ENERGIA EÓLICA OFFSHORE

EDP e Engie pretendem construir usinas no Hub de Hidrogênio Verde do Ceará

Por Marcelo - Em 28 de julho de 2021

Dois grandes players globais do setor de energia deverão assinar, nos próximos dias, memorandos de entendimento com o Governo do Ceará para montarem usinas no Hub de Hidrogênio Verde que será implantado no Complexo do Pecém: as companhias portuguesa EDP e a francesa Engie.

Eneria eólica offshore deverá ser produzida no litoral cearense                         Foto: Divulgação

As duas empresas fazem parte da joint venture Ocean Winds – sediada na Espanha e que atua no segmento de produção de energia eólica offshore (dentro do mar). A OW Offshore, inclusive, já realizando o licenciamento de cinco parques eólicos desse tipo no Brasil, nos estados do Piauí, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, com potência total de 15 gigawatts, quando entrarem em operação, mas não participa das tratativas com o Governo do Ceará.

O objetivo dos novos empreendimentos, cujo valor total dos investimentos e capacidade instalada não foram revelados, seria fornecer energia elétrica limpa para o processo de eletrólise de água, que será necessária para a produção do H2V em solo cearense, numa área dentro da ZPE Ceará.

Outras grandes empresas internacionais como as australianas Enegix Energy e Fortescue, a francesa Qair e o Grupo Linde, leia-se White Martins – já estão com seus memorandos assinados, para instalarem unidades de produção de H2V e um parque eólico, no Ceará, nos próximos anos.

Assim como a chinesa Mingyang Smart Energy, que também pretende construir um parque eólico offshore e uma fábrica de equipamentos para a geração de energia eólica (turbinas) na região do Complexo do Pecém, com um investimento inicial de R$ 400 milhões.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business