MDD USA

Toyota RAV4 chega mais atrativa e com nova versão de entrada

16 de Janeiro de 2018 . Por Jota Pompílio

O ano já começa repleto de novidades e a Toyota, aproveitando o momento, traz as suas para a linha 2018 através do SUV RAV4. A novidade maior é que a marca terá uma nova configuração de entrada, a versão com motor 2.0 4x2. Preço? R$ 129.990. Para os interessados, a Toyota já abriu pedidos de reserva e podem ser realizados em quaisquer concessionárias da marca no País. No Ceará, a marca está representada pela Newland. 

O que ele tem

O RAV4 2.0 4x2 trará sob o capô mesmo conjunto mecânico da versão 4x2 CVT TOP, de motorização Dual VVT-i 2.0L 16V, que faz sintonia fina com a transmissão automática do tipo CVT e simula até sete velocidades no modo manual sequencial.
Tratando-se de design, a linha segue a renovação conferida ao SUV em abril do ano passado, que reforçou a presença marcante do veículo. Na lista de equipamentos, o modelo traz um pacote que contempla ar-condicionado, espelho retrovisor day night, comando de ajuste de altura dos faróis, assentos revestidos em tecido com seis tipos de ajustes e porta-objetos, volante com regulagem de altura e profundidade, sistema de áudio Toyota Play com CD Player e função MP3, entrada USB e Bluetooth.

Segurança

Nestes item, a 2.0 4x2 traz de série: sistema de controle de estabilidade (VSC), assistente de arranque em subidas (HAC), controle de tração (TRC), sensor de estacionamento traseiro, além de três airbags, dois frontais e um de joelho, para o motorista. O pacote acompanha ainda freios ABS com sistema de assistência à frenagem (BAS) e distribuição eletrônica (EBD).“A Toyota, ciente e atenta à alta procura por SUV’s no Brasil, está ampliando as possibilidades para que os consumidores brasileiros possam provar a excelente experiência que o RAV4 pode oferecer. Por isso, adotou um posicionamento bem definido para esta gama, acrescentando uma nova versão de entrada e preços ainda mais competitivos. Estamos certos de que a união dos atributos mundialmente reconhecidos do nosso crossover, aliada a estratégia de mercado que projetamos, trará muitos sorrisos aos consumidores”, afirma Miguel Fonseca, vice-presidente executivo das divisões comercial e produto da Toyota do Brasil.

Um fenômeno de vendas

Em 2017, segundo a Toyota, o RAV4 tornou-se o SUV mais vendido do mundo, rompendo a casa das 800 mil unidades vendidas globalmente, além de ser o veículo de passageiro mais comercializado nos EUA, segundo consultoria líder mundial na análise de dados e números do setor automotivo, Focus2move.

Lançado em 1994 no Japão, o RAV4 é utilitário esportivo da Toyota com maior legado na história da indústria automotiva e um marco em seu segmento de atuação, pois foi primeiro veículo a aliar atributos de uso off-road com conforto de um veículo urbano. Pouco menos de um ano após seu lançamento, em 1995, o SUV da Toyota passou a ser exportado para os EUA e Europa, onde se tornou símbolo de qualidade, durabilidade e confiabilidade.

No Brasil, a Toyota passou a comercializar o modelo, importado do Japão, a partir de 1999. De lá até os dias atuais, o RAV4 ganhou destaque por ser um utilitário que reúne versatilidade, tanto para uso urbano como fora de estrada, sofisticação e design elegante.

Linha RAV4 2018

A versão 4x2 CVT TOP mantém a recheada lista de equipamentos, a fim de entregar conforto, sofisticação e versatilidade, elementos definidores da personalidade do RAV4.

Uma das comodidades é o sistema Smart Entry para o destravamento das portas, por proximidade da chave. Outro destaque é o botão Push Start, sistema de partida sem chave, capaz de acionar a ignição apenas ao toque de um botão.
Para ampliar a nitidez na visualização do computador de bordo, o painel passou a apresentar informações em TFT colorido com sete funções, incluindo odômetros total e parcial, temperatura externa, consumo médio e instantâneo de combustível, indicador de direção econômica ECO, autonomia e velocidade média do veículo.

O RAV4 2018 vem com sistema multimídia Toyota Play em tela de 7" sensível ao toque, com interface de acesso à internet (Wi-Fi), áudio AM, FM, CD player e MP3, leitor de DVD, conexões USB, AUX e Bluetooth®, seis alto-falantes e nova antena no teto, agora do tipo shark fin. Câmera de ré e GPS integrado também acompanham o pacote de acessórios.

Na linha 2018, a versão 4x2 CVT TOP possui de série sensor de estacionamento dianteiro e traseiro. Outro diferencial é o teto solar elétrico. Complementam o conforto de condução, ar-condicionado dual zone automático, com filtro antipólen e display digital, controle de velocidade de cruzeiro, indicador de marchas digital, aviso sonoro de faróis ligados e chave na ignição no painel.

Os preços* 

RAV4 2.0 4x2 CVT Gasolina 2017/2018 Japão R$ 129.990,00

RAV4 2.0 4x2 CVT TOP Gasolina 2017/2018 Japão R$ 139.990,00

*Base: São Paulo

Ibyte Apoio e Patrocinio

Honda HR-V: o que faz dele um campeão?

15 de Janeiro de 2018 . Por Jota Pompílio

Janeiro começou acelerado e neste final de semana, em minhas mãos, no segmento SUV COMPACTO - a nova moda no mercado automotivo - um japonês líder, que vendeu 47.775 unidades em 2017, o HR-V. É como diz o nosso cearense jeito de se expressar: “pense numa responsabilidade"! 

Logo de cara, assim que dobrou a esquina, minha esposa já o “tachou” de lindo. Também pudera, o gerente Rodrigo Gabrielli, da Nova Luz - concessionária Honda, em Fortaleza, afirmou que o público feminino é fall in love por ele, por isso, a opinião delas pesa muito na compra. 

Um dos trunfos do HR-V está na hora de estacionar. Como compacto, fica brincadeira e não aterroriza como acontece com os grandalhões! A mulherada, claro, bate palmas! E com câmera de ré, então dá gosto fazer balizas e mostrar até aos outros que sabe!!!!!!

Das versões, a que mais vende, segundo o gerente, é a EX, com câmbio automático e que custa R$ 94.600. Vende mais que a mais barata, a LX, manual, que sai por R$ 80.900. A mais top fica por conta da versão Touring, que custa R$ 107.900. Entre a mais barata e a mais cara há ainda duas versões intermediárias que devem caber no seu bolso.

Rodrigo destaca que além do preço atrativo, o modelo tem um alto valor de revenda. Por isso, uma das razões de sua maior procura. E o profissional fala com propriedade já que ano passado ganhou como “Melhor Carro de Revenda”. Avaliação feita em pesquisa na quarta edição do “Selo Maior Valor de Revenda – Autos, da Agência Auto Informe”. 

Botando pra correr

Não precisa ser um expert para notar que ele, o modelo, tem estilo atraente. Sem dúvida, além do design, esse detalhe que o faz campeão, há acabamento caprichado em todas as partes no interior e, nos elementos usados no painel e por toda a carroceria. Outras qualidades foram notadas na mecânica robusta e na eficiência gerada pelo econômico bloco de 1.8 litros flex do Honda HRV. O destino escolhido foi Paracuru, cerca de uma hora de distância de Fortaleza e olha: estabilidade, força de retomada (fazia ultrapassagens fácil, fácil), o aparato tecnológico e conforto foram os itens que me chamaram atenção.

No banco traseiro, meu pai chegou a mencionar o bom espaço interno. “Pensei que fosse pequeno”, soltou. Falei para ele que havia um sistema de rebatimento dos bancos e que totalmente abaixados gera um enorme espaço para bagagem e para outros objetos maiores. Esse fato, inclusive, também é um dos trunfos do HR-V para atrair clientela. Quem viaja, adora!  

A suspensão tem bom acerto entre conforto e estabilidade. Na estação da Petrobras, que fica no município,  entre piçarra e calçamento (rua de paralepipido) o carro se comportou bem.  A direção tem assistência elétrica, com pesos adequados para cada situação e o veículo se destaca pela agilidade. 

Em termos de consumo, ele é justo para o seu motor, de 1.8. Na estrada fez 12,1 km/l. Nada mal para o pequeno SUV da marca. Já na cidade, na zona urbana mesmo, faz 10,1 km/l. Média de muitos carros de passeio por aí, hein? Em uma conclusão rápida, percebi que não é só um fator que o faz campeão mas um conjunto de vários fatores que reunidos, realmente, o fazem o campeão!!!!!!!!!!!!

Serviço:

Concessionária Honda Nova Luz

Av. Santos Dumont, 6610(85) 3306-8484

Governo do Ceara

No mundo, Audi termina 2017 com recorde em vendas

12 de Janeiro de 2018 . Por Jota Pompílio

Com balanço positivo, a montadora das “quatro argolas” só tem a comemorar já que contabilizou um aumento em suas vendas globais pelo oitavo ano consecutivo! Números? Cerca de 1.878.100 de veículos da marca vendidos no planeta. Se compararmos, mais do que a metade da população de Fortaleza (CE). Na ponta do lápis, representa um crescimento de 0,6%. 

Na prática, a fabricante alemã vendeu mais do que no ano anterior em seus três principais mercados em 2017: nos Estados Unidos, alcançou novos recordes mês a mês e fechou o ano com um crescimento de 7,8%. Na China, a Audi não só conseguiu compensar os números do primeiro semestre do ano, como também atingiu um aumento acumulado de 1.1% no pico do final do ano. Já na Alemanha, as vendas superaram os números elevados de 2016, com um aumento de 0,4%. 

“Apesar de uma situação muito desafiadora, tivemos em 2017 um crescimento positivo em todos os principais mercados e alcançamos resultado recorde de vendas em todo o mundo. Todos os mercados contribuíram para esse desempenho. Isso demonstra a atratividade do nosso portfólio de produtos para nossos clientes”, disse Bram Schot, Membro do Conselho de Administração da AUDI AG para Vendas e Marketing. 

Puxando os olhos

Desde junho, a Audi conseguiu retomar o crescimento na China, reduzindo, mês a mês, a queda acumulada, alcançando um saldo positivo. No período de janeiro a dezembro, a marca aumentou suas entregas em 1,1%, para 597.866 carros. Com este novo recorde, a empresa continua a manter sua liderança no mercado premium chinês. A China também apresentou, no último mês de 2017, o maior crescimento em volume de qualquer mercado individual, com crescimento de 34,3% em relação ao ano anterior para 69.160 automóveis. Nunca antes, tantos clientes chineses receberam um Audi em um único mês. 

Na terra de Tio Sam

A Audi of America também teve outro resultado de sucesso, apesar do declínio do mercado em geral. A Audi foi o único fabricante premium nos Estados Unidos a crescer de maneira constante em 2017, com aumento de 7,8% para 226.511 unidades. Em dezembro, a empresa também comemorou seu 84º mês consecutivo de recordes (+16,3% para 26.977 unidades). Com forte crescimento ao longo do ano, a Audi Canadá (+17,9% para 36,007 carros) também figurou frequentemente entre os dez maiores mercados da marca. 

Em casa

Apesar das numerosas incertezas políticas e econômicas, as vendas na Europa aumentaram 0,4% para cerca de 860.600 carros. Além da Alemanha (+0,4% para 294.544 unidades), a Itália (+10,5% para 68.954 carros) e a França (+3,6% para 63.980) alcançaram novos números recordes anuais. A desaceleração do mercado no Reino Unido teve um impacto negativo nos resultados gerais: com 175.217 entregas e uma queda de 1,3%, o total de vendas da Audi no Reino Unido, no entanto, superou confortavelmente o mercado geral em declínio. O aumento global da demanda pelos modelos Q (+10,8% para cerca de 689.150 unidades) foi um importante fator no crescimento da montadora em 2017. Mais de um de cada três modelos Audi vendidos era, portanto, um SUV. O modelo Q mais vendido na Europa é o Q2. Além da Alemanha (23.167 unidades), outros grandes compradores foram o Reino Unido (12.636 unidades) e a Itália (11.068 unidades). As vendas globais do Audi Q3 aumentaram mais uma vez em dezembro (+11,3% para cerca de 20.950 carros). 

Queridinhos bom de venda

Em 2017, o modelo mais bem-sucedido da família Q foi o Audi Q5, com cerca de 281.850 entregas. A maioria dos carros foram entregues na China. Seu sucessor começará a ser vendido nas lojas chinesas na primavera de 2018 do hemisfério norte como uma versão de longa distância entre eixos. O Audi Q7 também viu suas vendas aumentar em 3,9% em 2017. Desde o início do ano, as comercializações desse SUV full-size cresceram em cerca de 20% somente na América do Norte, para cerca de 43.800 unidades.   


Beach Park

Harley-Davidson fecha 2017 com crescimento no Brasil

11 de Janeiro de 2018 . Por Jota Pompílio

Apesar da economia recessiva e o segmento de motocicletas um pouco em queda, em dezembro do ano passado, entre as montadoras que fabricam modelos de mais de 600 cilindradas, a Harley-Davidson foi só festa: registrou o primeiro lugar em participação de mercado, com 21%. 

No acumulado do ano, a legendária montadora registrou também força e crescimento, já que a marca teve 17,6% de participação, em comparação aos 13,7% de 2016. Com isso, a companhia torna-se uma das únicas que teve crescimento de market share no período anterior. 

Em Fortaleza, na Newroad - revendedora cearense da marca, “2017 foi um ano muito bom, tanto para a moto zero-quilômetro como para as seminovas, apesar do cenário político instável”, revela Pedro Lima, gerente geral da Autorizada (à esquerda). Segundo ele, o modelo que mais vendeu foi a Fat Boy (embaixo) e que hoje custa R$ 69.980, na versão de motor 107. “Na versão de motor 114, o preço é R$ 76.480”, detalha o profissional. 

Segundo a fabricante, o ano de 2017 foi de grandes desafios, mas de bons resultados para a Harley-Davidson do Brasil, que registrou 5.295 unidades fabricadas, crescimento de 12,2% em relação às 4.719 unidades produzidas em 2016. Isso se deve ao lançamento da linha 2018 que, com novos modelos no mercado nacional e uma família de motocicletas totalmente renovada, já estava disponível no último mês do ano em toda a rede de concessionárias da marca no País. 

Planos para o futuro 

Para os próximos 10 anos, a Harley-Davidson Motor Company vai lançar 100 modelos em todo o mundo, uma estratégia agressiva a longo prazo, como parte das ações ligadas também à nova estratégia de comunicação global da companhia, “All For Freedom, Freedom For All”, que é a expressão de como a H-D vê o futuro, com intuito de construir as próximas gerações de pilotos da marca. 

Renovação pela compra

O Harley Own é uma modalidade de compra exclusiva para as motocicletas da linha 2018, ideal para novos e também atuais clientes que desejam adquirir uma motocicleta nova a cada dois ou três anos. É também o plano de compra com mais vantagens em relação aos métodos tradicionais, como financiamento e consórcio. 

Como funciona

O cliente paga uma entrada a partir de 30% do valor da moto e pode realizar o pagamento do restante em 23, 29 ou 35 parcelas iguais, sendo que a última equivale a 50% do valor da moto. As parcelas do Harley Own chegam a ser até 45% menores que as de um financiamento tradicional e o plano oferece ainda recompra garantida em contrato, com pagamento de, no mínimo, 50% do valor da nota fiscal. 

No final do contrato, o cliente pode escolher, entre as três opções possíveis, a que mais se enquadrar em seu estilo de vida. É possível quitar o valor e permanecer com a moto, continuar com a Harley-Davidson e refinanciar o saldo restante ou, também, trocar por um modelo novo, com garantia de recompra da atual pela concessionária, sendo a diferença do saldo restante, junto com o o valor da recompra, o valor de entrada da nova motocicleta a ser adquirida.




Prefeitura de Fortaleza

Google revela quais carros foram os mais pesquisados em 2017

09 de Janeiro de 2018 . Por Jota Pompílio

A gigante Google, empresa multinacional de busca, fez um balanço e divulgou os veículos automotores que mais geraram interesse e curiosidade por parte dos internautas em 2017, no Brasil. Na ponta, estão Onix (GM), o Civic (Honda) e o Creta (Hyundai). A pesquisa bate, pois basta olhar o desempenho de cada um no mercado brasileiro: todos tiveram pelo menos entre os três primeiros em vendas. 

Entre as picapes, o modelo mais procurado foi a Saveiro, da Volkswagen. Seguido logo depois pela S-10 (GM) e Hilux (Toyota). Já no universo dos hatchs, depois do Onix aparece o HB20 e em seguida o Gol. Destaque para o Argo (Fiat), lançamento recente, mas que já é o quarto mais buscado no Google. O Kwid (Renault), apesar de todo o barulho que a montadora fez, ficou em quinto.

Entre os sedãs, o Corolla (Toyota) é o segundo e o Cruze (GM) o terceiro, mas o Jetta (Volks) e o Fusion (Ford) também estão entre os dez mais. Porém, na realidade, isto é, no mundo real, o Corolla vendeu mais que o Civic.

Líder em busca entre os utilitários esportivos, o Creta é seguido pelo Ecosport (Ford) e o Nissan Kicks (Nissan). Em seguida aparecem o Jeep Compass e o Honda HRV. Mesmo não sendo um veículo de grande volume, o Land Rover Evoque também está entre os mais buscados.  No mundo real, é bom salientar que o Compass (Jeep) e o HR-V (Honda) foram os SUVs mais vendidos em 2017.


Montadoras

Na relação por marca, a Chevrolet é a campeão, seguida pela Fiat e pela Volkswagen, as mesmas posições do ranking de vendas. Mas a Honda, que em vendas é a oitava colocada, aparece como quarta marca mais buscara no Google este ano. Outro destaque é a presença da BMW que está na décima posição. A pesquisa só ficou devendo porque não informou o número de buscas realizadas e sim só o ranking.