ENFRENTAMENTO AO CORONAVÍRUS

Tasso pergunta a Mandetta se ele alertou Bolsonaro sobre as consequências que a pandemia de Covid poderia trazer ao País

Por Marcelo - Em 4 de maio de 2021

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), foi o terceiro parlamentar a realizar perguntas para o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, nesta terça-feira (4), durante a CPI da Pandemia instalada no Senado Federal, para apurar possíveis omissões do Governo Federal, bem como atos indevidos de estados e municípios.

Ele quis saber se Mandetta teria deixado claro ao presidente Jair Bolsonaro que, caso ele não seguisse as orientações que estavam sendo adotadas por outros países no enfrentamento à primeira onda do coronavírus, quais seria as consequências a serem enfrentadas pelo Brasil.

Tasso Jereissati formulou uma série de perguntas a Mandetta                           Foto: Divulgação

De maneira remota, o parlamentar cearense questionou se Bolsonaro tinha consciência que não adotando as posições científicas aceitas mundialmente, as consequências poderiam atingir proporções grandiosas, levando à morte de milhares de brasileiros. E se Mandetta o havia alertado com relação a isso.

“Alertei sistematicamente, inclusive fazendo as projeções. A projeção de 180 mil óbitos até 31 de dezembro, na verdade nós tivemos 191 mil. Nós erramos por 11 mil. Eu dei por estado e por cidade”, afirmou o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta.

O ex-ministro Nelson Teich prestará depoimento à CPI da Pandemia nesta quarta-feira (5), a partir das 10 horas. A previsão era que ele falasse hoje aos integrantes da comissão, mas devido ao grande número de perguntas a Mandetta, houve a transferência para amanhã.

E o depoimento do também ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello foi adiado para o próximo dia 19, porque segundo o Comando do Exército Brasileiro informou, ele, que é general da ativa, está em quarentena, após ter contado com duas pessoas que testaram positivo para a Covid-19.

Mais notícias

Ver tudo de IN Connection