8 de janeiro de 2021

Entre tapas e beijos

Grupo LVMH finaliza aquisição da Tiffany & Co.

Hk 中環 Central 畢打街 Pedder Street Night Des Voeux Road Landmark Shops Lv N Tiffany October 2018 Ssg 868x644

Em outubro de 2019, o grupo Louis Vuitton Moët Hennessy manifestou interesse em adquirir a igualmente luxuosa Tiffany & Co. A notícia impressionou, mas não surpreendeu. Afinal, o conglomerado de Bernard Arnault possui mais de 75 marcas, todas no mesmo padrão de excelência.

Porém, nesta quinta-feira (7), a maior aquisição da história do mercado de luxo foi concluída. A joalheria norte-americana foi comprada por USD 15,8 bilhões. Sem perder tempo, o LVMH anunciou uma sequência de mudanças no comando do conglomerado francês.

A primeira parte da dança das cadeiras é a saída do trio poderoso que está na Tiffany nos últimos três anos. São eles: o presidente-executivo Alessandro Bogliolo, o diretor artístico Reed Krakoff e a diretora-chefe Daniella Vitale.

O novo presidente-executivo passa a ser Anthony Ledru, nome antigo da casa. Ele chefiou as operações da joalheria na América do Norte entre 2013 e 2017, antes de assumir a direção comercial da Louis Vuitton. Agora, ele atuará em parceria com Alexandre Arnault, filho de Bernard.

Por fim, Michael Burke entra para o time. Considerado o conselheiro pessoal da família Arnault, ele deixa o posto de CEO da Louis Vuitton para ser o chairman da Tiffany & Co. no conselho de diretores.

Em meio a tantos anúncios e alterações, o mercado reagiu de forma positiva. As ações da LVMH encerraram o dia com uma valorização de 2,59%. Já no reluzente universo das joias, a expectativa é que o novo trio agregue para marca ares mais contemporâneos, com olhar mais digital e se afaste um pouco do estereótipo dos anéis de noivado e acessórios em prata.

Mais notícias

Ver tudo de Lifestyle