14 de outubro de 2020

REPERCUSSÃO IMEDIATA

Camilo rechaça declaração de Capitão Wagner negando sua atuação em motim

O governador Camilo Santana rechaçou veementemente nesta quarta-feira (14), em suas redes sociais, as declarações do candidato do PROS à Prefeitura de Fortaleza, Capitão Wagner, de que não teve participação ativa no último motim de policiais militares no Ceará.

Camilo afirmou que a população precisa saber da verdade                           Foto: Divulgação

“Vi hoje no DN entrevista do Capitão Wagner dizendo não ter apoiado o motim deste ano, que aterrorizou o Ceará. Não é verdade. Tanto liderou o motim de 2011, como teve participação direta nesse último motim, que teve clara motivação política, para desorganizar a segurança do Estado”, afirmou Camilo.

As manifestações aconteceram em fevereiro deste ano, após o Governo do Ceará anunciar um plano de reestruturação de salários na Corporação, devidamente aprovado pela Assembleia Legislativa, após amplo debate com representantes dos militares.

Numa entrevista ao Ponto Poder, do DN, o candidato do PROS ressaltou que não teve participação no movimento paredista. “Em nenhum momento eu me posicionei a favor de qualquer paralisação em Fortaleza ou no Estado do Ceará”, disse Wagner.

“O Capitão Wagner participou ativamente de manifestações com encapuzados, discursou no Batalhão dos amotinados e teve seus aliados na linha de frente, todos integrantes de seu grupo político e candidatos ao seu lado. As notícias e imagens estão aí para quem quiser ver”, salientou o governador.

“Por fim, ainda defendeu abertamente anistia para quem praticou esses crimes, o que jamais aceitei. Foi um dos atos mais covardes já praticados contra a população, por uma minoria de policiais que não representava a grande maioria da tropa, formada por policiais corretos e dedicados. A população precisa saber da verdade”, asseverou Camilo Santana.

Mais notícias

Ver tudo de IN Connection