Pizza Hut - 100x100.php

Volvo dá o pontapé inicial na produção do XC40, seu novo SUV

23 de Novembro de 2017 . Por Jota Pompílio

A Volvo Cars começa uma nova era na fábrica de Ghent, na Bélgica, com o início da produção do XC40, o primeiro SUV compacto da marca. O modelo já tem mais de 13 mil pedidos e os clientes começarão a receber os veículos no início de 2018. Com o XC40, a Volvo entra para o segmento que mais cresce na indústria automotiva e complementa sua gama mundial de SUVs, ao lado do XC60 e XC90. 

O primeiro XC40 recebeu as boas-vindas de convidados ilustres, incluindo o primeiro ministro da Bélgica, Charles Michel, o CEO da Volvo Cars, Håkan Samuelsson, e o vice-presidente de Manufatura e Logística da Volvo Cars, Javier Varela. 

"É um dia de orgulho para Ghent, para a companhia e todos os colaboradores da fábrica", disse Samuelson. "Nossa equipe dedicou muito tempo para preparar a planta para o início da produção do XC40 e todos fizeram um excelente trabalho. Esse carro representa um futuro brilhante para Ghent e para a Volvo Cars." 

O XC40 estreia a plataforma modular CMA (Compact Modular Architecture – Arquitetura Modular Compacta) da Volvo, que também estará nos próximos modelos da linha 40. Desenvolvida com a participação da Geely, a CMA vai oferecer aos carros Volvo a sinergia e economia de escala necessárias para o segmento de compactos premium.  A preparação para o início da produção do XC40 teve investimentos significativos nos últimos anos, transformando a planta de Ghent em um hub de exportação global para carros com a plataforma CMA, incluindo a adição de uma área de 8 mil metros quadrados. 

Um total de 363 robôs foram instalados na unidade e um deles recebeu o apelido de "the Beast" (ou a "Fera") pelos colaboradores. O enorme robô, único exemplar na produção mundial da Volvo Cars, é usado para levantar as carrocerias até uma esteira transportadora próxima ao teto da fábrica. 

Ghent é uma das duas plantas operadas pela Volvo Cars na Europa e iniciou suas atividades em 1965. No local, foi produzida a primeira geração do campeão de vendas XC60, além do V40, V40 Cross Country, S60 e V60. A outra fábrica europeia da marca está localizada em Torslanda, na Suécia, seu país de origem. A montadora também possui duas linhas de produção na China e está construindo uma unidade no estado da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, que está prevista para ser inaugurada no segundo semestre de 2018.

Ibyte Apoio e Patrocinio

Jaguar recebe uma visita ilustre na linha de produção

22 de Novembro de 2017 . Por Jota Pompílio

Quem é apaixonado por futebol o conhece: José Mourinho.  Considerado por alguns como um ótimo estrategista em campo, o renomado técnico português de futebol, fez uma visita à fabrica da Jaguar Land Rover em Solihull, no Reino Unido, para acompanhar a produção de seu novo carro, o SUV F-PACE de número 100 mil. Mourinho vestiu seu uniforme personalizado da Jaguar e seguiu diretamente para o chão da fábrica, onde supervisionou a produção de seu carro, ajudando a equipe enquanto acompanhava toda a linha de montagem.

Na Extrema, concessionária da Jaguar, em Fortaleza, o modelo está disponínel por R$ 329.500. Em termos de financiamento, a revendedora cearense está com uma promoção: você dá 50 % e paga em 24 meses com taxa de 0,69%. O SUV da marca é a diesel, automático, motor 2.0, com potência de 180 cv. 

"Para o técnico, visitar a fábrica foi uma experiência incrível. "Ver toda a tecnologia e trabalho duro dos funcionários no desenvolvimento de um carro tão lindo. A Jaguar é uma marca com a qual tenho envolvimento há muitos anos. Em 2014, fui o primeiro cliente do Reino Unido a receber o F-TYPE Coupé e, agora, me tornar o proprietério do Jaguar F-PACE de número 100 mil é algo muito especial", ressaltou o técnico.

Ao chegar na fábrica, Mourinho teve uma conversa com os colaboradores, motivando-os e falando sobre possuir orgulho e paixão no trabalho, e sobre os produtos que eles entregam.
Para Ian Callum, diretor global de design da Jaguar, "é ótimo ter um dos mais bem-sucedidos treinadores de futebol dirigindo o F-PACE, nosso SUV que foi eleito como o carro melhor e mais lindo do mundo pelo juri do World Car of the Year 2017. Assim como José Mourinho, o F-PACE é tudo sobre estilo individual e desempenho superior".

The first

Primeiro SUV da história da Jaguar, o F-PACE conquistou uma enorme gama de clientes no mundo todo. O modelo é o que mais cresce em vendas entre toda a linha de veículos da marca britânica, atingindo a marca de 100 mil unidades produzidas em pouco mais de dois anos desde seu lançamento, em 2015. Em 2016, Mourinho conduziu o Jaguar F-PACE como parte de uma experiência extrema de treinamento de alto desempenho no Círculo Ártico. O treinador dominou a arte da alta velocidade no gelo, dirigindo em um lago congelado de 60 quilômetros na instalação de testes extremos da Jaguar em Arjeplog, na Suécia.

O Jaguar F-PACE oferece uma combinação incomparável de desempenho, design e praticidade. Para garantir que todos os sistemas funcionem perfeitamente mesmo nas condições mais extremas, o SUV foi submetido a um dos mais exigentes programas de teste que a empresa já desenvolveu.

A montadora

A Jaguar Land Rover é a maior fabricante de automóveis do Reino Unido e possui duas marcas icônicas da indústria automotiva britânica: a Jaguar, com 80 anos de história, é a marca premium que mais cresce no Brasil e agora conta com uma nova geração completa de produtos composta por veículos esportivos, sedãs e SUVs e a Land Rover, que, desde 1948, é referência mundial em veículos todo terreno. Controlada pelo grupo indiano Tata Motors, a companhia conta com cerca de 40 mil colaboradores em todo o mundo e comercializa seus produtos em 170 países.

 

Serviço:
Concessionária Extrema
Av. Des. Moreira, 3034 - São João do Tauape, Fortaleza. 
3465.3000

 

   
   
   
   
   
   
   

 

 

 

Pipo

*Pegando o beco com o Fiat Argo

21 de Novembro de 2017 . Por Jota Pompílio

Testar o Argo, o hatch premium da Fiat, em Fortaleza, eu confesso, foi amor à primeira vista. Como eu sou ligado a cores fortes, o “azul portofino” dele já me conquistou de longe. Inclusive, a Fiat é mestre em seduzir pelas cores ou alguém esqueceu a revolução que os Novos Unos fizeram quando aparecem no mercado? Além da cor, outra coisa que gostei é que o Argo te avisa se está aberto ou fechado pelo retrovisor. Fechado, eles ficam retraídos. Ao desativar o alarme, automaticamente, voltam à cena.

Por dentro, há um ambiente superesportivo e os assentos são muito confortáveis. O painel, com informações digitais e analógicas, é super “descolado” e fácil de entender. Durante a noite ele fica mais atraente. O volante, revestido em couro e cheios de botões, torna-se prático para mudar uma música ou acionar o piloto automático.

Boas respostas

Dirigindo-o, o veículo responde bem ao comando do acelerador e as marchas são bem macias e curtas. O pedal de embreagem é também suave e tem a função secundária de acionar o Start&Stop, que funciona sem trancos. Parece simples, mas isso dá uma boa economia de combustível no final de mês.

Segurança

Para as estradas, na versão HGT, a que eu estava, automática, com motor E.torQ 1.8 Evo, de 139 cv, é suficiente para uma proposta equilibrada. Em ultrapassagens curtas, ele te dá segurança. O motor apresenta melhor arrancada que em modelos anteriores da marca, tendo uma resposta melhor em baixa. Nesta versão, o ronco do motor é mais esportivo por conta do escape diferenciado.Rodando a 120 km/h, o ponteiro marca 2.700 rpm. Nas curvas, ele literalmente cola. Nesse caso, o nível de ruído a bordo é bom. A suspensão tem uma boa calibragem, que mescla boa maciez e melhores respostas aos pisos ruins com um equilíbrio bom em curvas e mudanças rápidas de direção.

Para quem gosta de mesurar o tempo, o Argo HGT precisou de 10,7 segundos para acelerar de 0 a 100 km/h, levando 7,7 segundos para retomar de 40 a 80 km/h. Abastecido com gasolina, o hatch fez 11 km/l na cidade e 13,4 km/l na estrada.

O que diz respeito à conectividade, o Argo tem uma central multimídia que impõe respeito e ar de jovialidade. A tela fica posicionada no console central como uma espécie de tablet com sete polegadas e tela sensível ao toque. Android Auto, Apple Car Play, bluetooth e alta definição estão entre suas características. Há ainda câmara de ré, que trabalha junto com sensores de estacionamento traseiros, dando uma tranquilidade aqueles “barbeiros”.

Preços

Para finalizar, a versão de entrada é a Drive 1.0, tabelada a R$ 46.800, e a configuração mais cara é a HGT 1.8 AT6, oferecida a R$ 70.600.

*Pegar um beco é uma expressão cearense que significa dar o fora, sair de algum lugar.


 

São Luiz

Volkswagen Virtus: enfim desmascarado

20 de Novembro de 2017 . Por Jota Pompílio

A fabricante alemã nem esperou a poeira baixar do Novo Polo e já “colocou na fita” um outro modelo, o sedã Virtus. O intuito é ocupar o vazio que há entre o compacto Voyage e o sedã médio Jetta. Quem pensa em comprar um é bom esperar um pouco, pois só deverá chegar em janeiro.

Impressões

O inédito sedã é derivado do Novo Polo e de cara dá para notar que ele é bem maior e mais refinado que o Voyage. Desenvolvido para o mercado brasileiro e produzido na fábrica da Via Anchieta em São Bernardo do Campo (SP), o novo Virtus é feito sobre a plataforma modular MQB. O que é isso?  Ele compartilha com o Polo grande parte dos componentes, conjunto mecânico e linguagem visual. Também não é à toa que o novo sedã da Volkswagen é bem semelhante ao irmão hatch: possui o mesmo conjunto de faróis, grade e o capô arredondado cheio de vincos. Porém, a indentidade do Virtus  se concentra na traseira – totalmente exclusiva. O para-choque conta com um uma moldura na parte inferior, que atravessa toda a traseira. No fim, o resultado é um sedã elegante e bem mais atraente do que o veterano Voyage.

Inside

O espaço interno é ótimo para as pernas de quem vai atrás. Mérito do entre-eixos esticado em 8,6 cm em relação ao Polo. Mas, pessoas altas, de mais de 1,80 metro de altura ficarão com as cabeças rentes ao teto. 
Para quem gosta de viajar, um boa notícia: o porta-malas também do Virtus, no entanto, é generoso. Segundo a Volkswagen, tem capacidade para 521 litros, maior até que o bagageiro do Jetta (510 litros).

O motor

O Virtus terá duas opções de motorização, o 1.6 MSI (117 cv e 16,5 kgfm) e 1.0 TSI, chamado de 200 TSI (128 cv e 20,4 kgfm), com turbo e injeção direta. Esse último será combinado ao câmbio automático Tiptronic de seis marchas. Com esse conjunto, o Virtus vai de zero a 100 km/h em 9,9 segundos e chega à velocidade máxima de 194 km/h.

Inimigos à espreita

A Volkswagen ainda não detalhou os preços do sedã, mas levando em consideração de que ele será posicionado entre o Voyage (de R$ 45 mil a R$ 60 mil) e o Jetta (de R$ 81 mil a
R$ 108 mil), Como o Virtus não tem motor 1.0, teríamos que compará-lo em valor com o Polo MSI 1.6, que parte de R$ 54.990. Não fique surpreso se o sedã compacto da VW começar em R$ 59.990 e chegar próximo dos R$ 80 mil na versão Highline com todos os opcionais. Próximo das versões mais caras do Hyundai HB20S, embora o seu porte esteja mais perto dos sedãs compactos crescidos, exemplos Chevrolet Cobalt e Honda City.
Em 2018, o segmento ainda ganhará outros modelos, como o Fiat Cronos, sedã do Argo, programado para chegar às lojas em fevereiro, e sedã Toyota Yaris, que será lançado no segundo semestre do ano que vem. 

Ilmar Gourmet - Selo

BMW Motorrad lança supermoto de R$ 490 mil

17 de Novembro de 2017 . Por Jota Pompílio

R$ 490 mil! Sim e não é erro de digitação não! É esse preço mesmo e por isso se tornará a mais cara comercializada no Brasil já que vem para o ano. A supermoto foi apresentada no Salão Duas Rodas deste ano, edição 2017, em plena coletiva da marca e estará exposta até o domingo (19), dia que finda o evento.  

O Nome dela? HP4 Race. Outro detalhe. Só vem cinco unidades para cá. E esmiunçando mais detalhes, todo o seu conjunto tem apenas 171 kg, em ordem de marcha. Ah, as rodas são de fibra de carbono. O que isso quer dizer? Reduz o peso 30% em comparação a rodas forjadas em liga-leve.

Motor

Com 215 cavalos de potência, seu motor de 4 cilindros tem 999 cilindradas e atende as especificações do Mundial de Superbike e alcança a potência máxima a 13.900 rpm, enquanto o pico de torque, de 120Nm, aparece aos 10.000 rpm. Transmissão de seis marchas, tá?

Para frear, a HP4 usa um sistema de freios de discos duplos de aço de 320 milímetros de diâmetro e 6,75 mm de espessura, pistões revestidos de titânio e pinças de alumínio monobloco Brembo GP4 PR, com superfície niquelada. As suspensões tambem são de competição, com garfos invertidos FGR 300 e amortecedores TTX 36 GP, ambos componentes fabricados pela sueca Öhlins e também usadas na MotoGP, no Campeonato Mundial de Superbike.

A moto conta com assistência de freio motor, com até 15 níveis de atuação, e sistemas eletrônicos de controle e assistência. Em Fortaleza, há uma autorizada cearense da marca e é possível comprar um de seus modelos pela Welle Motors, na Avenida Santos Dumont, 8001.