21 de maio de 2020

LIDE LIVE CEARÁ

César Ribeiro afirma que Ceará tem boas oportunidades na retomada econômica

O secretário especial para Assuntos Internacionais do Governo do Ceará, César Ribeiro, disse durante sua participação no LIDE Live Ceará, ser preciso observar o cenário internacional, que está incerto neste momento, e traçar estratégias para o novo normal que está por vir, pois mundo o está passando não por uma recessão, mas por uma depressão. Entretanto, novas oportunidades devem surgir nos próximos anos, com a retomada da economia. E o Ceará tem alguns diferenciais para atrair investidores, como equilíbrio fiscal, ter em Fortaleza o segundo ponto de conexão de cabos de fibra óptica, boa infraestrutura logística e um cinturão digital em operação.

César Ribeiro disse que o Ceará poderá sair fortalecido                         Foto: Portal IN News

“O mundo se viu numa situação de centralização muito grande com a China, num processo de dependência de materiais e insumos daquele país. Então, haverá um processo de reindustrialização de diversos países. Grandes empresas já estão repensando seus processos de industrialização e comercialização. Diversos processos serão remodelados a partir desse momento”, afirmou.

Disse não se saber, ainda, como as relações comerciais irão se desenvolver entre Estados Unidos e China. Ainda mais com o enfraquecimento da OMC. E deverá haver um protecionismo muito maior, que pode desencadear alguns desequilíbrios, para proteger suas empresas. “Precisamos observar essas tendências, para podermos tirar oportunidades. O Brasil deverá estudar as suas parcerias e observar bem a questão do agronegócio, que tem apresentado resultados bastante positivos nos últimos anos, a fim de aproveitar todas as oportunidades que deverão aparecer no pós-pandemia”, ressaltou.

E que o Estado poderá ser favorecido. “O Ceará largou na frente, tem feito o seu dever de casa, referência no Brasil na questão da educação básica, o melhor equilíbrio fiscal, o que dá segurança para o investidor obter bons resultados aqui. No nível de transparência o governador Camilo Santana tem investido forte e o Estado é referência no País. E pode ser beneficiado, ainda por outros fatores nesta retomada de crescimento global”, asseverou César Ribeiro.

Parceria comercial

Conduzido pela presidente do LIDE Ceará, Emília Buarque, o evento virtual contou também com a participação de José Ricardo dos Santos Luz Júnior, presidente do LIDE China, destacando a importância que a China tem em relação ao Brasil. A OMC avaliou que dentre os países do G20, o Brasil foi o único país que registrou, ao invés de uma retração significativa no seu comércio internacional, uma alta nas suas exportações, em especial para países asiáticos.

No primeiro quadrimestre deste ano o Brasil teve uma expansão de 31% no volume exportado para a China. Foram 55% nas exportações nas carnes de frango, 125% nas bovinas, e impressionantes 274% nas suínas, este ano, segundo o Mapa, com o objetivo de garantir a segurança alimentar chinesa. Aquele país, por sua vez, tem realizado fortes investimentos no Brasil – principalmente em infraestrutura e energias – da ordem de bilhões de dólares.

“A China já não utiliza mais papel moeda, mas sim um super aplicativo que permite realizar diversas operações no dia a dia. Ela tem sido líder no desenvolvimento de tecnologia e tem a política Made in China 2020-2025, que desenvolveu dez setores prioritários-chave para que 40% da produção desses setores ocorram dentro da China e, até 2025, isso chegue a 70%”, destacou José Ricardo.

Lide Live destacou a importância de novas oportunidades para o Brasil e o Ceará

Novo momento

O empresário Beto Studart espera que no próximo dia 1º de junho deve ser dado o start de um novo momento para o Ceará. “O mundo começa a entrar em movimento e deveremos dar um salto em tecnologia. Deve haver uma nova lógica no processo industrial em todo o planeta. E o Brasil tem uma possibilidade muito interessante, e junto com a China, poderemos nos oferecer como grandes produtores de proteína animal e vegetal, com facilidade nas exportações”, destacou.

O conselheiro do LIDE Ceará, Lauro Fiúza Júnior, destacou que a China precisa de muito alimento e o Brasil tem as maiores áreas agricultáveis do mundo, água, sol, portanto pode se qualificar como o principal celeiro de produção animal e de grãos do planeta, portanto, o agronegócio brasileiro tem tudo para decolar.

E aproveitar a guerra comercial entre Estados Unidos e China. “O Brasil tem uma oportunidade de ouro, agora, mas é preciso ter paz, trabalho e inteligência. A China pode investir em novas fábricas aqui, para poder exportar para os Estados Unidos. O mundo nunca cresceu tanto, quanto nos 30 anos após a Segunda Guerra Mundial. Estamos na Terceira Guerra e temos de sair na frente”, salientou Lauro Fiúza.

Na Europa

O presidente do LIDE Itália, Juan Barberis, disse que devem haver várias transformações, após passada a pandemia do coronavírus, no Brasil e no mundo. Ele destacou que, na Itália, ocorreram mudanças no dia a dia das empresas, como a utilização cada vez maior de tecnologias para reuniões virtuais, e pensar mais no bem-estar dos colaboradores, além de alterações nos processos produtivos.

“Com relação à Itália, os impactos maiores têm sido nas pequenas empresas, como bares e restaurantes, que estão aguardando a ajuda governamental. A maior lição deve ser a diversificação das ações. Aqui, estamos vendo que a economia brasileira tem reservas fortes e condições de retomar as atividades com maior facilidade, do que a Argentina, por exemplo. E o e-commerce deve ser de grande importância nesse processo de retomada”, afirmou Juan Barberis.

Mais notícias

Ver tudo de Negócios