REFORMA POLÍTICA

Michel Temer defende regime político semiparlamentarista no LIDE Live Ceará

Por Marcelo - Em 16 de julho de 2020

O ex-presidente da República Michel Temer defendeu, durante sua apresentação no LIDE Live Ceará, que o sistema político brasileiro deveria ser alterado. “Acho que deveríamos partir para um sistema semiparlamentarista, com as funções administrativas recaindo sobre o Congresso Nacional, talvez para 2022. Não é possível a todo momento a gente ver movimentos solicitando o impeachment do presidente”, disse.

Michel Temer quer que as decisões para o País  sejam divididas                Foto: Divulgação

E que as eleições municipais deste ano devem ser resolvidas com tranquilidade e localmente, mas algo precisa ser feito para mudar este panorama atual. “É preciso fazer um enxugamento sem traumas do nosso sistema político, pois é impossível administrar um País com mais de 30 partidos”, afirmou.

Apesar de ter passado apenas dois anos e meio à frente da Presidência da República, após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, Temer teve uma participação bastante em decisões que envolvem as áreas trabalhista, industrial e econômica do Brasil. Sempre buscando o diálogo com os setores e o Congresso Nacional.

Disse não acreditar que a democracia esteja em risco no Brasil, pois existe uma certa normalidade institucional. “As coisas estão caminhando, mas ainda não estamos uma crise institucional no País, apesar da crise sanitária, econômica e política. Neste momento de pandemia, acho que a palavra é unidade”, destacou.

Lembrou que o Poder Executivo deve trabalhar em parceria com os poderes Legislativo e Judiciário, em prol da superação dos desafios que estão sendo impostos pela pandemia do novo coronavírus. “O poder não é do soberano (do presidente), mas sim do povo. E é bom lembrar que os poderes são independentes e harmoniosos, conforme está escrito na Constituição Federal. Então, é fundamental o cumprimento da Constituição”, disse.

Emília Buarque ouviu o ex-presidente Michel Temer e chegou a sorrir devido a algumas colocações feitas por ele

Emília Buarque iniciou o momento de perguntas, indagando sobre como foi a aprovação do teto dos gastos públicos no Brasil e o programa “Ponte para o futuro”, idealizado por ele, quando esteve à frente do Palácio do Planalto.

“Curiosamente, a aprovação do teto de gastos foi aprovado, por maioria, na madrugada de um feriado, o que foi inédito. É preciso acertar os ponteiros entre o Executivo e o Congresso para realizar a desburocratização tributária e a reforma administrativa, mas esta última não é simples de ser feita”, ressaltou Michel Temer.

Mais notícias

Ver tudo de IN Connection