Sempre atento ao cotidiano da sociedade, o Museu da Fotografia Fortaleza busca atrair as famílias para conhecer seu rico acervo. Para isso, vai investir em mais um evento artístico, no próximo dia 1º de junho, quando inaugura o “Estúdio de Arte Irmãos Vargas encontra Martín Chambi”, com obras que compõem a Coleção Paula e Silvio Frota.

Inédita no Brasil, a exposição revela um encontro histórico entre três dos maiores nomes da fotografia peruana, referência imagética até os dias atuais. Carlos e Miguel Vargas Zaconet e Matín Chambi estarão juntos mais de um século depois dos estudos realizados pelos três com os mestres Max T. Vargas e Emilio Díaz, proprietários de grandes e sofisticados estúdios do início do século XX.

A mostra traz mais de 100 fotografias destes artistas e de suas referências. Segundo o curador, Diógenes Moura, “Essa exposição é preciosa, como um segredo que aos poucos vai revelando histórias de um povo que viveu no início do século XX. Ver os Irmãos Vargas ao lado de Martín Chambi é quase um ato sagrado, imbuído pelo silêncio e pela elegância de uma época passada, o que nos levará para sempre ao futuro”, explica.

No sábado (1), a partir de 10h, acontece a abertura com visita guiada, seguida pelo monólogo: “Existência. Imagem. Abandono”, ministrado por Diógenes Moura.

Foto: rdivulgação

Para marcar o início de mais uma edição do DFB Festival, o Museu da Fotografia Fortaleza recebe convidados seletos nesta terça-feira (14), às 20h, durante a Vip première do evento, com uma performance imperdível e uma mostra retratando as nuances do mundo da moda. Na data, será inaugurada a exposição “Grandes Olhares” do MFF + DFB, que reúne cerca de 40 obras sobre moda de importantes nomes da fotografia nacional e internacional.

Nela, o público vai ter a chance de conferir o trabalho de mestres da fotografia de moda, como Richard Avedon, Milton H. Greene, William Klein, e Horst P. Horst, além de grandes nomes do Brasil, dentre eles o contemporâneo Leo Faria, com a série de imagens “Equals”, todas pertencentes ao acervo do Museu da Fotografia, composto pela coleção Paula e Silvio Frota.

Detalhe: na noite de inauguração da mostra temporária, 10 modelos irão realizar uma performance, com Leo Faria fazendo uma intervenção. O artista é um dos precursores e maior expoente da fotografia de Street Style no país. As imagens da exposição estarão disponíveis para visitação até sábado, dia 18 de maio, durante o horário de funcionamento do Museu.

Falando nisso, hoje (13), às 15h, o diretor do Dragão Fashion, Cláudio Silveira, recebe press e parceiros para apesentar cada detalhe da estrutura do festival que está sendo montada no Aterro da Praia de Iracema. São mais de 27.000m² de estrutura para receber o evento que acontece entre os dias 15 e 18 de maio.

Museu da Fotografia Fortaleza

Foto: Reprodução 

  • Leo Faria
    Leo Faria
viação total

MFF traz a Fortaleza o fotojornalista Evandro Teixeira

29 de Agosto de 2018 . Por Gabriela Santiago

Um dos nomes mais fortes do fotojornalismo brasileiro, Evandro Teixeira aterrissa em Fortaleza, nesta sexta-feira (31), a convite do Museu da Fotografia Fortaleza para palestra no encerramento da exposição “Imagens que ardem”, na Escola Superior da Magistratura do Estado do Ceará. 

Esta é a primeira exposição itinerante realizada pelo MFF e traz 50 imagens icônicas da Coleção Paula e Silvio Frota que registram o período da ditadura militar no Brasil. Após a palestra com o autor das fotos, a mostra segue para o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará e, por último, ficará exposta no Fórum Clóvis Beviláqua. 

Evandro Teixeira

Foto: Divulgação 

Em sua primeira exposição itinerante, o Museu da Fotografia Fortaleza realiza, em parceria com a Escola Superior da Magistratura do Estado do Ceará, a mostra “Imagens que ardem”, com fotos icônicas da Coleção Paula e Silvio Frota que registram o período da ditadura militar.

Com curadoria do fotógrafo Silas de Oliveira, a exposição conta com 50 fotografias feitas por Evandro Teixeira, Juca Martins e Orlando Brito, que retratam fatos marcantes do período da política brasileira, compreendido entre os anos 1964 e 1985, em que os militares governaram o país. Segundo o curador, os registros são uma descrição aguda e pessoal da ditadura militar. “As fotos desses grandes mestres ardem em nosso imaginário onde ambiguidades são replicadas, mas entre sonho e realidade percebemos que – mais do que nunca – é necessário olhar o futuro, tendo em vista o passado, para trabalharmos o presente”, afirma.

A abertura acontece no dia 20 de julho, às 9h, na Escola Superior da Magistratura do Estado do Ceará, e fica aberta para visitação até o dia 31 de agosto. Em seguida, será exposta no Tribunal de Justiça do Estado do Ceará e encerrará no Fórum Clóvis Beviláqua.

Silvio e Paula Frota

Foto: Balada in