13 de janeiro de 2021

COMBATE À COVID-19

Pazuello reafirma que vacinação inicia este mês e sábado chegam dois milhões de doses do imunizante de Oxford

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, reafirmou nesta quarta-feira (13), em Manaus, que a vacinação da população brasileira terá início ainda neste mês de janeiro, pelos grupos prioritários. E revelou que um avião da Azul, contratado pelo Governo Federal, partirá amanhã, do Recife, com destino à Índia, para buscar dois milhões de doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca.

Essa quantidade de vacinas será trazida para a Fiocruz, que é parceira na América do Sul e irá produzir o imunizante no Brasil, nos próximos meses. A chegada de volta ao Rio de Janeiro está prevista para sábado. E até o próximo domingo, a Anvisa deve autorizar o uso emergencial desta vacina, bem como da CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac, e em breve pelo Instituto Butantan, que firmou uma parceria para fabricá-la em São Paulo.

A330 neo da Azul vai realizar um voo de 15 horas e 12 mil quilômetros para trazer as vacinas da Índia               Foto: Divulgação

Pazuello também lembrou sobre a importância de os brasileiros continuarem seguindo as recomendações das autoridades de saúde como forma de tentar conter o aumento do número de casos de Covid-19 no País. “Todo mundo deve estar focado em salvar vidas. Cada um no seu papel. Se o papel da pessoa é se prevenir para não ficar doente, tomar seus cuidados, manter o afastamento social, este é o papel dela”, disse.

“Temos que nos cuidar. Temos que seguir as orientações dos gestores. Não adianta lutar contra isto”, asseverou Pazuello, após afirmar que todos têm que colaborar para que o País consiga superar a doença. “O papel das equipes de mídia é manter a população a par do que está acontecendo para que ela fique calma e confie em quem está trabalhando. O dos empresários é manter suas estruturas funcionando para preservar os empregos, mas com a devida prevenção e cuidados médicos”.

O ministro ressaltou que as vacinas cuja segurança e eficácia forem comprovadas serão distribuídas para todo o País ao mesmo tempo, de acordo com a proporção populacional dos grupos considerados prioritários. E que a população deve manter os cuidados que já vêm sendo recomendados, como o uso de máscara, o distanciamento social e a atenção à higiene das mãos e de objetos, mesmo após o início da vacinação.

E completou afirmando que existe um prazo para que o imunizante seja absorvido e produza os resultados no organismo das pessoas. “Vamos vacinar em janeiro. A vacina induz à produção de anticorpos, mas isto não acontece no dia seguinte. A literatura [médica] fala em 30 a 60 dias. Não é tomar a vacina no dia 20 e no dia 22 estar na rua, fazendo festa”, alertou Eduardo Pazuello.

Mais notícias

Ver tudo de IN Connection