LIDE TALKS

Beto Studart fala das estratégias de sua trajetória empresarial

Por Marcelo - Em 20 de maio de 2021

Beto Studart falou de peito aberto no  Lide Talks desta quinta                          Foto: Divulgação

O presidente da BSPAR, Beto Studart, participou nesta quinta-feira (20) do evento digital “Lide Talks”, realizado pelo Lide Ceará. Conduzido pela presidente do Lide, Emília Buarque, o encontro ocorreu na sede da BSPAR, no BS Design. Beto traçou uma linha do tempo de sua trajetória como empresário, contando desde a experiência inicial de ainda como estagiário da Cemec, descobrir sua vocação para empreender.

Ele também abordou a simbiose que traçou a sua personalidade, que foi a convivência com jovens de famílias abastadas no período de estudante e o contato com pessoas humildes com quem conviveu no sítio que residiu em Messejana. O local abriga, atualmente, o Hospital Carlos Alberto Studart Gomes, gerido pelo pai de Beto à época, que era médico.

Emília Buarque conduziu a entrevista com o empresário no BS Design

Na conversa em tom informal com Emília Buarque, Beto Studart relatou como começou na Agripec, o processo de desenvolvimento de produtos que tornaram a empresa líder de mercado e a ousadia de expandir a atuação para não sucumbir em um mercado onde os riscos regionais eram muito grandes. BS fez também uma relação dos avanços da empresa durante os períodos econômicos, gestões políticas e suas peculiaridades.

Nesse sentido, lembrou que no período Sarney (1985-1990), a Agripec teve que conviver com o congelamento de preços, a inflação de 84%, a corrosão dos preços diária e a decretação da moratória. “Era um tempo no qual eu fazia conta no avião para ter preço competitivo”. Beto Studart ressaltou ainda, agora quanto ao governo Collor, o confisco financeiro e a crítica ao que o ex-presidente comparou os carros nacionais a carroças. Nessa linha, Beto citou a descoberta da importação pela Agripec como estratégia de mercado, pois isso permitiu ganhos em termos de qualidade e concorrência.

Um dos pontos abordados por sobre a Agripec foi a criação dos centros de distribuição pelo País, para se aproximar do mercado nacional. Essa ousadia fez com que ela chegasse a ser, em 2004, a melhor empresa de capital aberto do Brasil. Ele destacou a necessidade da compra do seu primeiro avião como uma “coisa de louco”, mas necessária naquele momento, para estar em vários lugares mostrando o seu produto. “Tinha dias que eu visitava três estados. E em avião de carreira isso não seria possível”.

Beto Studart lembrou do trabalho pela modernização da gestão na FIEC

No que diz respeito à venda da Agripec e o surgimento da BSPAR, Beto Studart aponta que foi um processo natural de quem tem no trabalho a sua força maior. O BS Design, por seu turno, foi uma espécie de coroamento até agora da trajetória da BSPAR. “Aqui tem tudo que sempre prezei em termos de conforto, sustentabilidade, estética e business”.

Beto Studart falou ainda de sua passagem pela FIEC, onde foi presidente de 2014 a 2019, citando entre outros feitos, a modernização da gestão, a aproximação institucional com o poder público, com a academia e o lançamento do Observatório da Indústria, como instrumento de inteligência para a competitividade.

Beto Studart conversou durante duas horas com Emília Buarque, com transmissão ao vivo direto de seu escritório

Mais notícias

Ver tudo de IN Business