Nos últimos anos, muitas pessoas pesquisaram a palavra “híbrido”, que era e ainda é muito usado para quem estuda Biologia. Hoje, porém, para quem tem automóvel, o termo ganhou força e há uma montadora que faz disso uma regra e só concebe modelos “híbridos”, a Lexus!

Montadora que só fabrica carros de luxo da Toyota, a Lexus apostou nessa ideia. “Ela é a primeira fabricante a  ter todos os seus modelos totalmente híbridos”, lembra Glauco Feitosa, gerente da Lexus Fortaleza do Grupo Newland.

Segundo o profissional, o sistema é inovador, “pois é auto recarregável, sem a necessidade de tomadas, estando seu carro pronto para uso a qualquer momento. Na prática, o melhor dos dois mundos, pois conta com o motor a combustão e o motor elétrico em um único Lexus”, destaca o expert. O grande trunfo é que não precisamos parar para recarregar o sistema, sem custo com tomadas ou ficar procurando uma por aí em postos.

Entenda o funcionamento 

Glauco explica que os modelos da Lexus contam com duas formas de motorização. “Em quase todos os modelos, há um propulsor a gasolina e um outro elétrico. Felizmente, a maioria dos híbridos consegue aproveitar o próprio movimento do carro para gerar energia”, ressalta.

O meio ambiente agradece

Para ter uma ideia do impacto positivo desses veículos, veja um exemplo: um carro comum emite em torno de 110 g de CO²  por quilômetro rodado, enquanto um automóvel híbrido fica por volta das 70 gramas. 

Já imaginou ter um carro que, em alguns momentos, pode gerar sua própria energia? Parece muito futurístico, mas não é. Em situações como a descida de uma ladeira, veículos híbridos aproveitam a energia cinética para recarregar as baterias. “E essa mesma energia pode ser usada para carregar seu smartphone dentro do carro. Incrível, não acha?”, pondera Glauco.

Economia de combustível

Imagine ter um automóvel que consegue percorrer 18,9 km com apenas 1 litro de combustível na cidade. Esta economia fantástica é o que mais atrai as pessoas para os carros híbridos. Por serem carros altamente tecnológicos, eles conseguem usar o motor a gasolina apenas em situações de real necessidade. Por exemplo: ao trafegar abaixo dos 50 km/h ou fazer manobras de estacionamento, o propulsor atuante é o elétrico.

Se essa moda pega!

Rodízio em Fortaleza, por enquanto, não existe! Mas na grande São Paulo, o condutor que trafega em horários e locais não permitidos comete infração média. O resultado é uma multa de R$ 130,16 e quatro pontos na carteira. Isso pesa no bolso e na liberdade de muitos.

Para evitar que os consumidores comprem mais um automóvel extra, poluidor, para fugir do rodízio, a prefeitura de São Paulo isentou os automóveis híbridos. A ideia é que as pessoas troquem os veículos a gasolina por um que seja sustentável.

Umas das características do modelo híbrido é ao dar partida o silêncio é absoluto, a potência do motor elétrico já está toda a disposição, lhe proporcionando uma experiência de condução silenciosa e eficiente.  “O gerenciamento do uso dos motores é feito pelo carro de acordo com a condução do motorista. Conforme seja preciso vai estar sendo usado um motor ou o outro, ou até mesmo os dois ao mesmo tempo”. 

Glauco finaliza que a manutenção é outro ponto forte nos híbridos da Lexus. “Com componentes que utilizam tecnologia inovadora, os veículos possuem manutenção simples e preço de revisão fixo, contando também com  a tranquilidade proporcionada pela garantia de oito anos para o sistema híbrido Lexus. É ou não é vantajoso?”, brinca o gerente?