Pipo

Carro x alagamentos: como evitá-los

08 de Fevereiro de 2019 . Por Jota Pompílio

Enfim, o inverno chegou em Fortaleza. Ontem, por exemplo, choveu em todo o Estado. Porém, como vivemos sob a Linha do Equador, nosso período chuvoso traz muito calor e fortes chuvas que causam alagamentos, não é? Diante desse cenário, para facilitar sua vida, o Road In ouviu especialistas e repassamos para vocês o que fazer para superar esses momentos.  

O primeiro que aconselham é se, por acaso, você der de cara com um alagamento, o correto é nunca enfrentá-lo senão tiver certeza de que pode superá-lo. Evite mesmo!!! Alguns trechos até podem ser vencidos sem muito problema quando o nível de água é baixo o bastante para não ameaçar a travessia. De toda maneira, fica a dica: se houver dúvida, jamais arrisque. 

Entretanto, se não teve jeito e você acabou atravessando o alagamento (ou se seu carro ficou preso na enchente), fique atento e tome alguns cuidados. O principal risco é o de entrada de água no sistema de respiro do motor, provocando o famoso "calço hidráulico”.

Evitando-a ou encarando-a

Se chover forte, fuja de vias alagadas; em Fortaleza, por exemplo, é comum o alagamento ano a ano de um trecho da Av. Duque de Caxias. 

Se não conseguir desviar a rota, evite áreas onde a água passe da metade das rodas. Se superar a altura das rodas, o carro ficará preso  esta altura significa que o motor de carros de passeio será invadido pela água. 

Se for encarar a travessia, mantenha o carro em primeira ou segunda marcha,  sem mudar de marcha e com aceleração constante, em baixa velocidade, entre 2.500 e 3.000 rpm, para o motor não "morrer";... 

Não passar se a água estiver acima da metade das rodas. Usar pontos de referência, como outros veículos, para avaliar o nível do aguaceiro durante o trajeto; 

Evitar atravessar ao lado de outros veículos, sobretudo de maior porte, para que o deslocamento da água não movimente seu carro.

Aí vai a última: se o motor desligar, não acioná-lo enquanto a água estiver sobre as rodas.