Recém-lançado no Brasil e eleito o Carro do Ano no Japão, o Mitsubishi Eclipse Cross foi criado para atender aos motoristas que querem sempre o que há de mais avançado em termos de tecnologia, segundo a fabricante. Para suprir essa demanda no Brasil, o modelo chega equipado com sistema multimídia desenvolvido pela LOGIGO Automotive. O que o sistema tem de bom? A central multimídia é a primeira no mercado a permitir que o usuário faça o download dos seus aplicativos favoritos, possibilitando uma infinidade de interações por meio do veículo.

Denominada de Disruptiv, a tecnologia da LOGIGO Automotive vai muito além de um simples espelhamento do celular e disponibiliza download de aplicativos pelo mecanismo OTA (over the air), possibilitando ao condutor pagar o combustível, pedir comida e reservar serviços sem sair do carro.

Outro diferencial, segundo engenheiros, é a interatividade com a montadora. A solução possui um canal de comunicação direto com a fabricante do veículo. O motorista pode, por exemplo, receber um alerta sobre a necessidade de uma revisão ou ser informado sobre alguma promoção, além de receber demandas por serviços e feedbacks. Todas essas funcionalidades são possíveis pois, desde 2015, a LOGIGO Automotive é parceira do Google e da Apple.

A plataforma Disruptiv permite ainda navegar pelos aplicativos sem a necessidade de conectar o celular à entrada USB do carro. Basta utilizar a rede de dados do smartphone ou um chip 3G com roteador próprio para o veículo. “Nossa tecnologia é pioneira e proporciona muito mais conectividade à central multimídia”, afirma o CEO da LOGIGO Automotive, Antonio Azevedo.

A novidade deve chegar ao mercado nos próximos meses e promete transformar o modo como as pessoas se relacionam com os veículos. Na prática, a solução permitirá aos condutores contar com um assistente virtual capaz de acionar funcionalidades na central, sugerir serviços e antecipar demandas. 

Gran Marquise Apoio e Patrocinio

Avaliação: SUV de luxo da Mercedes-Benz não deixa nada a desejar

03 de Dezembro de 2018 . Por Jota Pompílio

Esse ano que acaba, podemos dizer que modelos SUVs “deitaram e rolaram”. Na prática, nem o segmento luxuoso escapou. Tradicional, porém, atenta à novidade, a Mercedes-Benz apostou no GLC que, na concessionária Newsedan, há em duas versões: GLC 250 4MATIC (R$ 279.900) e GLC 250 4MATIC Sport (R$ 310.900).

A Road In dirigiu o utilitário de luxo de Fortaleza até a bucólica serra de Guaraminga (cerca de 110 km) para podermos lhe dizer como ele anda. E olha, o modelo ficou mais moderno, mais leve (80 kg a menos) e maior – ele ganhou 80 litros de porta malas e cinco centímetros de largura. Além disso, ganhou nova suspensão adaptativa. O que é isso? Ela “dança” conforme a estrada, o piso.

O estilo do GLC casa bem com o sedan Classe C, com a qual o utilitário compartilha a base, ok? E a semelhança não se deu apenas em design, até a mudança na última letra da sigla busca aproximar o SUV do Classe C. Só que há diferenças mecânicas. E muitas! No lugar da tração traseira utilizada em outros modelos dessa base, o GLC se vale de tração nas quatro rodas. Força é o que não falta para ele!

Nas duas versões disponíveis, o GLC vem equipado com motor 2.0 turbo de 211 cv de potência, 35,6 kgfm de torque e tração integral permanente 4MATIC. Ele trocou o câmbio automático de sete velocidades, por uma caixa mais moderna, também automática, de nove marchas. Com 1,735 quilos, o 0 a 100 km/h é feito em 7,3 segundos, de acordo com a Mercedes. E isso eu provei na prática com cronômetro e tudo!!!

O conjunto mecânico agrada e se comporta de forma exemplar quando o motorista precisa pisar fundo no acelerador. O novo câmbio fez bem ao utilitário - as trocas de marchas são feitas na hora certa e são praticamente imperceptíveis. Para os que desejam apimentar a relação, há aletas no volante.

Seu estilo

O SUV também tem um seletor no console central que pode configurar cinco modos de condução: Comfort, Individual, Sport, Sport Plus e Eco, que prioriza economia de combustível. Durante o nosso teste, o modo de condução variou entre Comfort, Sport e Sport Plus e no final do trajeto o computador de bordo marcava uma média de consumo de 7,6 km/l com gasolina. Ah, os modos alteram a resposta do motor, da direção, da suspensão e da caixa de marchas.

O novo câmbio também deu mais disposição ao GLC e, de quebra, aquietou a cabine em ritmo de cruzeiro. No modo Comfort, a 120 km/h, o painel de instrumentos marcava apenas 1.600 rpm na nona marcha. No modo Sport Plus e na mesma velocidade, o painel registrava 2.500 giros na sétima marcha, ou seja, basta selecionar o modo mais esportivo para a caixa segurar marchas mais baixas até o limite. Vale lembrar que baixas rotações deixam o motor mais econômico e mais silencioso, algo cada vez mais exigido.

 

O conjunto mecânico agrada e se comporta de forma exemplar quando o motorista precisa pisar fundo no acelerador. O novo câmbio fez bem ao utilitário - as trocas de marchas são feitas na hora certa e são praticamente imperceptíveis. Para os que desejam apimentar a relação, há aletas no volante.

Acabamento de primeira!

Todos os materiais usados dentro do carro são de ótima qualidade. O acabamento Premium é visto até no teto, que ganhou a cor preta - sempre adotada quando a intenção é dar maior esportividade. O console central tem visual moderno, graças ao uso de black piano. Há um bom número de porta-objeto e todos os botões estão bem posicionados. A ambientação geral lembra a do Classe C, das saídas de ar arredondadas aos comandos. Isso inclui o uso de uma alavanca de marchas espetada na coluna de direção, o que libera mais espaço no console central.

Quando o assunto é conforto, há bastante espaço para as pernas e cabeça dos ocupantes. Os bancos dianteiros possuem um recuo no molde traseiro para aumentar o espaço para as pernas dos ocupantes do banco de trás. O centro dos assentos possui um material aveludado ao estilo alcantara (camurça sintética), que deixa o nível de acabamento do Mercedes ainda melhor.

Os principais itens de série do GLC são: sistema Start/Stop, roda de liga leve de 18 polegadas, câmera de ré, sensor de chuva, controle de cruzeiro, ar automático de duas zonas, GPS, bluetooth, isofix, cinto de três pontas para todos os ocupantes, tração Integral permanente nas quatro rodas, faróis com luzes diurnas em LED e freio eletrônico com brake hold.

 

 

.

Carmais-Honda Nova Luz

Segundo carro elétrico, Audi e-Tron GT é semi-revelado

30 de Novembro de 2018 . Por Jota Pompílio

A marca alemã premium parece que entrou de cabeça no universo de veículos elétricos. Segundo membro da família 100% movida a energia da Audi, o novo modelo será lançado somente em 2020. E olha que dois anos, cá entre nós, passam muito rápidos, não é? Apresentado como conceito e ainda com pesada camuflagem, o e-Tron GT será um cupê de quatro portas no melhor estilo Tesla Model S, seu rival direto. O visual mescla elementos do SUV e-Tron com curvas do cupê TT. A dianteira é agressiva, com uma larga grade frontal dividida em suas sessões. Os faróis têm LEDs em formato de X.

De perfil, o e-Tron GT revela teto com queda suave e carroceria arredondada, quase como um TT de quatro portas e mais ousado que os cupê de quatro portas da Audi; A5 Sportback e A7. Já a traseira, é inspirada nos modelos mais caros da marca, com lanternas conectadas e assinatura visual em LED.

Segundo a Audi, seu novo elétrico será capaz de chegar aos 100 km/h em menos de 4 segundos – número inferior ao Tesla Model S P100D, que atinge a mesma velocidade em ridículos 2,7 segundos. Já a autonomia total do e-Tron GT será superior a 400 km, pouco abaixo dos 542 kmn prometidos pelo rival norte-americano.

Elétrico além do e-tron GT

Além do SUV e-tron e do sedã GT, a Audi prepara também para 2019 o e-tron Sportback. Ele será um SUV com teto de cupê, feito para concorrer com o Jaguar I-Pace. O novato será baseado no utilitário-esportivo elétrico convencional.

O e-tron Sportback deverá ter dois motores elétricos, um em cada eixo, que servem para oferecer tração integral. O instalado no dianteiro entrega 125 kW e o traseiro, 140 kW. Combinados, rendem 265 kW, o equivalente a 357 cv. O torque é de 57,2 mkgf.

Com a função overboost, chegam a 300 kW (cerca de 402 cv) e 67,7 mkgf. O câmbio automático tem apenas uma marcha e a velocidade máxima é de 200 km/h, conforme informações da Audi.


Para alguns, a Black Friday acabou. Para outras empresas, não.  No caso da Kia Jangada, em Fortaleza, a Black Friday vai até amanhã, sexta-feira! E, segundo Marcos Paulo, gerente comercial, o Kia Cerato está por R$ 74.990,00 à vista ou entrada de 50% mais 36 vezes, com primeira parcela para fevereiro de 2019. Seu preço normal é de R$ 78.490,00.

“É um carro muito equilibrado com uma potência que atende cidade e estrada com consumo excelente, conforto com estabilidade, garantia de cinco anos e com opcionais tipo ar-condicionado dual zone, sensores de estacionamento frente e trás e rebatimento Automático dos retrovisores”, detalha.

O Cerato atual conta com visual bem mais moderno que o esperado e o sedan médio tem motor eficiente, de 1.6, com 128 cv e nova transmissão automática de seis velocidades. Espaçoso, com porta-malas de 421 litros, ideal para uma família que adora viajar nos finais de semana, o sedã tem bom acabamento e suspensão ajustada de forma a mesclar com eficiência conforto e estabilidade. 

A cabine do Cerato passa a impressão de ser mais premium que sua designação pode sugerir. O acabamento, as peças e o volante estão em ótimo patamar.  Se você quer segurança, o Cerato tem. Aviso de colisão frontal e alerta de cansaço do motorista são itens de série em todas as versões. E aí, vamos fazer um test drive na Kia Jangada? A concessionária fica na Av. Júlio Ventura, 201.  

Fiec - selos

Novo Porsche 911: mais potente, mais rápido e mais digital

28 de Novembro de 2018 . Por Jota Pompílio

Um dos modelos mais clássicos do setor automotivo, o 911, da Porsche, celebrou sua estreia mundial na véspera do Salão do Automóvel de Los Angeles, nos Estados Unidos, em sua versão 2019. Marca, inclusive, que tem uma concessionária no Nordeste, em Recife. Sobre o Novo 911, vemos um Porsche com uma aparência muito mais muscular e um interior que inclui um monitor com tela de toque de 10,9 polegadas. Engenheiros reforçam que elementos do chassi e controles inteligentes, assim como sistemas de assistência combinam com o clássico carro esportivo.

Segundo a marca, a próxima geração do motor turbo é alimentada por seis cilindros com 450 cv. Nos modelos, a transmissão tem dupla embreagem com oito velocidades. Outros destaques incluem os novos sistemas de assistência, que incluem o modo Porsche Wet, que torna ainda mais segura a condução em pistas molhadas, e o Night Vision Assist (assistente de visão noturna) com câmera de imagem térmica, assim como a abrangente conectividade, que agora também inclui a inteligência coletiva. 

O conteúdo do 911 é completado por três ofertas digitais exclusivas: o aplicativo Porsche Road Trip, para viagens extraordinárias, o assistente pessoal Porsche 360+ e o calculador de emissões baseado na rede Porsche Impact, para neutralizar sua pegada de carbono individual. 

O design exterior é completamente novo e enfatiza o 911 da geração 992. Caixas de rodas significativamente mais largas recobrem as rodas dianteiras de 20 polegadas e as traseiras com 21 polegadas de diâmetro. A traseira agora tem a mesma largura em todos os modelos, ressaltando a seção central mais esguia. Na frente, a carroceria é 45 milímetros mais larga. A integração fluida das maçanetas elétricas embutidas nas portas reforça o contorno lateral suave e gradual. Entre os novos faróis de LED, um capô com um rebaixo pronunciado evoca o design das primeiras gerações do 911. Em todos os modelos, a traseira é dominada pelo defletor traseiro com posicionamento variável consideravelmente mais largo e pela elegante faixa luminosa contínua. Fora as seções dianteira e traseira, toda a cobertura exterior da carroceria é feita de alumínio.