COMBATE À COVID-19

Decreto de governamental não avança na flexibilização durante a próxima semana

Por Marcelo - Em 7 de maio de 2021

O governador Camilo Santana anunciou na noite desta sexta-feira (7), as decisões tomadas pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19 com relação ao decreto governamental que entrará em vigor na próxima segunda-feira em todo o Ceará. Isso levando em consideração a tendência de queda de casos e óbitos no Estado, bem como da pressão da rede hospitalar, apesar de ainda haver um nível elevado de circulação do vírus.

Camilo Santana e Dr. Cabeto mostraram os números da pandemia                   Foto: Divulgação

“Tendo em vista os números apresentados, mas com o aumento da positividade na testagem, e situação de aumento de transmissão na macrorregião do Sertão Central e Litoral Leste-Jaguaribe, não haverá flexibilização das atividades econômicas. E estamos recomendando que os prefeitos dos municípios inseridos nas regiões onde houve o aumento, analisem a situação adotem medidas mais restritivas se acharem necessárias”, explicou Camilo.

O secretário de Saúde do Ceará mostrou um gráfico com os números da pandemia desde o ano passado, destacando que sempre em momentos de maior aglomeração de pessoas, como Natal, Réveillon e Carnaval, principalmente, geraram picos da doença. “Se aproxima o Dia das Mães, mas é preciso evitar aglomerações e continuarmos tomando muito cuidado, pois ainda há uma taxa de positividade elevada na testagem”, explicou Dr. Cabeto.

Até o momento já foram 2.158.922 pessoas vacinadas em todo o Ceará, sendo 1.400.501 com a primeira dose e outras 758.421 com a segunda. Isso, de um total de 2.877.300 vacinas recebidas, sendo que parte delas estão sendo guardadas para a aplicação da segunda dose dos imunizantes. Dr. Cabeto disse que após a vacinação realizada, os níveis de contaminação nos grupos prioritários tiveram uma redução muito significativa. 

O chefe do Poder Executivo estadual lembrou que o Ceará já possui 3.809 leitos de enfermaria e outros 1.337 de UTI exclusivos para atender a pacientes vítimas da Covid-19, chegando a um total de 5.146 de leitos. “Lembrando que abrimos UTIs e todas as regiões do Estado, compramos três hospitais, para evitar que as pessoas tenham de se deslocar grandes distâncias para obter um tratamento adequado”, destacou Camilo Santana, ressaltando que a pandemia ainda não acabou e todos os cuidados precisam continuar sendo tomados.

Mais notícias

Ver tudo de IN Connection