M Dias Branco Logo

Parceria entre poder público e empresas facilita implantação

16 de Abril de 2018 . Por Marcelo Cabral

A usina de biometano inaugurada hoje teve uma efetiva participação do Governo do Ceará e da Prefeitura de Fortaleza, pois houve uma grande parceria entre o poder público e a iniciativa privada.

Afinal, o Grupo Marquise e a Ecometano realizarão a produção do Gás Natural Renovável e injetarão diretamente na rede de distribuição da Cegás, que levará o produto até o consumidor final, no caso, atualmente, a Cerbras.

A empresária Ana Lúcia Mota e sua filha, Mariana, também prestigiaram o evento e, inclusive, Mariana participou, junto com o governador Camilo Santana, o prefeito Roberto Cláudio e empresários, da abertura da válvula da rede de distribuição da Cegás.

O acionista da Ecometano, Carlos Laranjeira, disse que, no total, as empresas investiram R$ 100 milhões na planta, e o Governo do Ceará outros R$ 25 milhões na rede distribuidora, e que a injeção do gás diretamente na rede, é inédita no País.

“O que a Marquise Ambiental chama de aterro de resíduos sólidos, chamamos de campo de gás, com 30 mil metros de tubos subterrâneos, 240 poços verticais e horizontais, podendo ser até 400, chegando a 150 mil m³ de produção diária. Aqui ao lado haverá outro aterro, garantindo mais 20 anos de produção de gás”, explicou.

Ele ressaltou que o Governo do Ceará, desde a gestão passada de Cid Gomes, agora com Camilo Santana, além da Cegás, foram decisivos para a implantação da usina de produção de Gás Natural Renovável (GNR).

Camilo Santana, Roberto Cláudio e Mariana Mota abrem a vávula de distribuição da Cegás

Foto: Divulgação

  • Empresários, servidores e gestores
    Empresários, servidores e gestores
Prefeitura de Fortaleza

GNR Fortaleza: inaugurada usina de biometano

16 de Abril de 2018 . Por Marcelo Cabral

O Grupo Marquise inaugurou, hoje, a Gás Natural Renovável Fortaleza (GNR Fortaleza), ao lado do Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia (Asmoc), em parceria com a empresa carioca Ecometano.

Trata-se da maior usina do gênero no País, que contou com investimentos de mais de R$ 100 milhões, com capacidade de produzir cerca de 90 mil metros cúbicos (m³) de biometano por dia, que será injetado diretamente na rede de distribuição de gás na Região Metropolitana de Fortaleza.

Mas a planta deverá ser expandida até o final deste ano, quando poderá produzir até 150 mil m³ de GNR, diariamente, o suficiente para abastecer com GNV uma frota de mais de 10 mil automóveis por dia. O presidente do Grupo Marquise, José Carlos Pontes, destacou que o sonho de sua equipe era transformar lixo em energia e levou a ideia ao prefeito Roberto Cláudio, que de imediato foi bem aceita.

O mesmo projeto foi discutido com o Governo do Estado, através da Cegás, e foi bem recebido. “A Ecometano trouxe dos Estados Unidos toda a tecnologia aqui implantada. E queria agradecer à Cerbras, indústria que compra todo o gás que produzimos. O futuro está aqui”, afirmou José Carlos, que junto com o outro presidente do Grupo Marquise, José Erivaldo Arraes, prestigiou a inauguração.

Segundo o diretor-presidente da Marquise Ambiental, Hugo Nery, o projeto transforma o Ceará um Estado de ponta. “Resíduos sólidos sempre foram um problema muito sério de todas as cidades. E aqui vamos reciclar material, que é uma política industrial, que só é possível com a junção do Estado, da Prefeitura de Fortaleza, da empresa que vai gerir estes resíduos e das empresas que apostam no projeto para utilizar este material”, explicou.

Ele lembrou, ainda, que o gás metano que era jogado na atmosfera é 25 vezes mais poluente que o dióxido de carbono. “Desta forma, estamos nos antecipando a um processo de proteger o meio ambiente e transformar o material que era jogado fora em valor agregado”, disse.

Usina propduz, hoje,cerca e 90 mil metros cúbicos de GNR, mas deve chegar a 150 mil 

Foto: Divulgação

  • Empresários, autoridades e servidores presentes
    Empresários, autoridades e servidores presentes
  • José Carlos e José Erivaldo
    José Carlos e José Erivaldo
Governo do Ceara

CDL de Fortaleza reecbe Moroni Torgan para falar sobre PMPU

16 de Abril de 2018 . Por Marcelo Cabral

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Fortaleza, Assis Cavalcante, recebe hoje, a partir das 12 horas, na sede da entidade, o vice-prefeito da capital cearense, Moroni Torgan e o secretário municipal de Segurança Cidadã, Antônio Azevedo.

O encontro será realizado durante o almoço de reunião ordinária de diretoria, na qual diversos representantes da entidade também estarão presentes. Os representantes do Poder Executivo Municipal falarão sobre o Plano Municipal de Proteção Urbana (PMPU).

O presidente da CDL de Fortaleza tem procurado realizar, de maneira sistemática, reuniões com integrantes da Prefeitura, para debater os mais variados assuntos de interesse do comércio varejista da Capital. “Esse diálogo é bastante positivo e o prefeito Roberto Cláudio tem atendido às nossas solicitações, sempre que possível”, disse Assis Cavalcante.

Assis Cavalcante fará a recepção do vice-prefeito e do secretário municipal de Segurança Cidadã

Foto: Balada IN

  • Moroni Torgan
    Moroni Torgan

O professor e diretor do BRICLab, da Universidade de Columbia, Marcos Troyjos, conversou com integrantes do LIDE Ceará e afirmou que as pessoas, cada vez mais, precisam se qualificar para conseguir ingressar ou se manter no mercado de trabalho.

“O brasileiro jovem e com pouco estudo, acabará se tornando um inútil para a indústria 4.0 a partir dos 28, 30 anos. Só que esta pessoa tem uma expectativa de vida em torno de 80, o que tornará complicada a sai vida, pois terá de viver de bicos ou da prática de delitos”, disse.

Ele ressaltou que o brasileiro é super criativo, mas pouco inovador, enquanto os finlandeses são pouco criativos, mas muito inovadores. “Eles tinham a maior fabricante de celulares do mundo, a Nokia, que foi engolida por gigantes como a Samsung. Mas, hoje, são os maiores produtores de games do mundo”, destacou.

Troyjos disse, ainda, que apenas educação não basta. É preciso ter controle sobre a situação econômica, atrair grandes players mundiais, ter uma ação comercial agressiva, combater a corrupção e, principalmente, estar aberto e integrado á globalização, pois ela oferece inúmeras oportunidades de desenvolvimento econômico e social.

Para finalizar, lembrou que a tecnologia interfere em todos os tipos de negócios, no mundo todo. “Só que ela se torna cada vez mais complexa a cada dia que passa. Então, reabilitação e recapacitação são importantíssimos nesse mundo globalizado”, asseverou Marcos Troyjos.

Pesquisa

Ainda durante o Café Debate do Lide Ceará, foi realizada a pesquisa Clima Empresarial, em parceria com o Instituto Opnus, sobre diversos assuntos. Sobre o futuro do Brasil, 57% mostraram-se cautelosos e 38% otimistas. Em relação aos seus negócios, 60% acham que está melhor que em 2017 e 32% acreditam que está igual.

Para o mercado de trabalho, 51% esperam gerar mais empregos, e 35% pretendem manter o número atual. Dentre os empresários presentes, 46% acham que o cenário político e 19% a carga tributária, são os fatores que impedem o crescimento de suas empresas.

No Ceará, 68% acreditam eu é preciso melhorar a segurança pública enquanto no Brasil 41% optam pela educação. Mas, ao final, 84% disseram que o cenário político é o que mais preocupa a economia brasileira.

Marcos Troyjos diz que é preciso inovação, qualificação e estar atento à globalização para crescer

Foto: Balada IN

  • Plateia seleta
    Plateia seleta
  • Marcos Troyjos, Emília Buarques e Élcio Batista
    Marcos Troyjos, Emília Buarques e Élcio Batista
Newland

Latam anuncia novas operações no Ceará dia 25

13 de Abril de 2018 . Por Marcelo Cabral

A Latam anunciará no próximo dia 25, durante evento que será realizado no Palácio da Abolição, o anúncio de seus novos voos nacionais e internacionais que serão operados a partir do Aeroporto Internacional Pinto Martins.

Trata-se do resultado de um grande esforço realizado pelo governador Camilo Santana, com o objetivo de desenvolver cada vez mais o setor aéreo no Estado e, consequentemente, o turismo.

De acordo com o titular da Secretaria do Turismo, Arialdo Pinho, Fortaleza será uma porta de saída de voos da companhia das regiões Norte e Nordeste do Brasil, nos próximos anos.

“A princípio, a companhia deverá anunciar cinco novas frequências semanais para o exterior, além de 40 operações diárias aqui em nosso aeroporto. E em 2019 esse número deve aumentar”, afirmou.

Essas novas operações da Latam, juntamente com os novos voos anunciados por várias outras aéreas, que iniciam ainda este ano, levarão o setor aéreo cearense a um novo patamar.

Empresa vai implantar cinco voos semanais para o exterior e 40 para atender ao mercado interno

Foto: Divulgação

  • Arialdo Pinho
    Arialdo Pinho