ENFRENTAMENTO AO CORONAVÍRUS

Bancada cearense em Brasília destinará R$ 120 milhões em emendas para saúde

Por Marcelo - Em 25 de fevereiro de 2021

Os senadores e deputados federais que integram a bancada cearense no Congresso Nacional conseguiram aprovar a destinação de R$ 120 milhões, nesta quarta-feira (24), – metade das emendas coletivas para este ano – a investimento na saúde pública do Estado. Isso garantirá um reforço expressivo de verbas para auxiliar no combate à pandemia do novo coronavírus.

Uma parte desse recurso extra deverá ser utilizado para o início das obras do Hospital Universitário da Uece, conforme foi solicitado pelo governador Camilo Santana, que na realidade queria usar sua totalidade na construção. Mas devido ao crescimento da contaminação pela Covid-19 no Ceará, só uma parte será destinada à nova unidade.

Cid Gomes e Tasso Jereissati atuam fortemente em Brasília                               Foto: Portal IN

Os senadores Cid Gomes e Tasso Jereissati participaram ativamente das discussões e também destacaram em suas redes sociais a aprovação da concessão de um empréstimo ao município de Iguatu de US$ 38 milhões, que serão utilizados na reforma e ampliação de dez unidades de saúde da cidade, além de outras obras importantes.

“Relatei mensagem do Governo Federal que autoriza a contratação de empréstimo no valor de US$ 38 milhões entre o município de Iguatu e o Banco de Desenvolvimento da América Latina. O relatório foi pela aprovação do empréstimo, que vai financiar parcialmente o Programa de Infraestrutura Urbana de Iguatu”, disse Cid Gomes.

Tasso Jereissati, por sua vez, além de ressaltar a importância do empréstimo para Iguatu, também comemorou a aprovação do projeto de lei que facilita a compra de vacinas, desde que aprovadas pelos órgãos competentes no Brasil, por estados, municípios e , inclusive, a iniciativa privada.

“A imunização dos brasileiros é fundamental para enfrentarmos a pandemia do novo coronavírus. A matéria segue, agora, para apreciação da Câmara dos Deputados”, ressaltou o parlamentar cearense.

Vale salientar que as vacinas compradas deverão ser doadas de forma integral para o SUS, enquanto a totalidade do público prioritário não tiver sido vacinada. Segundo o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, essa doação foi prevista para não ferir o Programa Nacional de Imunizações.

Mais notícias

Ver tudo de IN Connection