Dnapoio

CSP pretende crescer 20% em 2018

06 de Dezembro de 2017 . Por Marcelo Cabral

O presidente da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), Eduardo Parente, afirmou ontem, durante evento com jornalistas na FIEC, que a expectativa de crescimento da produção de placas de aço, para 2018, é de 20%

Ele ressaltou que a CSP atingirá, no fim deste ano, uma produção de três milhões de toneladas de placas de aço, desde o início das operações de teste, em junho de 2016. O que é um fato bastante positivo em siderurgia.

Mas, para o ano que vem, a intenção é atingir a capacidade de produção da usina no período de 12 meses. “A expectativa do mercado para 2018 é bastante positiva, por isso queremos alcançar a nossa capacidade nominal de três milhões de toneladas já no próximo ano”, ressaltou.

Dentre os números gerados pela CSP estão 5,6 mil postos de trabalho dentro do site da companhia, e outros 11 mil indiretos; R$ 810 milhões pagos a fornecedores cearenses de janeiro a outubro deste ano; 99,5% dos resíduos sólidos reaproveitados.

A siderúrgica já representa 40,6% da pauta de exportações do Ceará, com um impacto de 12% sobre o PIB estadual. Para isso, possui 33 clientes em 19 países, em quatro continentes, sendo México, Marrocos e Estados Unidos os maiores mercados, respectivamente.

O fato de estar dentro da ZPE-Ceará também representa um grande diferencial da companhia, que está focada na exportação. “Isso facilita, sobremaneira, a nossa operação e nos deixa mais competitivos, pois nosso produto tem qualidade”, lembrou.

E destacou a relevância de São Gonçalo do Amarante. “É a melhor região para se investir no momento, principalmente por estar em um estado que está com a sua situação fiscal equilibrada, o que é raro, atualmente˜, completou Eduardo Parente.

Siderúrgica já opera com mais de 95% da sua capacidade instalada e exporta para 19 países

Foto: Divulgação

  • Eduardo Parente
    Eduardo Parente