24 de abril de 2020

POLÍCIA FEDERAL

Presidentes da Assembleia e da CMFor querem a apuração de “interferências”

Os dois maiores representantes do Poder Legislativo cearense – os presidentes da Assembleia Legislativa e da CMFor, José Sarto e Antônio Henrique, respectivamente – também ressaltaram a importância de investigar as informações reveladas pelo ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, em seu comunicado de demissão, durante coletiva na manhã desta sexta-feira (24), em Brasília.

José Sarto e Antônio Henrique querem investigação                            Foto: Portal IN News

“As razões expostas por Sérgio Moro para seu pedido de demissão indicam um rosário de crimes de responsabilidade cometidos pelo presidente da República. São graves e devem ser apuradas as revelações do ex-ministro de interferência política do Palácio do Planalto na Polícia Federal, preocupação com inquéritos do Supremo Tribunal Federal e fraude no Diário Oficial”, disse Sarto.

O chefe do Legislativo estadual ainda levantou a possibilidade de cassação do mandato de Bolsonaro. “Presidentes foram cassados no Brasil por muito menos. As instituições públicas devem estar atentas e, mais do que nunca, se posicionar contra qualquer tentativa de amordaçar a democracia e a República brasileira”, completou José Sarto.

Já o presidente da CMFor usou suas redes sociais para destacar o pronunciamento de Sérgio Moro, no qual revelou que o presidente Jair Bolsonaro teria dito que preferia uma pessoa de seu contato próximo na direção-geral da Polícia Federal, alguém para quem pudesse telefonar a qualquer momento.

“São graves as denúncias apresentadas por Sérgio Moro ao pedir demissão do cargo de ministro da Justiça. Elas só reforçam a necessidade de fortalecimento da democracia e de suas instituições”, asseverou, por sua vez, Antônio Henrique.

Mais notícias

Ver tudo de IN Connection