Lenita Negrao Apoio

Equinox, da GM, chega ao Ceará em missão impossível

18 de Outubro de 2017 . Por Jota Pompílio

Parece que foi um presente! O tão esperado e já badalado SUV da Chevrolet, o Equinox, chega na concessionária cearense, a Sanauto, que fez aniversário recentemente. O modelo pertence ao segmento dos utilitários esportivos, que não para de crescer e tem pela frente uma missão duríssima: estancar as vendas do principal concorrente, o Jeep Compass, que já disputa um lugar entre os dez carros mais vendidos no Brasil. Bom, para quem peitou Gol, Palio, líderes há anos e os destronou, como fez o Ônix, a Chevrolet pode chegar lá!

O veículo começa a ser vendido em uma única versão e vem recheado de tecnologia. O motor? Um 2.0 de 262 cavalos - usado na versão básica do Camaro - com transmissão automática de nove marchas. O Equinox mostra força também: atinge 100 km/h em 7,6 segundos, mesmo sendo um carro pesado, 1,6 tonelada. E segundo a fabricante, tem um bom consumo: faz 8,4 quilômetros com um litro de gasolina na cidade.

Para Henrique Brito, diretor comercial da Sanauto – uma das concessionárias GM, em Fortaleza – o que mais o impressiona é o power train, que gera os 262 cv e “entrega o desempenho de um carro esportivo. Sem contar na tecnologia embarcada e pacote de itens de conforto e segurança”, salienta. Ele pondera que o perfil do comprador deste carro será mais do gênero masculino, acima dos 35 anos de idade. O valor do carro? Henrique afirma que é de R$ 149.900.

Segurança é tudo!

O carro tem frenagem automática de emergência, alerta de esquecimento de criança no banco de trás, star stop, controle de balanço do reboque com atenuação de capotamento: quando o motorista começa a perder o controle do reboque, o sistema corrige para não ocorrer o acidente.

O Equinox tem também assistência de permanência na faixa de rolamento, que é acionado quando o motorista perde o controle da direção. Vem com alenta de proximidade na traseira: uma trepidação no banco indica o lado em que está a pessoa.

O farol também é inteligente, ao deparar com uma pista com baixa luminosidade, o farol alto é ligado automaticamente Tem ajustes elétricos dos bancos com memória em todas as direções, sistema de estacionamento semi automático longitudinal e transversal..

Estratégia

Segundo a GM, a opção de versão única e redução de opcionais tem o objetivo de valorizar o consumidor, que consegue obter um bom valor do seu carro no mercado de usados. 

Dados

Para quem gosta de dados, o segmento SUV aumentou de 6,8% para 17,4%, de 2012 para cá, em 2017.

Logo Ironman

Yaris, o Toyota brasileiro já recheado de mistéééério

17 de Outubro de 2017 . Por Jota Pompílio

No mês passado, a Toyota bateu o martelo que o Yaris será produzido no Brasil e disse à queima roupa que irá investir R$ 1 bilhão na fábrica, em Sorocaba (SP), para viabilizar a produção do inédito modelo. Veículo este que ficará posicionado, segundo a fabricante nipônica, entre Etios e Corolla. 

Na apresentação, a montadora japonesa fez questão de manter “a sete chaves” as especificações técnicas do hatch que deverá ser lançado no ano que vem, em 2018. É como disse uma das personagens da novela (Tieta) que está sendo reprisada, Dona Milu: “mistéééério”. 

Especulação daqui, especulação dali, nos bastidores cota-se que ele será oferecido com o motor 1.5 16V Dual VVT-i Flex do Etios, capaz de gerar até 107 cv e 14,7 kgfm de torque – números bem próximos do Fiat Argo 1.3. Há também quem pense por outro prisma, que ele virá com motor mais potente, como Gabriela Carvalho, gerente comercial da Newland (foto) – autorizada da marca em Fortaleza. A profissional avalia que o Yaris veio pra agregar o portfólio da Toyota em um segmento que ainda não existe. “Portanto, eu definiria o Yaris na categoria dos ‘compactos premiums’. Quanto à motorização, não se tem nada oficial. Não temos como afirmar. Mas com certeza, deverá vir acima de 1.5 flex, uma vez que o próprio Etios já vem com essa motorização”, ressalta Gabriela. 

Sobre uma possível canibalização, isto é, do novato Yaris tirar vendas de seus irmãos, Corolla ou Etios, a diretora pondera e afirma que ele deverá ficar entre o Etios e o Corolla sim, mas cada qual em seus segmentos. “Não creio que irá ter uma canibalização, pois cada produto tem seu nicho bem definido. O Etios, na categoria dos compactos e sedãs de entrada, o Yaris já nos compactos premium e o Corolla nos sedãs médios”, detalha.

Já que a Toyota não dá as especificações oficiais, profissionais da mídia e alguns dando uma de *Sherlock Holmes sugerem, por informações cruzadas, que as versões mais caras e completas (que devem chegar na casa dos R$ 75 mil), trarão sob o capô o 1.8 do Corolla, capaz de produzir 144 cv e entregar 18,6 kgfm de torque com etanol.  Bom, é como disse o detetive, “elementar, meu caro Watson!". 

Vida real, modelos reais

Deixando o planeta especulativo de lado, vamos aos concretos, ok? Em Fortaleza, atualmente, o modelo que mais vende na Newland, segundo ela, é o Etios, “pois trata-se de um carro de volume e por estar num segmento de carros populares, juntamente, com as montadoras de grande giro como Fiat, GM e VW, acaba tendo uma maior representatividade em nosso volume total de vendas, que é em torno de 40%”, contabiliza. Na Newland, o Etios custa hoje R$ 48.990. Porém, a autorizada cearense até sábado está com uma promoção, de R$ 45.990. Isso o que a Road In andou sondando.

Em segundo, a expert em marketing afirma que é o Corolla “que, diga-se de passagem, é o carro mais vendido do mundo com 30%”, salienta. Depois, a Hilux com 20% e SW4 com 10%. “Contudo, todos eles com uma participação de mercado acima da média nacional”, pondera. O Corolla custa R$ 94.000, o de entrada.

Sobre uma possível queda nas vendas quando o SW4 era o “carro da polícia”, que custa R$ 165.800, a flex, Gabriela mostra o contrário. Ela diz que a demanda pela SW4 sempre foi alta. Mesmo quando existia esse modelo no Projeto Ronda, “as vendas permaneceram estáveis, sem nenhum tipo de interferência, seja ela positiva ou negativa. A SW4 dentro do segmento em que atua, detém cerca de 70% a 80% do mercado nas praças em que atuamos”, finaliza. 

*Detetive famoso criado pela ficção na Literatura inglesa através do médico e escritor Sir Arthur Conan Doyle. 

Ldb-apoio

Em circuito, Ford estreia o Mustang GT4 V8

13 de Outubro de 2017 . Por Jota Pompílio

Para quem gosta de adrenalina e competição, a Ford promove neste final de semana a estreia europeia do Mustang GT4, modelo global projetado especialmente para as pistas pela Ford Performance, divisão da marca dedicada a veículos de competição e alto desempenho. O modelo fará uma corrida de exibição no Circuito Paul Ricard, dentro da grande final do campeonato francês FFSA GT, válida pela copa sul-europeia GT4 2017.

O Mustang GT4 tem um motor V8 5.2 de competição naturalmente aspirado com sistema de cárter seco, desenvolvido pela Ford em parceria com a preparadora Roush Yates Engines. Sua transmissão de seis velocidades, leve e compacta, usa trocas paddle-shift com ativação direta pneumática e dupla embreagem.

É equipado também com suspensão dinâmica, rodas forjadas de alumínio de 18 polegadas e freios Brembo de seis pistões. Seu conjunto aerodinâmico inclui difusores dianteiro e traseiro, aberturas no capô e aerofólio traseiro desenvolvido com base na experiência do programa do Ford GT.

“A melhor maneira de mostrar o que um carro é capaz de fazer é colocá-lo na pista de corrida”, diz Dave Pericak, diretor global da Ford Performance. “Esse é o nosso objetivo em Paul Ricard. Já tivemos sucesso com o Ford Mustang GT4 nos EUA. Agora é hora de mostrar aos potenciais clientes o que ele pode fazer em uma pista europeia respeitada como Paul Ricard.”

O Ford Mustang GT4 traz várias conquistas da sua temporada de estreia no campeonato IMSA Continental Tire SportsCar, incluindo poles nas duas primeiras corridas (Daytona e Sebring) e vitórias em Sebring, Watkins Glen e Road America. Para pilotá-lo, a Ford Performance trouxe o veterano Scott Maxwell, que participou do desenvolvimento do carro e de vitórias nos EUA.“Eu nunca corri em Paul Ricard, mas estou muito animado para ver o que este carro pode fazer lá contra bons competidores”, diz Maxwell.

“É um ótimo lugar para mostrar o carro a potenciais clientes da Europa e, o mais importante, um grande momento para correr com esportivos na Ford. Primeiro, tivemos o BOSS 302R, depois o Shelby GT350R-C e, agora, o Mustang GT4. É ótimo ver a Ford aumentar a presença do Mustang em todo o mundo, não só no mercado mas também nas pistas.”

Governo do Ceara

Porsche vende mais que ano passado

11 de Outubro de 2017 . Por Jota Pompílio

Contra fatos não há argumentos. No caso da fabricante de luxo, os números não mentem: após os primeiros nove meses de 2017, a Porsche entregou 185.898 veículos em todo o mundo, superando os números do ano anterior em quatro por cento.

O novo Panamera (foto acima) contribuiu de forma especial para este sucesso: as entregas do carro esportivo de quatro lugares cresceram 73 por cento, chegando a mais de 19.000 veículos. Porém, a linha de modelos de maior volume da Porsche, a Macan (abaixo), também registrou um crescimento de três por cento, alcançando um volume de vendas de mais de 73.000 unidades. O Cayenne também manteve uma demanda bastante alta, com mais de 49.000 unidades entregues (menos três por cento).

Na terra do panda

Esse número foi alcançado apesar da nova geração do SUV já ter sido apresentada ao público. A China continua sendo o mercado individual mais forte para a fabricante de carros esportivos baseada em Stuttgart, com mais de 54.000 unidades entregues, seguida pelos Estados Unidos, com mais de 41.000 veículos vendidos.

"Estamos otimistas no sentido de que os números de 2017 irão superar os altos níveis do ano passado. Isso se deve ao fato de estarmos oferecendo uma gama de produtos mais atraente do que a Porsche jamais teve", explicou Detlev von Platen, membro do Conselho Executivo da Porsche AG responsável por Vendas e Marketing. "O novo Panamera consegue satisfazer altas expectativas e reafirma nossa estratégia de produtos baseada na versão híbrida como modelo topo de linha", acrescentou Platen. "No momento, um em cada quatro Panameras entregues é um modelo híbrido. E agora estamos ganhando terreno com o novo Cayenne."

A Porsche obteve um crescimento de dois dígitos (+ 10 por cento) no mercado chinês e o carro esportivo de dois lugares também chamou a atenção de mais e mais compradores do tradicional mercado de SUVs. Um novo Porsche Experience Centre deverá ser construído em Xangai para que mais clientes possam ter oportunidade de usufruir uma experiência de condução especial em um Porsche. 

Na Europa, a Porsche entregou 60.838 unidades (mais quatro por cento) nos primeiros três trimestres do ano. No mercado doméstico da empresa, a Alemanha, um total de 21.880 veículos foram repassados aos clientes, quantidade quase igual ao alto nível alcançado no ano passado. A Porsche também deu continuidade à sua história de sucesso nos EUA, entregando 41.237 veículos, um crescimento de dois por cento.

No Brasil

nos nove primeiros meses do ano foram entregues 860 veículos aos clientes da marca no país, um acréscimo de dezesseis por cento comparados ao mesmo período em 2016. Os modelos mais vendidos, nesta ordem foram: Macan, Cayenne e o 911

Sobre a Porsche

A fabricante alemã no Brasil tem sede em São Paulo e é a primeira subsidiária da Porsche na América Latina, tendo a sua operação iniciada em julho de 2015 no país. A rede de concessionárias da Porsche no Brasil possui, atualmente, nove pontos de vendas. A marca pode ser encontrada, tanto para vendas como nos serviços de pós-vendas nas seguintes praças: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Campinas, Florianópolis, Brasília e Ribeirão Preto.

Governo do Ceara

Audi Center: sociedade em quatro argolas

10 de Outubro de 2017 . Por Jota Pompílio

O cearense George Lima, diretor institucional da Audi Center Fortaleza (embaixo, à esquerda), torna-se sócio e acumula mais uma função a partir deste mês na autorizada alemã. Além do cargo que ocupa, atuará também como diretor comercial das concessionárias Audi, a do Maranhão e Ceará.

No segmento automotivo há 24 anos, George pondera que o ponto forte desse novo momento está na parceria, onde poderá usar o respaldo financeiro de Marcos Dias Branco (acima, à direita), a credibilidade e qualidade que a Audi tem no mercado e seu tino comercial para as vendas na forma pessoal de tratar os clientes. “Estar mais perto dos clientes, fazer um trabalho corpo a corpo, da mais aceleração as negociações e conseguir resultados mais volumosos será a minha meta”, diz. 

Sobre o mercado premium, ele afirma que devagarinho voltou a crescer. Por quê?  Sua linha de raciocínio é a seguinte: “clientes que compraram carros há quatro anos deverão passar para frente e comprar carros novos. E isso vai acarretar futuras vendas. Estou otimista enquanto a isso”, declara.

Sobre os modelos da Audi, ele salienta que o SUV Q3 está “bombando”, isto é, está tendo boa saída.  " O A3 sedan também e com uma vantagem. Ele está no mesmo patamar de preço com carros japoneses e entrega mais tecnologia que esses carros".  Sobre o Q5 blindado que está prestes a ser lançado pela a Audi, George revela que já tem três encomendados.  

Quem é o cliente Audi

Para a consultora Dayse Mazzini, “hoje a gente pode dizer que o mercado está voltando ao normal”. Na disputa interna, entre o A3 hatch e o sedan, o segundo leva vantagem. A profissional explica que a causa é “porque agora o sedan é versão nacional, já é flex e a gente tem uma condição de preço bem melhor do que o hatch que é importado”, detalha. Hoje, na autorizada cearense,  o A3 sedan promocional custa R$ 107.990,00 e o Q3 a partir de R$ 154.990,00.

A profissional ressalta que o comprador de um Audi tem dois perfis. “Com o A3 no mercado agente acaba pegando cliente do Corolla, Civic que antes não comprava carro importado. Na faixa de R$ 110.000, R$ 115.000 e que hoje a Audi trabalha muito forte já que BMW e Mercedes não tem essa faixa etária de preço”.

Segundo Dayse, o outro perfil fica por conta do cliente que gosta “realmente de carro acima de R$ 200.000, muitas vezes a diesel, de luxo, de modelo esportivo, como a linha S e RS onde a gente tem pronta entrega”, acrescenta. Em termos de novidades na concessionária, ela cita A5, Q5 e Q7 a diesel.   

Mais informações

Audi Center

Endereço: Av. Santos Dumont, 6300 - Aldeota, Fortaleza - CE, 60150-161

Horário: Aberto hoje · 08:00–19:00

Telefone: (85) 3266-1700