SEGUNDO DO NORDESTE

Dia das Mães deve injetar R$ 370 mi na economia cearense, diz estudo da CNC

Por Marcelo - Em 5 de maio de 2021

O Dia das Mães é a segunda data comemorativa mais importante para o comércio e, este ano, não poderia ser diferente. Tanto que, de acordo com estimativas da CNC, deverá movimentar cerca de R$ 370 milhões em vendas no Ceará, representando o segundo melhor resultado do Nordeste, atrás apenas da Bahia.

E essa expectativa é ainda mais importante por causa dos impactos gerados pela pandemia do novo coronavírus, sendo positiva para a retomada econômica. Segundo levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC), integrante do Sistema Fecomércio-CE, a maioria dos consumidores (51,7%) irá às compras.

Dia das Mães será um alívio para os impactos negativos da pandemia           Foto: Divulgação

Dando prioridade aos artigos de vestuário, 31,1% dos consumidores pretendem gastar entre R$ 51,00 e R$ 100,00 com presentes ou algum tipo de confraternização. O maior desembolso mencionado supera os R$ 400,00 – para 19,5%. Ainda segundo a pesquisa, este ano o ticket médio de gastos das pessoas será de R$ 246,00.

“Observamos que se olharmos a cesta de produtos, não contempla o comércio como um todo. A restrição imposta nesta semana anterior do Dia das Mães, prejudica o desempenho das lojas. E o dinheiro circulante este ano está mais escasso, principalmente devido ao auxílio emergencial, que está menor. Quando o horário de atendimento é reduzido, as pessoas que buscam produtos ou serviços, a possibilidade de gerar uma concentração é maior. E seria bom o Governo rever esta decisão. Se tivéssemos uma amplitude de horário, com responsabilidade, poderíamos até diminuir a aglomeração no transporte coletivo. Acredito que o governador, diante do que apresentamos e o que os lojistas estão fazendo, junto com sua equipe, terá um maior bom senso em flexibilizar a atividade econômica”, destacou o presidente da Fecomércio-CE, Maurício Filizola.

Preferências

O Dia das Mães sempre abre um leque de possibilidade de compras em vários segmentos. Mas, tradicionalmente, o ramo de vestuário e acessórios em Fortaleza responde pela maior fatia das vendas. Neste ano, ficou com 38,5% da preferência. Em seguida, aparecem perfumaria e cosméticos (30%). Celulares, smartphones e tablets figuram com 8,1% da pretensão de compra.

A pesquisa destaca ainda que, embora a maioria, 52,3%, tenha informado a pretensão de adquirir um presente, há uma boa parcela de consumidores que pretendem comprar dois (27,4%), três (10,1%), quatro (2,7%) e até cinco ou mais (7,5%). Além das compras, a maioria dos fortalezenses, 60,4%, afirma que pretende comemorar a data de alguma forma. Mas, devido à recomendação atual de ficar em casa, o Dia das Mães de 2021 deverá ser nas próprias casas ou de parentes para 93,2% dos fortalezenses.

Ainda de acordo com o IPDC, os shopping centers lideram a intenção de compras, com 58,3%. Em seguida, aparecem as lojas de ruas, bairros e galerias, 22%; internet, que já demonstra força, com 19,3%; ganhando inclusive dos supermercados e hipermercados, apontados por 13,3%. O comércio informal surge com apenas 3,1% das opções.

Como forma de pagamento, 67,9% dos entrevistados responderam que vão optar pelo cartão de crédito. A maioria, 27%, prefere pagar à vista no débito ou com dinheiro (17%). O crediário/carnê resiste com 0,7% e 0,4% ainda utilizarão o cheque pré-datado. Para a maioria, o melhor dia de comprar o presente das mães não é definido (47,4%), mas o sábado é o mais citado nas escolhas (23,1%).

Mais notícias

Ver tudo de IN Business