Beach Park

Harley-Davidson fecha 2017 com crescimento no Brasil

11 de Janeiro de 2018 . Por Jota Pompílio

Apesar da economia recessiva e o segmento de motocicletas um pouco em queda, em dezembro do ano passado, entre as montadoras que fabricam modelos de mais de 600 cilindradas, a Harley-Davidson foi só festa: registrou o primeiro lugar em participação de mercado, com 21%. 

No acumulado do ano, a legendária montadora registrou também força e crescimento, já que a marca teve 17,6% de participação, em comparação aos 13,7% de 2016. Com isso, a companhia torna-se uma das únicas que teve crescimento de market share no período anterior. 

Em Fortaleza, na Newroad - revendedora cearense da marca, “2017 foi um ano muito bom, tanto para a moto zero-quilômetro como para as seminovas, apesar do cenário político instável”, revela Pedro Lima, gerente geral da Autorizada (à esquerda). Segundo ele, o modelo que mais vendeu foi a Fat Boy (embaixo) e que hoje custa R$ 69.980, na versão de motor 107. “Na versão de motor 114, o preço é R$ 76.480”, detalha o profissional. 

Segundo a fabricante, o ano de 2017 foi de grandes desafios, mas de bons resultados para a Harley-Davidson do Brasil, que registrou 5.295 unidades fabricadas, crescimento de 12,2% em relação às 4.719 unidades produzidas em 2016. Isso se deve ao lançamento da linha 2018 que, com novos modelos no mercado nacional e uma família de motocicletas totalmente renovada, já estava disponível no último mês do ano em toda a rede de concessionárias da marca no País. 

Planos para o futuro 

Para os próximos 10 anos, a Harley-Davidson Motor Company vai lançar 100 modelos em todo o mundo, uma estratégia agressiva a longo prazo, como parte das ações ligadas também à nova estratégia de comunicação global da companhia, “All For Freedom, Freedom For All”, que é a expressão de como a H-D vê o futuro, com intuito de construir as próximas gerações de pilotos da marca. 

Renovação pela compra

O Harley Own é uma modalidade de compra exclusiva para as motocicletas da linha 2018, ideal para novos e também atuais clientes que desejam adquirir uma motocicleta nova a cada dois ou três anos. É também o plano de compra com mais vantagens em relação aos métodos tradicionais, como financiamento e consórcio. 

Como funciona

O cliente paga uma entrada a partir de 30% do valor da moto e pode realizar o pagamento do restante em 23, 29 ou 35 parcelas iguais, sendo que a última equivale a 50% do valor da moto. As parcelas do Harley Own chegam a ser até 45% menores que as de um financiamento tradicional e o plano oferece ainda recompra garantida em contrato, com pagamento de, no mínimo, 50% do valor da nota fiscal. 

No final do contrato, o cliente pode escolher, entre as três opções possíveis, a que mais se enquadrar em seu estilo de vida. É possível quitar o valor e permanecer com a moto, continuar com a Harley-Davidson e refinanciar o saldo restante ou, também, trocar por um modelo novo, com garantia de recompra da atual pela concessionária, sendo a diferença do saldo restante, junto com o o valor da recompra, o valor de entrada da nova motocicleta a ser adquirida.