24 de abril de 2020

EM BRASÍLIA

Bolsonaro demite diretor da PF e acirra desgaste com o ministro da Justiça

Maurício Valeixo era da confiança do ministro Sérgio Moro                         Foto: Divulgação

A exoneração de Maurício Leite Valeixo da direção-geral da Polícia Federal foi publicada na edição do Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (24) e deve ter desdobramentos durante o dia, uma vez que ele havia sido indicado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

A medida adotada pelo presidente gerou uma crise entre o titular do MJ e o Palácio do Planalto, tanto que ontem, Moro teria afirmado que pediria demissão do cargo que ocupa, caso Valeixo – que é de sua total confiança – fosse exonerado.

Diversas autoridades da cúpula do Governo Federal tentaram conversar com o ministro que tem os maiores índices de confiança por sua atuação, para que não deixe o ministério.

No final da manhã de hoje, Sérgio Moro deverá conceder uma entrevista para anunciar sua decisão, se permanece no cargo, ou se deixa a equipe de Jair Bolsonaro, devido à exoneração do diretor da PF.

Dois fatos relevantes podem pesar na sua decisão. A primeira seria a possibilidade de poder escolher o nome do substituto de Valeixo na direção da Polícia Federal, uma vez que essa decisão ainda não foi anunciada.

A segunda é que, saindo do Ministério da Justiça e, portanto, do núcleo central do Governo Federal, veria suas chances de poder ser nomeado para o Supremo Tribunal Federal (STF), que cabe ao presidente da República, serem reduzidas de maneira significativa.

Mais notícias

Ver tudo de IN Connection