrais e José Carlos estão à frente do Grupo Marquise                            Foto: Portal IN

Também realizou a aquisição de terrenos urbanos em São Paulo, capital, para expansão da atividade imobiliária naquele importante estado da região Sudeste. O ano de passado foi desafiador para praticamente todas as atividades econômicas no Brasil e no mundo, mas o Grupo Marquise, por ser um grupo plural, com negócios nos mais variados segmentos, conseguiu atravessar 2020 com resultados satisfatórios.

“Em cada área de negócio, inclusive nas áreas corporativas, foram tomadas ações que priorizaram a saúde de nossos colaboradores, fornecedores e clientes. Instauramos um comitê de crise para ter celeridade na tomada de decisões e atravessarmos esse período com serenidade. Apesar de 46 anos de existência, a empresa está cada vez mais jovem, criativa e com vontade de evoluir sempre”, explica José Carlos Pontes, acionista do Grupo Marquise.

E em 2021, o Grupo já começa com uma excelente notícia: é a grande vencedora do consórcio para construção e operação da usina de dessalinização de água marinha que será construída na Praia do Futuro, em Fortaleza. O Consórcio Águas de Fortaleza, liderado pela Marquise Infraestrutura, será o responsável pela implantação do empreendimento, com investimento de R$ 3,2 bilhões pelo prazo de 30 anos e aporte inicial de R$ 526 milhões.

“As expectativas do Grupo Marquise são as melhores. Já contamos com equipe técnica trabalhando e estamos satisfeitos em participar de um projeto dessa grandeza e relevância, tanto no sentido do pioneirismo, visto que será a maior planta do Brasil em capacidade de produção de água dessalinizada, como em relação à questão social assegurar água para pessoas, promovendo saúde e dignidade em uma região que sofre historicamente com desequilíbrio hídrico. Vamos empregar toda nossa capacidade técnica e operacional, além de tecnologias inovadoras para o sucesso do programa”, comemora Pontes, que junto com seu sócio, Erivaldo Arrais, comanda os diversos empreendimentos do grupo em todo o País.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business