12 de setembro de 2019

Fecomércio defende retirada da CPMF da reforma tributária

A Fecomércio Ceará e os sindicatos que a compõem apoiam a decisão do presidente da República, Jair Bolsonaro, de deixar de fora do projeto de reforma tributária a recriação de um tributo sobre as transações financeiras nos moldes da extinta CPMF.

A entidade, como uma instituição que busca o desenvolvimento e sustentabilidade para o setor, vê a proposta como um retrocesso na política econômica brasileira, capaz de gerar uma inflação nos custos dos produtos em todo o Brasil e impactar a cadeia produtiva do consumo.

É pensamento unânime da diretoria da Fecomércio-CE que a proposta apresentada pelo economista Marcos Cintra, demitido do comando da Receita Federal, só remodela uma experiência que não funcionou e traz consequências negativas para a população e para o comércio.

Para a Fecomércio Ceará, uma proposta de reforma tributária deve levar em consideração a diminuição da carga tributária, com o objetivo de gerar mais emprego e renda para os brasileiros, em todo o território nacional.

“Uma nova proposta de reforma tributária deve atacar a grande injustiça social que hoje acontece no Brasil, onde o grande paga o mesmo valor do pequeno. Uma nova taxa só afastaria a população cada vez mais do consumo e da recuperação da economia”, afirma Cid Alves.

Comércio poderá ser impactado caso a nova CPMF seja inserida na reforma tributária

Foto: Divulgação

Deixe seu comentário

Siga o @BaladaIN no Instagram