Beach Park

MINI clássicos e contemporâneos invadem evento

13 de Novembro de 2018 . Por Jota Pompílio

Olha que notícia curiosa! Fãs e proprietários de modelos MINI de várias regiões do Brasil realizaram um desfile nas proximidades do 30º Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, A carreata, que contou com a participação de 57 modelos da marca, chamou a atenção do público não apenas durante o trajeto, mas também na área de test-drives do salão, em frente ao pavilhão, onde os veículos ficaram estacionados, em exposição ao ar livre. 

 

É bom lembrar que o MINI pertence ao grupo BMW e em Fortaleza é representado pela Welle Motors. O Mini Cooper que em junho foi reestilizado no Brasil e que conta com seis versões que partem de R$ 120 mil. 

“Não há como negar que a MINI desfruta de um carisma especial dos brasileiros que apreciam a esportividade e o design diferenciado evidenciados pelos modelos da marca bem como suas tecnologias embarcadas e qualidade de seu acabamento”, explica Rodrigo Novello, Gerente de Vendas, Produto e Preços da MINI Brasil. 

 

Participaram do desfile modelos como MINI Cooper Hatch, MINI Cooper Clubman, MINI Cooper Cabrio, MINI John Cooper Works e também versões exclusivas como o Goodwood, com interior inspirado em automóveis Rolls-Royce e limitado a 1.000 exemplares ao redor do mundo, quando fabricado, em 2012. 

Além de clientes do interior de São Paulo e da capital paulista, o encontro registrou a presença de modelos vindos de Brasília (DF), Rio de Janeiro e Belo Horizonte (MG). A marca britânica celebra, em 2018, 9 anos desde a sua estreia oficial no país. 

Para os próximos anos, a Toyota está cheia de planos.  Um deles é que até o final de 2020, a marca terminará de realizar a modernização da fábrica de Indaiatuba (SP), onde é produzido o Corolla. A obra deverá terminar daqui a dois anos e, por coincidência, está prevista a chegada da nova geração do Corolla. O sedã mais vendido do mundo passará por uma transformação e isto inclui a adoção da plataforma TNGA, já usada pelo Prius.

Uma das “transformações” é a possibilidade de ter motorizações híbridas. Isso, meu caro internauta, já é uma realidade na Europa e por que não no Brasil?  O fato é que por aqui a Toyota ainda não confirma que o sedã será híbrido, mas os movimentos da fabricante levam para isso. Traduzindo : a gigante japonesa terá o produto e a tecnologia já prontos para o mercado brasileiro. Vale lembrar que todos os modelos Lexus têm essa tecnologia.

O fato é que além de aliar o motor a combustão ao elétrico, o Corolla deve ser o primeiro veículo da empresa com a tecnologia híbrida e flex. A Toyota já desenvolve o sistema, usando o Prius como “cobaia”.

Para reforçar, é público que a partir de 2025 todos os modelos da marca terão ao menos versão híbrida. Segundo o presidente da marca, Rafael Chang (à direita), até mesmo produtos mais baratos, como Etios e Yaris, devem receber conjuntos com motores elétricos. E aí, você ainda duvida?

A Via Italia, importadora oficial das marcas Ferrari, Lamborghini, Maserati e Rolls-Royce, tem um dos estandes mais badalados do 30º Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, que acontece de 8 a 18 de novembro. Mas por quê? No espaço, estão nada mais e nada menos que os lançamentos da Ferrari 488 Pista, Lamborghini Urus, Maserati Levante Trofeo e Rolls-Royce Cullinan.  

No total, a Via Italia terá 13 supermáquinas em seu estande. Além desses lançamentos, a Ferrari terá outros três modelos em exposição, a Maserati também mais três, a Lamborghini mais dois esportivos e a Rolls-Royce terá a oitava geração do Phantom.

A Ferrari 488 Pista traz um motor de 720 cavalos de potência – maior potência específica de 185 cv/litro – e, agora, 90 kg mais leve, a partir de soluções adotadas no modelo 488 Challenge. Com isso, a 488 Pista alcança velocidade máxima de 340 km/h e acelerações de 0-100 km/h em apenas 2,85 segundos e de 0-200 km/h em 7,6 segundos.

A Lamborghini Urus possui um motor biturbo V8 de 4.0 litros que oferece 650 cv (478 kW) a 6.000 rpm, máximo de 6.800 rpm e 850 Nm de torque máximo já a 2.250 rpm. Com 162,7 hp/litro, a Urus apresenta uma das mais altas potências específicas de sua classe e a melhor relação peso/potência a 3,38 kg/hp. A Urus acelera de 0-100 km/h em 3,6 segundos, 0-200 km / h em 12,8 segundos e com uma velocidade máxima de 305 km/h. É o SUV mais rápido disponível no mercado.

A Maserati, por sua vez, traz a versão superesportiva da sua SUV, a Levante Trofeo. Com motor Twin Turbo V8 de 3,8 litros produzido pela Ferrari, em conjunto com seu sistema de tração integral Q4, entrega 590 cv a 6.250 rpm e 730 Nm de torque máximo de 2.250 a 5.000 rpm, capaz de acelerar de 0-100 km/h em 3.9 segundos e alcançar uma velocidade máxima de 300 km/h.

E, por fim, a Rolls-Royce apresenta na categoria SUV a superluxuosa Cullinan. Trata-se do segundo Rolls-Royce a utilizar o completamente novo chassis de alumínio, utilizado primeiramente no Phantom VIII. A Cullinan é a SUV de luxo mais exclusiva e avançada tecnologicamente no mundo. Seu motor é um V12 biturbo de 6,75 litros oferece 563bhp / 420kW e torque de 850Nm / 627lb ft, além de um novo sistema de tração integral.

Fiec - selos

Kia mostra força e projeta bons negócios em 2019

09 de Novembro de 2018 . Por Jota Pompílio

As estatísticas não mentem: a Kia, montadora koreana, já cresceu 45% este ano no Brasil. Feliz com os bons números, a fabricante mostrou algumas novidades no Salão do Automóvel de São Paulo. Em Fortaleza, a marca é representada pela Kia Jangada do grupo Carmais.

Em seu estande, os destaque ficaram por conta do Soul EV, o Nito Hybrid e o sedã grande Optima hybrid, que estão em fase de homologação e estarão à venda dependendo da sua tributação Outra novidade apresentada é o esportivo Stinger GT, que traz um potente motor V6 biturbo de 370 cavalos, capaz de fazer de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos e atingir velocidade máxima de 270 km/h.

Sensação no mercado global, os SUVs continuam mandando no mercado brasileiro. A novidade da Kia para esse segmento é o Stonic. Comercializado somente na Europa, o Stonic servirá como clínica para a importadora desenvolver (junto ao público no estande) um suvinho que será construído na plataforma do atual Cerato.

Possível expansão

Se depender do presidente da Kia Motors , Luiz Gandini, o mercado para o ano que vem deve começar a mil por hora. Otimista, o dirigente revelou que alguns grupos logísticos têm procurado a marca coreana para ampliar as concessionárias do grupo.



Beach Park

Mercedes-Benz do Brasil ganha iluminação azul. Saiba o por quê

09 de Novembro de 2018 . Por Jota Pompílio

Durante o mês de novembro, o prédio central da sede da Mercedes-Benz do Brasil, em São Bernardo do Campo/SP, estará iluminado na cor azul em apoio à campanha de prevenção e combate ao câncer de próstata. A ação é uma extensão da ocorrida em outubro, quando o prédio recebeu a cor rosa em apoio à prevenção ao câncer de mama.

A iluminação tem como objetivo atrair a atenção de milhares de pessoas que passam diariamente próximo à fábrica de caminhões, ônibus e agregados, situada no bairro Paulicéia, próximo à Rodovia Anchieta, para a realização de exames que identifiquem e previnam a doença.

Para reforçar o tema internamente, entre os colaboradores, a empresa também vai promover palestras sobre a doença com o intuito de explicar os exames preventivos e tratamentos adequados em caso de descoberta. Outra iniciativa é o convite aos colaboradores a utilizarem uma peça de roupa na cor azul às sextas-feiras e enviarem fotos para divulgação nos canais de comunicação interna.

“A Mercedes-Benz do Brasil, que emprega mais de 10 mil colaboradores em suas fábricas e tem próximo relacionamento com a comunidade e seus parceiros de negócios, promove ações como essas seguindo o seu comprometimento com a Responsabilidade Social”, declara Fernando Garcia, vice-presidente de Recursos Humanos Mercedes-Benz América Latina.

“Assim como incentivamos os exames durante o Outubro Rosa, reforçamos a importância durante o Novembro Azul. Incentivamos nossos colaboradores a deixar o preconceito de lado e cuidar da saúde sempre em primeiro lugar”, conclui.