Negócios
7 de novembro de 2019

Fluxo atrai operações

Ceará se consolida como Hub portuário devido ao Pecém

Navio Ressurgence realizou operação de logística integrada     Foto: Divulgação

O Ceará vem se consolidando com um Hub marítimo, devido ao Porto do Pecém. Tanto que nesta quinta-feira (7), foi finalizada a operação complexa de descarregamento de carvão mineral e carregamento de manganês utilizando um único navio.

Após descarregar 75 mil toneladas de carvão mineral oriundo da Austrália, no Píer 1, utilizadas na CSP, o navio Ressurgence foi transferido para o Terminal de Múltiplas Utilidades (Tmut), onde foi carregado com 77 mil toneladas de manganês extraído no Ceará.

“Essa operação tem um ganho significativo para as empresas envolvidas, pois reduz o tempo de espera e os custos de manobras dos navios para os armadores, além do custo no afretamento para os embarcadores. Uma vez que a embarcação já está posicionada no porto”, diz José Alcântara Neto, coordenador de Operações do Porto do Pecém.

De acordo com especialistas em logística, o ideal é um navio atracar e desatracar com toda a sua capacidade ocupada mas, geralmente, a embarcação descarrega em um porto e segue para outra instalação portuária, a fim de realizar um novo carregamento.

“O Porto do Pecém se coloca, hoje, como um atrativo pela disponibilidade na oferta de navios para a exportação de diversas cargas e pelo fluxo de importação de granéis sólidos. Maximizamos as forças e temos a integração do navio na ida e na volta, gerando uma logística completa”, ressalta Carlos Alberto Alves, gerente Comercial da Tecer Terminais.

Guindastes da Tecer são utilizados para múltiplas cargas no Pecém

Deixe seu comentário

Siga o @BaladaIN no Instagram