TRANSPORTE E LOGÍSTICA

Clóvis Bezerra comemora baixa adesão a movimento paredista de caminhoneiros

Por Marcelo - Em 1 de fevereiro de 2021

O presidente do Setcarce e da Fetranslog Nordeste, empresário Clóvis Bezerra, celebrou nesta segunda-feira (1) a falta de adesão a um movimento de paralisação do transporte rodoviário de cargas no Brasil, que vinha sendo articulado há alguns dias por parte de uma minoria de caminhoneiros autônomos.

Clóvis Bezerra afirmou que o movimento tem cunho político                     Foto: Portal IN News

“Desde o começo dos rumores sobre essa paralisação eu não acreditava que teria uma grande adesão por parte dos motoristas profissionais. Até pelas pessoas envolvidas no movimento, que não têm grande credibilidade ou representatividade no setor, além da participação de CUT, MST e outras entidades que nada têm a ver com o setor”, disse.

Na sua opinião, trata-se de uma ação de cunho político, com o objetivo de tentar desestabilizar o Governo Federal. Ele lembrou que a data marcada para o movimento foi, exatamente, o dia das eleições das mesas diretoras do Senado Federal e da Câmara dos Deputados. “É muita coincidência. E o nosso ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, tem realizado um trabalho fantástico”, lembrou.

Além disso, explicou que os motoristas estão vivendo um bom momento no Brasil, pois a safra está sendo excelente nos principais polos produtores de grãos no País e as fábricas estão mantendo um bom volume de fretes, para entregar as mercadorias produzidas.

“Aliás, não estão conseguindo atender à demanda de cargas em todo o território nacional. Então o frete está com valores até acima de tabelas que aconteceram no passado e todo mundo está conseguindo trabalhar bem. Essa questão do frete mínimo, ao meu ver, foi um erro e totalmente desnecessário”, ressaltou o dirigente.

O empresário disse que o setor de transporte e logística pode comemorar a baixa adesão a esta tentativa de greve, que no seu entendimento não vai atingir um número muito grande de caminhoneiros no País, a não ser alguns casos isolados, mas que não garantirão força para paralisar o transporte rodoviário de cargas no País.

E destacou, ainda, que as transportadoras estão preparadas para atender à demanda, com suas frotas renovadas recentemente e prontas para manter o fluxo de cargas. “Se as autoridades garantirem o ir e vir de nossos veículos, conseguiremos garantir o transporte de mercadorias em todo o território nacional”, completou Clóvis Bezerra.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business