M Dias Branco Logo

Maia Júnior trabalha sete clusters para atrair investimentos

19 de Agosto de 2019 . Por Marcelo Cabral

O titular da Sedet, Maia Júnior, ressaltou que os investimentos públicos garantem uma maior elasticidade à economia, tendo reflexos diretos no setor varejista, durante a reunião de diretoria da FCDL-CE. E que o governador Camilo Santana tem realizado diversas ações nesse sentido.

Uma delas é abrir mão de cerca de R$ 2,7 bilhões anuais de arrecadação, por meio da concessão de incentivos fiscais (R$ 1,5 bi) e cessão de galpões industriais para empresas (R$ 1,2 bi), a fim de criar uma ambiência positiva para negócios no Estado.

Além disso, pretende trabalhar sete clusters para atrair novos investimentos para o Ceará, como: têxtil e calçadista; energias renováveis; agronegócio – em especial fruticultura e pecuária; logística (hubs aéreo e portuário); ecossistema de inovação e segurança hídrica.

“Nossa ambição é tornar o Ceará no maior ambiente de negócios do Brasil, por meio de um planejamento estratégico desburocratizado, seguindo os melhores exemplos do mundo, como Singapura, Dubai, Taiwan, dentre outros. E tudo digitalizado”, disse.

Também vai desburocratizar os processos da abertura e fechamento de empresas, criar um ambiente virtual de atendimento ao empreendedor, além de garantir maior acesso a crédito para empreendimentos, por meio da Adece. “Está sendo feito todo o provisionamento legal, pois a partir do momento que passar a fazer isso, será supervisionada pelo BC e pela CVM”, explicou Maia Júnior.

Entre os destaques de sua gestão, está a criação da Secretaria Executiva do Comércio, Serviços e Inovação, conduzida por Júlio Cavalcante, que tem dado atenção especial ao setor responsável pela maior parcela do PIB cearense.

O presidente da FCDL-CE gostou da apresentação, mas pediu celeridade nas ações. “É preciso adotarmos medidas urgentes para desenvolvermos os setores produtivos no Ceará, em especial o fotovoltaico. Ele tem de ser estimulado, a fim de termos uma oferta de energia maior e mais acessível a todos”, ressaltou Freitas Cordeiro.

Maia Júnior destacou a importância de se garantir um bom ambiente de negócios no Ceará

Foto: Balada IN

  • Freitas Cordeiro e Maia Júnior
    Freitas Cordeiro e Maia Júnior
  • Reunião de diretoria
    Reunião de diretoria

Dispor de soluções financeiras que auxiliem na instalação, ampliação e modernização de unidades, além da aquisição de equipamentos e estoques, com taxas de juros diferenciadas, é o principal objetivo do Cartão BNB, apresentado na manhã desta segunda-feira (19), na sede do Sistema Fecomércio Ceará.

Micro e pequenas empresas, que têm faturamento anual de até R$ 4,8 milhões, serão as principais beneficiadas pelas novas condições de financiamento que foram apresentadas, contando ainda com condições especiais, como dispensa de garantias reais em negócios de até R$ 50 mil.

Trata-se de um novo fôlego para o comércio varejista reforçar o caixa para as vendas de fim de ano. “Servirá não apenas para agora, mas para que durante todo o ano os lojistas possam conseguir mais crédito, mais condições de repor seus estoques e atender à população. Precisamos fazer com que a economia tenha uma nova onda de crescimento e pra isso as empresas têm de baixar seus custos e ter disponibilidade para atender melhor ao consumidor”, disse o vice-presidente administrativo da CNC, Luiz Gastão Bittencourt.

Segundo o presidente do BNB, Romildo Rolim, o cartão é uma ferramenta que agiliza e dá maior celeridade ao atendimento dos clientes do banco, que são bastante atrativos para a aquisição de equipamentos, para investimento ou capital de giro.

“Tem prazos e taxas diferenciadas, com até três meses de carência, sendo que dispõe de utilização rotativa, dando condições aos clientes de utilizarem da melhor maneira que lhes for conveniente”, destacou Rolim.

O presidente do Sistema Fecomércio Ceará ressaltou que a nova linha de crédito, com juros diferenciados para o setor, é animadora, pois as vendas do segundo semestre, geralmente, são melhores que no primeiro.

“As linhas de crédito devem chegar rapidamente aos empresários, possam facilitar o dia a dia para capital de giro ou investimentos. É necessária a circulação de dinheiro no mercado, para que venha a gerar empregos e fazer com que a economia tome um rumo diferente”, afirmou Maurício Filizola.

Maurício Filizola destacou a importância do novo Cartão BNB para o empresários cearenses

Foto: Balada IN

  • Luiz Gastão Bittencourt
    Luiz Gastão Bittencourt
  • Auditório lotado
    Auditório lotado

O prefeito Roberto Cláudio e a primeira-dama Carol Bezerra entregam, nesta terça-feira (20), na praça da Areninha do Pirambu, o quarto quiosque do projeto Leitura na Praça, contendo livros infanto-juvenis para despertar o interesse pela leitura em crianças e adolescentes.

A solenidade está marcada para as 17h30, oportunidade em que haverá programação cultural, com contação de histórias e música. Os quiosques de leitura serão distribuídos nas sete regionais e administrados pela própria comunidade. Neste, a responsabilidade ficará a cargo da Associação das Mulheres Empreendedoras do Pirambu.

Os livros ficam disponíveis para uso exclusivo no espaço do projeto Leitura na Praça. Idealizado pela primeira-dama de Fortaleza é direcionado ao público infanto-juvenil. Cada quiosque recebe cerca de 400 livros com títulos variados.

Os livros de contação de histórias abordam temas como solidariedade, cidadania, autoestima, vínculos familiares, sonhos e criatividade. Ao todo, serão instalados 60 quiosques por toda a cidade, em uma importante ação de fomento à leitura e que busca impactar a comunidade.

Crianças e jovens daquela comunidade terão acesso a 400 livros com temas variados

Foto: Divulgação

  • Roberto Cláudio e Carol Bezerra
    Roberto Cláudio e Carol Bezerra

Ciente da importância de sua responsabilidade com o meio ambiente e a destinação de resíduos sólidos, o Beach Park aboliu, um junho último, a utilização de canudos plásticos, substituindo-os pelos de papel, que se dissolvem mais facilmente e são recicláveis.

Com isso, reduziu em duas toneladas o consumo de plástico por ano. Além disso, destina 83% de todos os resíduos sólidos produzidos no complexo turístico para a reciclagem. Somente no ano passado, essa ação representou um volume de cerca de 550 mil toneladas.

A destinação correta desses materiais conta com o trabalho de ex-catadores da região, que atuam na estrutura mantida pela empresa, em ilhas de armazenamento e na unidade de monitoramento ambiental, com administração, área de triagem e compactador.

 Segundo a coordenadora de Meio Ambiente do Beach Park, Raíssa Bisol, a política de resíduos sólidos se baseia nos três pilares da sustentabidade: ambiental, social e econômico.

“Os programas de gestão de resíduos são importantes porque priorizam um sistema de economia circular e, no nosso caso, vai muito além da preservação dos recursos naturais, já que nossa contribuição também é para a construção de uma sociedade inclusiva e socialmente justa”, disse.

Desde 2014, ex-catadores de Aquiraz deixaram os lixões da região para cuidar da separação dos resíduos no Beach Park. Raíssa Bisol ressalta que, além de doar os materiais para a reciclagem, a empresa busca a redução contínua da geração de resíduos.

“Nossa meta é chegar ao índice de aterro zero, de forma que a quantidade de resíduos reaproveitados e reciclados seja cada vez maior e a de resíduos gerados, cada vez menor”, destacou.

Beach Park tem trabalhado, continuamente, para reduzir a produção de resíduos sólidos

Foto: Divulgação

  • Raíssa Bisol
    Raíssa Bisol

A água mineral Minalba, pertencente ao Grupo Edson Queiroz, conseguiu reverter, no Tribunal de Justiça de São Paulo, decisão até então desfavorável em ação impetrada pela Danone que pedia a retirada da informação "PH Alcalino" nos rótulos das garrafas e publicidade da marca brasileira.

A sentença inicial foi contrária aos interesses da Minalba. Em segundo grau, contudo, o Acórdão proferido pelo desembargador Ricardo Negrão, da 2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do TJSP, foi favorável à Minalba.

Há dois anos a Danone ingressou com a ação no Conar, alegando que o uso do termo "PH alcalino" não havia sustentação na comunidade científica e, portanto, não poderia ser utilizado. Argumento desfeito pela decisão em segunda instância.

No acórdão, o desembargador informou que há estudos associando a alcalinidade da água com os benefícios à saúde, podendo assim ser utilizado pela água mineral Minalba como um atributo de qualidade.

"Ao contrário do que afirma a autora [Danone], há, sim, diversos estudos científicos comprovando a influência da alcalinidade da água sobre a saúde das pessoas", afirmou.

"Se há estudos científicos feitos embasando a associação feita pela Minalba em seus anúncios publicitários, não se pode creditar a pecha de propaganda enganosa", completou Ricardo Negrão.

Água mineral do conglomerado cearense vem ganhando importantes fatias de mercado no Brasil

Foto: Divulgação

  • Fonte da Minalba
    Fonte da Minalba