18 de agosto de 2020

Solidez & Qualidade

Grupo Haisa segue crescimento orgânico de 10% na produção de ovos e frangos

A avicultura cearense se destaca como uma das maiores da região Nordeste com a produção de frangos abastecendo a cerca de 50% do mercado e a de ovos chegando a 90% de tudo o que é consumido em território cearense. São cerca de seis mil toneladas de carne por semana e seis milhões de ovos por dia.

José Quintão diz que custo dos insumos deve ser reduzido                    Foto: Portal IN News

De acordo com o empresário José Quintão, presidente do Grupo Haisa, sua empresa comercializa 100 mil frangos vivos por semana, que são vendidos para pequenos e médios abatedouros situados na Região Metropolitana de Fortaleza. Já a produção de ovos chega a 500 mil unidades por dia, ou quase 10% da produção cearense.

Ele ressalta que todo esse volume produzido abastece apenas ao mercado interno cearense. “Atendemos a pequenos supermercados da RMF, bem como os litorais Leste e Oeste – desde Aracati até Camocim, no que diz respeito ao fornecimento de ovos. Já na questão dos frangos, nossos principais clientes estão sediados na RMF”, disse.

Explicou, também, que a empresa está num processo de expansão orgânica, com crescimento na faixa de 10% ao ano. “Nosso mercado interno também está crescendo, portanto, acredito que a princípio o Ceará absorveria essa expansão da produção, mas no futuro pretendemos atingir estados próximos como Rio Grande do Norte, Piauí e Maranhão”, salientou.

E completou afirmando que a produção de frangos e ovos tem um custo grande da matéria-prima para a ração, que vem toda de fora e por meio rodoviário. Então a partir do momento que houver uma logística mais adequada, com a utilização de cabotagem ou modal ferroviário, poderia reduzir significativamente o custo dos insumos.

“Dessa forma poderíamos aumentar significativamente a nossa produção, inclusive para viabilizar a exportação. Temos aqui no Ceará um clima bastante adequado para a avicultura, mas é necessário uma redução nos custos dos insumos que utilizamos diariamente”, completou José Quintão.

Carcinicultura

O Grupo Haisa também atua com a produção e comercialização de camarões, com 50% ficando aqui no Ceará e os outros 50% são comercializados com revendedores de outros Estados, principalmente São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Maranhão.

“Hoje estamos produzindo cerca de 400 toneladas por ano, que estão sendo absorvidas pelo mercado brasileiro. Já exportamos camarões no passado, há cerca de 15 anos, mas atualmente toda a nossa produção está sendo comercializada dentro do Brasil, que está com um preço mais favorável no momento”, ressaltou José Quintão.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business