20 de fevereiro de 2020

COMPULSÓRIOS

BC anuncia medidas para injetar R$ 135 bilhões na economia

Banco Central quer impulsionar a economia            Foto: Divulgação

O Banco Central anunciou nesta quinta-feira (20) duas medidas para reduzir em R$ 135 bilhões os chamados depósitos compulsórios, que são valores que os bancos são obrigados a deixar em depósito no BC, por prazo determinado. Esse volume de recursos deve ser injetado na economia nacional, já a partir do próximo dia 16.

Uma delas é que a alíquota de recolhimento de compulsórios caiu de 31% para 25%, o que representa cerca de R$ 49 bilhões em dinheiro circulante, para impulsionar a retomada do desenvolvimento econômico, pois os bancos poderão oferecer linhas de crédito com juros menores.

A autoridade monetária nacional também promoveu uma elevação da parcela dos depósitos compulsórios do LCR (Liquidez de Curto Prazo), que deve gerar mais R$ 86 bilhões de retração no volume de recursos que os bancos deixariam em ativos líquidos de alta qualidade (High Quality Liquid Assets).

A crise financeira internacional de 2008 evidenciou que o risco de liquidez, notadamente nos sistemas financeiros das economias avançadas, não estava devidamente mitigado. Como aperfeiçoamento das regras prudenciais, foi introduzido o indicador de Liquidez de Curto Prazo (LCR), que passou a ser adotado no Brasil em outubro de 2015”, afirmou o BC, em nota.

Destacou, ainda, que tais ações estariam em consonância com as regras prudenciais recomendadas internacionalmente e “a manutenção da estabilidade financeira do Sistema Financeiro Nacional, apenas mitigando sobreposições entre os instrumentos. Não obstante a alteração e o constante acompanhamento dos efeitos da regulação na estabilidade e na eficiência do SFN para a sociedade, o BC reforça a necessidade de avançar na operacionalização das Linhas Financeiras de Liquidez para se alcançar níveis estruturalmente mais baixos de compulsórios”, completou a nota do BC.

Mais notícias

Ver tudo de Negócios