São Luiz

Ford aprimora linguagem de luzes para carros autônomos

04 de Outubro de 2018 . Por Jota Pompílio

Que tal antecipar o que o carro vai fazer através de um simples jogo de luz? A Ford quer chegar lá. Segundo a fabricante, o objetivo é criar uma linguagem universal de luzes para que todos os usuários das ruas – pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas – possam entender se o veículo autônomo pretende partir, parar ou simplesmente seguir em frente. “Para que a tecnologia de carros autônomos tenha sucesso é vital todos terem confiança em como ela funciona”, diz John Shutko, especialista técnico de Fatores Humanos para Veículos Autônomos da Ford. “Por isso, estamos trabalhando junto com todos os desenvolvedores, empresas automotivas e de tecnologia para criar um padrão na indústria.”

Para isso, a Ford continua a trabalhar também com a Organização Internacional de Normalização (ISO) e a Sociedade de Engenheiros Automotivos (SAE). Os três pontos principais da padronização são o design e a cor dos sinais e o local de sua instalação no veículo.

Códigos de luz

No ano passado, a Ford testou junto com o Virginia Tech Transportation Institute (VTTI) um sistema de sinalização montado no teto de uma Transit. A van era dirigida por um motorista, mas ele foi camuflado com um traje especial para simular um veículo autônomo. Equipada com múltiplas câmeras, a van rodou mais de 3.000 km e registrou as reações das pessoas diante de três códigos de luz:

•         Parando: duas luzes brancas se movendo de um lado para o outro, indicando que o veículo vai parar completamente;

•         Modo de direção ativo: uma luz branca contínua para sinalizar que o veículo pretende continuar no seu trajeto atual – apesar de poder reagir a outros usuários da pista;

•         Pronto para partir: uma luz branca piscando rapidamente, comunicando que o veículo começa a acelerar depois de uma parada.

Todas as imagens foram catalogadas e mostraram que os sinais não geraram nenhum comportamento inseguro nos usuários. Para comprovar essa aceitação, a Ford explica que outro estudo foi realizado em um ambiente de realidade virtual. Os participantes foram colocados em uma esquina diante de vários veículos circulando em um cruzamento, alguns deles equipados com os sinais luminosos e outros não, para observar sua reação. Mesmo sem receber nenhuma explicação prévia, eles precisaram de apenas cerca de duas exposições para aprender o significado de um sinal e de cinco a dez exposições para entender todos os três sinais.

“O mais encorajador desse estudo foi mostrar que os sinais aumentam a confiança das pessoas nos veículos autônomos quando elas conseguem entender melhor a sua movimentação”, explica John Shutko.

Próximo passo

Como próximo passo, o sistema será testado novamente no mundo real. A Argo AI vai observar as reações dos usuários das ruas usando uma pequena frota de Fusion Hybrid autônomos de pesquisa na região de Miami, na Flórida. Pesquisas também estão sendo realizadas na Europa para entender como os sinais são compreendidos em outras regiões e culturas.“É essencial que o padrão adotado seja compreendido tão rapidamente quanto uma luz de freio ou uma luz de seta”, completa John Shutko. “Estamos abertos a trabalhar juntos para que os veículos autônomos sejam integrados à sociedade sem confundir as pessoas.” 

Soho Logo

A evolução do Audi R8 LMS no Salão de Paris

03 de Outubro de 2018 . Por Jota Pompílio

Para os amantes de velocidade os olhos, com certeza, brilharam ao ver o Audi Sport customer racing apresentar seu quarto novo modelo em apenas quatro anos. A nova versão do modelo, bem-sucedido em corridas de alta velocidade e resistência em todo o mundo, é adaptada às exigências do cliente com relação à tecnologia e custos de operação.

Carro que após o lançamento mundial em Paris, a Audi Sport entregará os primeiros carros de corrida para clientes em novembro, por 398 mil euros. O kit de evolução para readaptação de gerações de modelos anteriores custa 28 mil euros. Após homologação da FIA, os carros de corrida competirão mundo afora por pontos, vitórias e títulos a partir de janeiro.

“Ao desenvolver a evolução do carro, colocamos maior foco em nossos clientes e suas necessidades”, diz Chris Reinke. “O estágio de pré-design para a segunda evolução da geração atual do nosso modelo foi baseado em diversas discussões com nossas equipes.” Além dos pilotos profissionais, que fazem sucesso com esses carros de corrida, pilotos amadores também conquistaram vitórias de classe ou títulos gerais na América, Ásia, Austrália, Nova Zelândia e Europa. 

Durante o desenvolvimento do projeto da evolução mais recente, a Audi Sport se concentrou em fornecer a esses clientes uma base técnica ainda melhor que a oferecida antes. A otimização da aerodinâmica e do sistema de resfriamento fornece maior consistência sob diversas condições de pilotagem dinâmica. A durabilidade dos elementos da transmissão é outra área de foco.

Para as equipes, o pacote de evolução do R8 LMS compensa em termos de corrida e economia: modificações moderadas do conceito geral e maiores intervalos entre manutenções para a embreagem e a transmissão representam investimentos sensíveis que prometem sucesso em corridas e oferecem suporte aos amadores. Independentemente se as equipes já sejam proprietárias de um R8 LMS de segunda geração ou comprem um modelo novo: as alterações trazem benefícios a todos e também são adequadas para a readaptação de carros de corrida anteriores.


Vamos ser direto: em tamanho ele será menor que o RX 350 e NX 300 e com um preço mais convidativo. Porém, com uma missão bem clara: desbancar marcas e modelos nesse segmento bem ambicionado, o de SUVs compactos, como Mercedes-Benz GLA, Volvo XC40, BMW X2 e Audi Q3. Assim é o UX da marca premium Lexus.

Na prática, o Lexus UX chegará em 2019 (o mês é desconhecido) com a missão de deixar a marca mais próxima dos consumidores premium que ainda estão começando sua vida nesse mercado de SUVs. Segmento esse que mais cresce em nosso País.  A montadora não revelou sobre o preço que será cobrado no Brasil, mas promete um valor competitivo, visto que o NX parte de R$ 259.990.

Pelas fotos, o que se nota é um visual bem agressivo como seus “irmãos”, apresentando grade em “X” com grande boca na parte inferior, bem como faróis cerrados com LEDs diurnos em forma de seta e múltiplas lentes de LED no projetor. Grandes aberturas verticais nas laterais também chamam atenção. Dotado de linha de cintura elevada, janelas pequenas e colunas C bem espessas, o modelo tem uma aparência robusta, chamando atenção pelas saias de rodas que buscam fluidez.

Na traseira, o Lexus UX possui lanternas em LED unidas por um feixe central e extremidades bem ressaltadas. Tampa do porta-malas e para-choque se fundem uma peça só, enquanto a moldura inferior se projeta com detalhes em preto brilhante. Com 4,49 m de comprimento, 1,84 m de largura, 1,52 m de altura e 2,64 m de entre-eixos, o crossover se aproxima mais de GLA e X2 em proposta, sendo mais focado no asfalto.

Equipado com motor 2.0 aspirado, o Lexus UX vem com 178 cavalos e tem câmbio Direct Shift-CVT, que utiliza engrenagens nas saídas para dar melhor resposta ao acelerador, eliminando assim o tradicional escorregamento do CVT nessa situação. O modelo acelera de 0 a 100 km/h em 8,6 segundos, um bom número considerando que estamos falando de um carro híbrido com motor a combustão aspirado que pesa 1.635 kg.

No Brasil, a Lexus venderá apenas o UX 250h, a versão híbrida. Ela vem com um novo conjunto que combina um motor 2.0 a gasolina de quatro cilindros acoplado a dois motores elétricos num transeixo híbrido de nova geração mais compacto. 

Pipo

Aprovado! Porsche 911 Speedster terá sua produção em série

02 de Outubro de 2018 . Por Jota Pompílio

O que era projeto, rabiscos sobre papeis, vai virar realidade. Apresentado em junho, na Alemanha, o 911 Speedster Concept entrará em produção para o ano, 2019. O futuro 911 Speedster, baseado na linha 991, será o primeiro carro a ser oferecido com os novos pacotes Heritage Design. O que isso significa? Essa linha exclusiva de acessórios da Porsche Exclusive permite um grau de personalização ainda maior para o 911.

Além da pintura cativante, a rodas de 21 polegadas com cubo rápido são outro destaque visual deste último estudo conceitual apresentado em Paris. O design de suas rodas, com raios cruzados, é semelhante ao dos carros de competição da Porsche, como o 911 RSR e o GT3 R. As luzes de condução diurna escurecidas também são inspiradas pelas corridas: combinando com a pintura do modelo de estudo, elas foram mantidas vermelhas. Os dois espelhos retrovisores externos, com formato "Talbot", assim como a tampa do tanque de combustível, posicionada no centro do capô, brilham em cromo negro e platina. Em contraste com a versão "Heritage" mostrada anteriormente, o interior utiliza couro preto parcialmente perfurado, ressaltado por toques vermelhos. 

Todos os componentes da carroceria, assim como toda a tecnologia de ambos os carros 911 Speedster Concept são idênticos. Isso inclui as molduras das janelas encurtadas, com seus painéis superiores carenados e as janelas laterais com tamanho menor, assim como o capô traseiro em fibra de carbono com cobertura com dupla bolha atrás dos bancos. Os dois carros vêm com uma cobertura leve tipo Tonneau, equipada com botões Tenax, no lugar de uma capota conversível de tecido. 

A carroceria dos carros conceito é baseada no 911 Carrera 4 Cabriolet. Os para-lamas, assim como os capôs dianteiro e traseiro, são feitos de material composto de fibra de carbono, enquanto o chassi foi tirado do 911 GT3. Além disso, o departamento de desenvolvimento da linha GT forneceu o sistema de escapamento com suas ponteiras de titânio e o trem de força, incluindo a caixa de câmbio manual de seis velocidades. O mesmo ocorre com a peça central da edição especial limitada: o Speedster Concept é impulsionado por um motor de seis cilindros horizontais naturalmente aspirado desenvolvendo mais de 500 hp e capaz de atingir rotações de até 9.000 giros por minuto.

A montadora

A Porsche Brasil, com sede em São Paulo, é a primeira subsidiária Porsche na América Latina, tendo a sua operação iniciada em julho de 2015. A rede Porsche no Brasil está presente nas seguintes praças: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Campinas, Florianópolis, Brasília e Ribeirão Preto.

Para quem gosta de carro 4 x 4, mas não abre mão dele ser premium, o SUV da BMW, o X1, um dos mais vendidos do país em 2017 em sua categoria, está com uma oportunidade especial para compra durante este mês de outubro. 

Disponível na rede de concessionárias autorizadas BMW no país, a linha 2018 do SAV (Utilitário de Atividade Esportiva) pode ser adquirida com descontos de até R$ 13 mil. É o caso do BMW X1 xDrive25i Sport ActiveFlex 2018/18, que tem preço sugerido de tabela de R$ 232.950, mas pode ser adquirido por R$ 219.950 para pagamento efetuado no ato da compra. Em Fortaleza, a Welle Motors é quem representa a marca. Fica perto da praia do Futuro

E não acaba não. As versões sDrive20i X Line ActiveFlex 2018/2018 e sDrive20i GP ActiveFlex 2018/18, por sua vez, contam com abatimento de R$ 12 mil – de R$ 206.950 por R$ 194.950 e de R$ 191.950 por R$ 179.950, respectivamente – também para compras à vista. As condições exclusivas incluem ainda vantagens disponibilizadas pela BMW Serviços Financeiros, como taxa 0,59% para planos de financiamento de 24 meses, com 60% de entrada. 

A BMW afirma que além dos bônus especiais e do plano de financiamento diferenciado, a ação abrange também 3 anos de manutenção do veículo grátis – ou até 40.000 quilômetros (o critério que for alcançado primeiro) –, de acordo com o programa BMW Service Inclusive (BSI), IPVA (Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e emplacamento 2018 também grátis. Essas condições são válidas em todo o Brasil, durante o mês de outubro ou enquanto durarem os estoques. 

Quem é o BMW X1

Produzido na fábrica do BMW Group em Araquari (SC) desde novembro de 2014, o BMW X1 está em sua segunda geração e é disponibilizado no país nas versões sDrive20i GP, sDrive20i X Line e xDrive25i Sport; todas equipadas com motor de quatro cilindros em linha. Nas versões com motor 20i, de 1.998 cm³, a potência é de 192 cavalos e o torque máximo atinge 280 Nm. Neste caso, ambos estão conectados a um câmbio automático esportivo Steptronic, de oito marchas. 

A opção top de linha xDrive25i vem com o mesmo conjunto mecânico, mas apto a entregar 231 cv e 350 Nm de toque, e que está acoplado à tração integral inteligente BMW xDrive – todos dotados de tecnologia TwinPower Turbo ActiveFlex. O BMW X1 fechou o ano de 2017 como o utilitário esportivo premium mais vendido do Brasil, com um total de 4.137 unidades emplacadas. Entre os principais equipamentos do X1 xDrive25i destacam-se faróis Full-LED, teto solar panorâmico e abertura e fechamento automático do porta-malas.