Dnapoio

Empresas do NE esperam crescer 23% no ano que vem

06 de Dezembro de 2017 . Por Marcelo Cabral

A pesquisa Agenda 2018, realizada pela Deloitte com gestores de 750 empresas instaladas no País, (estimativa de receitas somadas de R$ 1,7 trilhão em 2017, 26% do PIB nacional esperado), aponta as expectativas em relação a resultados para este e para o próximo ano. 

Do total, 59 delas estão sediadas na Região Nordeste (receitas somadas de R$ 21,5 bilhões em 2017). Elas estimaram para o término de 2017 um crescimento de 14,8% em sua receita líquida, resultado maior do que os 12% projetados pelos respondentes da edição de 2016 do estudo, para o mesmo período.

Analisando-se especificamente as participantes do Nordeste, este percentual cai para 13,4% em 2017. Já para 2018, a expectativa de crescimento nacional das vendas é ainda maior, chegando a 19%. 

Para o ano que vem, a projeção do Nordeste é maior que a geral, chegando a 23%. Aumento dos investimentos em infraestrutura, além das reformas tributária e previdenciária são apontados como impactos positivos para os negócios.

O diretor administrativo da FIEC, Ricardo Cavalcante, espera que isso venha a ocorrer. “Acredito que sim, caso a política não entre novamente no cenário econômico, uma vez que teremos eleições. Além disso, haverá uma definição do futuro do País”, disse. 

Ele espera que os números sejam positivos, mas tudo vai depender de quem assumirá os destinos do País. “Neste momento, temos a economia descolada da política, o presidente realizando algumas reformas necessárias e o Brasil está crescendo. Vamos torcer para que continue assim”, completou Cavalcante.

Setor produtivo acredita que a economia brasileira vai retomar o crescimento e 2018

Foto: Divulgação