11 de dezembro de 2019

DECISÃO DO COPOM

BC corta Selic para 4,5% ao ano e anima o presidente do Sinduscon

Construção civil deve ganhar impulso com novo corte dos juros                                                        Foto: Divulgação

O Banco Central realizou um novo corte na taxa básica de juros (Selic), fixando-a em 4,5% ao ano, na última reunião anual do seu Comitê de Política Monetária (Copom). A queda dos juros era esperada e deve dar maior fôlego para o mercado imobiliário, por exemplo.

André Montenegro afirmou que a notícia muito positiva para o setor

De acordo com o presidente do Sinduscon-CE, André Montenegro, essa decisão é extremamente positiva. “Com os juros baixando, teremos uma movimentação maior na economia como um todo, devendo chegar no nosso setor também. É uma notícia maravilhosa. A taxa de juros não está sendo baixada artificialmente e o que estamos observando é que isso vem ocorrendo devido às condições econômicas do Brasil, o que sinaliza para um crescimento sustentável”, disse.

No comunicado oficial, o BC foi exatamente neste ponto. “Dados da atividade econômica a partir do segundo trimestre indicam que o processo de recuperação da economia brasileira ganhou tração, em relação ao observado até o primeiro trimestre do ano. O cenário do Copom supõe que essa recuperação seguirá em ritmo gradual”.

Além disso, o comunicado do BC destaca, ainda, que: “as expectativas de inflação para 2019, 2020, 2021 e 2022 apuradas pela pesquisa Focus encontram-se em torno de 3,8%, 3,6%, 3,75% 3 3,5%, respectivamente”.

Para o empresário cearense, algumas medidas que o Governo Federal está tomando, na macroeconomia, principalmente a reforma da Previdência, sinalizam para isso. “Dão mais segurança para o setor produtivo e mostram que o Governo está no caminho certo cortando despesas, reduzindo as contas públicas”, asseverou André.

E ressalta que a recuperação da economia brasileira deverá ser sustentável. “A construção civil aguarda, com isso, novos cortes nas taxas de juros, a fim de que os brasileiros possam comprar sua casa própria e alavancar ainda mais a economia nacional, pois impacta em inúmeros setores”, completou André Montenegro.

Deixe seu comentário

Siga o @BaladaIN no Instagram