15 de janeiro de 2021

IMPULSO À PRODUÇÃO

Governo estuda conceder diferimento para dar um novo fôlego às empresas

Como forma de oferecer um maior estímulo ao setor produtivo brasileiro, o Governo Federal está estudando a possibilidade de conceder uma nova rodada de diferimento – que na prática significa adiar o recolhimento de tributos – para as empresas instaladas no Brasil, neste primeiro semestre.

Esta foi uma das medidas adotadas em semelhante período de 2020, como forma de reduzir os impactos da pandemia de Covid-19 no segmento empresarial, que foi duramente atingido, em especial com a paralisação de suas atividades por alguns meses, em todo o território nacional.

Setor produtivo pode ter este alento neste primeiro semestre                         Foto: Divulgação

O objetivo principal da medida seria proporcionar um arrefecimento na saída de recursos das empresas, a fim de que elas possam continuar produzindo, manter os postos de trabalho e quem sabe, até, realizar novos investimentos.

Segundo fontes do Ministério da Economia, outra medida que poderia gerar impactos positivos no setor produtivo seria antecipar o 13º salário de aposentados do INSS, bem como o abono salarial dos trabalhadores, que deverá envolver um volume de recursos superior a R$ 24 bilhões.

O diferimento realizado no ano passado teria dado um fôlego da ordem de R$ 33,3 bilhões às empresas, com previsão de recolhimento dos impostos em agosto, e não no início do ano. Mas o Governo ainda não divulgou o balanço sobre o pagamento desses valores no prazo combinado.

Outra preocupação da área econômica do Governo é o fim do auxílio emergencial, que deverá gerar impactos significativos no comércio e na indústria. A equipe do ministro Paulo Guedes acompanha de perto esta situação, a fim de manter o fôlego do setor produtivo brasileiro. (Com informações do Valor)

Mais notícias

Ver tudo de IN Business