casa cor

Ceará pode ser um Hub de interligação da Indústria 4.0

27 de Junho de 2019 . Por Marcelo Cabral

O CEO da Angola Cables, António Nunes, destacou em sua apresentação no III Think Tanks Meeting, que Fortaleza é a segunda cidade do mundo onde chegam mais cabos de fibra óptica em uma única área, neste caso, a Praia do Futuro.

“O grande desafio é olhar para a economia, pensar fora da caixa e mudar a maneira de usar a tecnologia, sempre em benefício dos negócios das empresas”, ressaltou.

Ele lembrou que o paradoxos da economia mundial está em processo de mudança, em especial com a quarta revolução industrial, a Indústria 4.0, que é uma realidade em praticamente todos os continentes.

Ressaltou que todos os modelos de negócios vem ser pensados em nível global, pois o Brasil é um grande mercado e muitos países estão interessados em investir aqui. “Aqui há muito know-how em agricultura digital (agrotecnologia), portanto, isso pode ser comercializado com outros mercados”, disse.

“O mundo tornou-se uma aldeia global, interligada por meio das transmissões de dados, portanto há inúmeras oportunidades de negócios com o Hub tecnológico que aqui está a ser instalado”, asseverou o executivo. 

Em sua apresentação, destacou que o Ceará é o terceiro estado do Brasil em relação à rede de tráfego de dados digitais, não muito distante do líder, São Paulo. 

“O Ceará é um Hub natural de cabos submarinos e esta conectividade internacional tem uma grande possibilidade de se criar aqui, um Hub de interligação da quarta revolução industrial”, acrescentou Nunes.

A Angola Cables tem dois cabos submarinos de fibra óptica, que liga a África a Fortaleza (Sacs) e o Monet, que liga Miami a São Paulo. E inaugurou, no mês passado, o data center Angonap, que oferece uma série de serviços de armazenamento de dados em nuvem, conectividade internacional, segurança apropriada, e outros diferenciais competitivos.

“Abrimos para o investidor brasileiro, a África como um mercado acessível, pois com baixa latência e alta capacidade de conectividade, os negócios podem ser desenvolvidos a partir daqui, mas a entrega ser feita nos mercados africano, europeu e até asiático, numa forma muito mais eficiente”,  destacou.

“Abriu-se um leque de oportunidades imenso, do ponto de vista do Brasil para outros mercados internacionais, fazendo com que determinado tipos de negócios que até hoje não eram possíveis de serem desenvolvidos aqui, passam a ser, como call centers de grandes multinacionais, fábricas de softwares, inteligência de dados”, concluiu António Nunes.

Data Center Angonap oferece uma série de oportunidades para os empresários cearenses 

Foto: Divulgação

  • António Nunes
    António Nunes
  • Rafael Leal, Clóvis Bezerra e Chiquinho Aragã0
    Rafael Leal, Clóvis Bezerra e Chiquinho Aragã0
  • Empresários em peso
    Empresários em peso
Governo do Ceara trocado em 26/10/18

CS Turismo e Eventos quer interiorizar ações

27 de Junho de 2019 . Por Marcelo Cabral

A CS Turismo e Eventos tem explorado as potencialidades desses dois segmentos em todo o território cearense e essa é uma das principais pautas de discussão do órgão, abrigado no âmbito da Adece. 

Nesta quinta-feira (27), a 70ª reunião ordinária contou com a presença do presidente da casa, Eduardo Neves, e de representantes de nove instituições de ensino superior e academias instaladas no Ceará.

Criar emprego e renda gerando riquezas em todo o Estado, interiorizando o desenvolvimento, é o grande objetivo e desafio do Governo do Ceará. 

"Essa proposta que está sendo construída nos deixa entusiasmados. O desenvolvimento do Estado passa pela indústria, comércio, agronegócio e serviços, onde turismo e eventos são vertentes fortes e de destaque", disse Eduardo Neves.

Já a presidente da CS Turismo e Eventos, Anya Ribeiro, lembra que a maioria das entidades voltadas para este mercado estão concentradas em Fortaleza e que é preciso interiorizar.

“Ouvir todo o Estado por meio das regiões com potencial de maior desenvolvimento turístico, mas que não contam atualmente com a presença de instituições capacitadas para organizar o setor se faz necessário“, destacou Anya.

Portanto, aproximar os profissionais de turismo e das academias com o objetivo de inserir pessoas qualificadas no mercado de trabalho é a terceira das três linhas de ação traçadas pela CS Turismo e Eventos no trabalho de descentralização do setor no Ceará.

Eduardo Neves diz que a interiorização deste segmento vai desenvolver o interior cearense

Foto: Divulgação

  • Reunião concorrida
    Reunião concorrida
Vie du ventre

CIPP quer movimentar 50 milhões de toneladas em 20 anos

27 de Junho de 2019 . Por Marcelo Cabral

A assessora da presidência do CIPP S/A, Débora Memória, destacou, no III Think Tanks Meeting, que o Porto do Pecém deverá chegar à movimentação de 50 milhões de toneladas de cargas gerais nos próximos 20 anos.

Lembrou que este ano serão concluídas as obras da segunda ponte de acesso ao Tmut e o nono berço de atracação do porto. E que a média anual de movimentação teve um crescimento de 24% nos últimos quatro anos, saindo de pouco mais de 420 mil toneladas (t) em 2015, para 1.477.885 t no ano passado

Ela compareceu ao evento em substituição ao presidente do CIPP S/A, Danilo Serpa, que está participando de um evento internacional que envolve o setor portuário, na Europa.

Débora acredita que inúmeras oportunidades de negócios deverão surgir, nos próximos anos, em especial devido à parceria estabelecida com o Porto de Roterdã, no ano passado. “Ela surgiu da necessidade de trazermos novos empreendimentos para o Pecém, bem como o seu potencial de crescimento e aumento de nossa participação no mercado portuário internacional”, disse.

A assessora do CIPP S/A destacou que com a parceria estabelecida com Roterdã, a ideia é que o Porto do Pecém passe a ser autossustentável e tenha condições de fazer seus próprios investimentos, sem a utilização dos recursos públicos do Estado.

O CIPP S/A abrange, além do Porto do Pecém, a ZPE-Ceará e a zona industrial situada naquela região, com diversas empresas já instaladas e muitas outras que devem ali se instalar nos próximos anos, o que ajuda na relação com investidores.

Hoje o porto já possui dois portêineres, guindastes especiais para movimentação de contêineres e já está sendo planejada a aquisição de um terceiro, tendo em vista o aumento das demandas que estão ocorrendo no terminal. 

E destacou que as ações ali desenvolvidas devem trazer fortes impactos, em breve. “Os projetos do Porto do Pecém podem resultar uma grande diferença para o nosso Estado e a nossa região, nos próximos anos”, finalizou Débora Memória.

Há, ainda, um projeto de tancagem na região do Pecém, em um novo modelo, que teria um operador que recebia o combustível, armazene e distribua para qualquer empresa distribuidora que tenha interesse em comercializar esse produto, podendo trazer uma economia fantástica para o Estado.

Porto do Pecém tem aumentado a movimentação de mercadorias de maneira significativa

Foto: Divulgação

  • Débora Memória
    Débora Memória
  • Plateia lotada
    Plateia lotada
Beach Park

Turismo de lazer atrai 47,4% dos turistas estrangeiros

27 de Junho de 2019 . Por Marcelo Cabral

Fortaleza tem atraído, principalmente, os turistas estrangeiros que visitam a cidade a lazer, segundo a pesquisa “Diga Lá Turista”, realizada pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Setfor e da Sepog, em parceria com a Unifor. 

Segundo dados do levantamento, 47,4% dos visitantes internacionais que vieram à capital cearense nos últimos 12 meses, o fizeram a passeio, ou para curtir as merecidas férias. O principal país emissor foi a Argentina, com 22,45% do total, seguido por Estados Unidos (6,91%) e França (4,13%). 

A pesquisa faz parte do projeto Avalie, que completou um ano em junho, e é feita por meio de totens distribuídos por diversos pontos da Capital, como Fortaleza Airport, Mercado Central, Estoril, restaurantes e outros equipamentos turísticos.

O turismo de lazer também se destaca no estudo do MTur, apontando que o número de estrangeiros que visitam o Brasil com esse intuito cresceu 14,6% nos últimos quatro anos e que, em 2018, 58,8% dos estrangeiros que visitaram o País vieram a passeio.

Ainda de acordo com a pesquisa do Mtur, 70% dos visitantes vêm em busca do sol e das praias brasileiras. “O que não falta em Fortaleza é sol, praia e uma cultura interessante e diversificada. Todos os ingredientes que motivam o estrangeiro a visitar nosso País”, ressalta Alexandre Pereira, titular da Setfor.

Quase a metade dos estrangeiros que visitam Fortaleza vem para aproveitar o sol e as praias

Foto: Divulgação

  • Alexandre Pereira
    Alexandre Pereira
Corpvs (bonificação)

Hub aéreo é um dos destaques do III Think Tanks Meeting

27 de Junho de 2019 . Por Gabriela Rocha

Foi um sucesso a realização do III Think Tanks Meeting, idealizado por Pompeu Vasconcelos, que mostrou a uma seleta plateia formada por empresários e investidores, além de formadores de opinião, as oportunidades de negócios geradas pela Trinca de Hubs - aéreo, portuário e de telecomunicações.

O secretário especial de Relações Internacionais do Governo do Ceará, César Ribeiro, destacou que além da visibilidade que o Estado vem tendo, criou-se uma malha de oportunidades muito grande, nos mais variados setores.

“E, além do Ceará, para o Norte e Nordeste é muito grande, pois perpassa inúmeras situações e condições, como agregar oportunidades na relação de mercado internacional, por causa da posição geográfica do Estado e da ambiência de negócios que foi implementada aqui, como nível de educação, linha digital que agrega dados, informações, gerenciamentos, internet, dentre outras questões, que temos aqui”, explicou.

O executivo de vendas do Grupo Air France-KLM para o Norte e Nordeste, Paulo Lobão, destacou que foi a primeira vez que o grupo implantou duas rotas para a Europa, simultaneamente, numa capital brasileira, fazendo de Fortaleza a porta de entrada do Brasil para a Europa e o mundo. E, a partir de 27 de outubro, as aeronaves que farão a operação em Fortaleza será com o Boeing 777-700 da Air France, que aumentará em 12% a capacidade de assentos, elevando a capacidade de carga das duas companhias. “É o terceiro Hub que temos no País, com 75% de aumento de frequência em cerca de um ano de operação, demonstrando o interesse que a empresa tem investir aqui, entendendo que existe um campo de desenvolvimento no Nordeste e, especialmente, aqui em Fortaleza”, disse.

Lembrou que a economia média para os brasileiros chegarem à Europa é de, pelo menos, dez horas de voo, além de permitir conexões do Ceará com a Ásia e Oriente Médio. Existe a parceria com a Gol e a Delta Airlines.

“Vale lembrar que o tempo de conexão aqui em Fortaleza é de uma hora e 15 minutos, aqui no Fortaleza Airport, e o valor dos bilhetes, para quem sai daqui, é, em média, 35% mais baixo em relação aos nosso outros dois Hubs no Brasil - Rio de Janeiro e São Paulo. E ainda teremos, aqui a possibilidade de stopover, gerando mais riquezas para a região”, afirmou Paulo Lobão.

Pompeu Vasconcelos recebeu os convidados palestrantes do evento realizado no Pipo Restaurante

Foto: Balada IN

  • Paulo Lobão
    Paulo Lobão
  • César Ribeiro abriu o evento
    César Ribeiro abriu o evento