20 de março de 2020

ESTRATÉGIAS

Marcelo Álvaro buscará linhas de crédito para o setor e libera recursos do Fungetur

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio destacou que a semana foi difícil para o setor e merece medidas firmes, a fim de reverter muitos dos cenários negativos. Tanto que, nesta sexta-feira (20), junto com sua equipe, participará de reuniões com as diretorias dos principais bancos brasileiros, na busca por linhas de crédito especiais e adotou outras providências para atender à solicitação do trade.

Marcelo Álvaro anunciou medidas para socorrer o setor               Foto: Divulgação

“Encaminhei para o Palácio do Planalto e o Ministério da Economia nossa proposta de Medida Provisória que prevê a suspensão de contratos de trabalho para prestadores de serviços turísticos, incluindo transportadoras turísticas, bares, restaurantes, parque aquáticos, centros de eventos, dentre outros. Durante a pandemia, os contratos possam ser suspensos se a anuência prévia dos empregados, mas garantindo a eles o pagamento do seguro-desemprego”, explicou.

O segundo relacionado a linhas de crédito, uma pauta bem econômica, junto a vários bancos. “Terei reuniões com a Caixa, Banco do Brasil e Banco do Nordeste, onde cuidaremos de créditos para pequenos e médios empresários. E com o BNDES, que cuida de grandes grupos e grandes investidores. Dentro dos recursos do MTur, assinamos uma portaria determinando a imediata liberação dos R$ 380 milhões do Fungetur, com juros reduzidos de 7% para 5% ao ano, aumentando a carência de seis meses para um ano”, ressaltou.

E o terceiro das relações entre consumidores e empresas, para evitar prejuízos para ambas as partes. Voltado a produtores de shows e espetáculos, bem como empresas de turismo, possam assegurar o não-reembolso de reservas ou ingressos.

“Desde que exista a garantia de que irão realizar os seus eventos, num prazo de até 12 meses. O consumidor ficaria com o crédito e as empresas sem a necessidade de devolução dos recursos, agora. Isso evitará muito, a quebra de empresas por falta de capital de giro e também o desemprego”, disse.

“Vou falar com o ministro Sérgio Moro para ver essas questões e, por isso, solicito que qualquer empresa que tenha litígio com consumidores, se escreva no portal: www.consumidor.gov.br, do Ministério da Justiça, uma espécie de Câmara de Conciliação Virtual, onde vários dos problemas poderão ser solucionados. Precisamos, mais do que nunca, de união de esforços. Fiquem com Deus”, completou Marcelo Álvaro.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business