Reunindo as principais construtoras e nomes de peso da Imprensa em concorrido café da manhã na próxima sexta-feira, 19, Ricardo Bezerra realiza o Flash Imobiliário Especial prometendo trazer uma verdadeira radiografia do setor em 2017. Durante o encontro na Lopes immobilis, serão divulgados, em primeira-mão, a região que mais vendeu, o estoque atualizado, o atual estágio dos empreendimentos, os produtos campeões de vendas, a taxa de crescimento de vendas de imóveis, além do aguardado ranking geral das construtoras em 2017.

Cheio de boas ideias o diretor da Lopes Immobilis escolheu a mesma data para lançar o Beach Fest Imobiliário 2018, evento idealizado pela Lopes Immobilis para reduzir os estoques dos principais empreendimentos de praia do mercado, aproveitando alta estação turistíca para alavancar as vendas.  

“Cada vez mais o setor imobiliário vai se segmentando. Já realizamos muitos eventos imobiliários para a venda da casa própria. Agora, queremos focar no nicho de segunda moradia, tendo a certeza que há grande público para este tipo de produto. Nossa expectativa é viabilizar o máximo de negócios possível durante todo o evento, onde ofereceremos ao cliente que nos visitar condições diferenciadas, customizadas, Pelo que criamos uma verdadeira JANELA DE OPORTUNIDADES para se adquirir o Imóvel de Praia dos sonhos de qualquer um” , afirma Ricardo Bezerra, sócio-diretor da Lopes Immobilis

Visando oferecer o melhor pelo melhor preço aos consumidores, a Lopes Immobilis reuniu nove das principais construtoras do Estado para a realização da terceira edição do único evento voltado exclusivamente para comercialização de imóveis de praia – o Beach Fest Imobiliário.

A expectativa é de que sejam comercializados cerca de 15 Milhões em VGV. Além do foco no turista que vem ao Ceará à passeio, o evento também é direcionado a clientes locais que buscam opção de segunda moradia dentro do Estado.

A promoção acontece de 19 de janeiro até 4 de Fevereiro, no Shopping Iguatemi. 

Ricardo Bezerra

Foto: Balada In

 

Sinduscon

Presidente do Secovi-CE mira nas OUC`s

12 de Janeiro de 2018 . Por Pompeu Vasconcelos

Antenado nos interesses do setor imobiliário, Sérgio Porto, presidente do Sindicato da Habitação do Ceará (Secovi-CE) marcou presença no brunch armado pela Prefeitura de Fortaleza no Gran Marquise Hotel para apresentar 15 operações urbanas consorciadas, montadas com o fim de atrair empresas para requalificar áreas estratégicas da Capital com investimento em mobilidade, meio ambiente, patrimônio histórico e infraestrutura.

“Roberto Cláudio acerta ao insistir em planejamento. Nós vamos alavancar muitos negócios", destaca o presidente do Secovi-CE, ressaltando que o estudo para levantar possibilidades viáveis de Operações Urbanas Consorciadas (OUC`s) é  ”louvável porque coloca o planejamento à frente da iniciativa, tendo o interesse coletivo como primordial”.

Na ocasião, apuramos que Sérgio Porto continuará à frente do Secovi-CE pelos próximos quatro anos. Candidato único, ele será reeleito durante votação no próximo dia 7 de fevereiro.

Jaime e Assis Cavalcante com Sérgio Porto

Foto: Balada In

Dnapoio

Izolda Cela recebe o embaixador da Suécia no Palácio da Abolição

11 de Janeiro de 2018 . Por Pompeu Vasconcelos

A governadora em exercício do Ceará, Izolda Cela, recebeu no Palácio da Abolição, durante a manhã desta quinta-feira (11), o embaixador da Suécia no Brasil, Per-Arne Hjelmborn. O encontro teve como objetivo iniciar diálogos para estreitar relações comerciais e projetar futuras parcerias em políticas sociais. Dentre os maiores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do mundo, a Suécia é vista pelo Governo do Ceará como aliado para troca de experiências e construção de modelos a serem replicados em Educação, Segurança, Juventude, Saúde, Infraestrutura, entre outras áreas. 

“O Brasil já tem uma ligação muito forte com a Suécia, que se concentra muito na região Sudeste. Nós estamos agora chamando atenção da importância de colocar o Ceará na linha de frente. Estamos mostrando o que Estado oferece hoje de oportunidades de áreas de investimento, com free zone, hub e nossa infraestrutura propícia para negócios. Deixamos evidente, além disso, o ponto de vista das políticas sociais. A Suécia tem experiências muito fortes e de longo tempo em áreas de Educação, Acessibilidade, políticas para infância, para mulheres, preservação do meio ambiente, trabalhos de no mínimo 50 anos de atenção para essas causas. Esse diálogo é muito importante e alarga os nossos horizontes”, afirmou.

Também participaram do encontro o secretário de Assuntos Internacionais, Antonio Balhmann, o cônsul da Suécia no Ceará, Marcos Aurélio Soares de Castro, o coordenador de políticas de Juventude do Ceará, Davi Barros, e a secretária-adjunta da Educação, Márcia Campos.

Assuntos da reunião

A conversa entre gestores estaduais e suecos consistiu na apresentação das principais ações da Suécia para manter os desenvolvimentos econômico e social do país, como também na discussão sobre o atual cenário cearense propício a evoluir em parcerias com iniciativas do exterior. Os principais temas tocados na reunião foram: as ações de sustentabilidade; o investimento em campanhas contra o assédio sexual infantil; ações realizadas e novas políticas do Pacto por um Ceará Pacífico (principalmente na Proteção e Assistência aos Condenados); e a possibilidade de investimento sueco para o Centro de Formação Olímpic?la do Nordeste (CFO).

O embaixador Per-Arne Hjelmborn enfatizou que Brasil e Suécia têm cada vez mais evoluído nas relações internacionais. Hoje, exemplificou, mais de 200 empresas suecas operam no Brasil. O objetivo, com o Ceará, é explorar potenciais de fomentação no campo de negócios, mas também criar um canal de troca de experiências para fortalecer políticas sociais.

“Foi um encontro muito positivo. Falamos sobre várias iniciativas e possíveis visitas à Suécia para confirmar essa nossa experiência em vários temas. Temas da educação, o tema econômico-industrial, temas mais sociais, de pessoas que vivem em áreas vulneráveis, trabalho na política sobre drogas, a possibilidade de projetos muito amplos. Vamos certamente concretizar essas ideias em alguma iniciativa”, pontuou.

Setor industrial

Para o secretário Antonio Balhmann, estreitar as relações com a Suécia ampliará a busca por novos empreendimentos para o setor industrial no Ceará, em especial na Zona de Processamento de Exportação (ZPE). Balhmann destacou a excelência da educação sueca voltada aos processos industriais, com empresas responsáveis por formação de profissionais com alto nível de qualificação.

 “Está na hora de descobrirem que o Nordeste é importante e cresce substancialmente. Não tem igual ambiente de negócio no Brasil como o visto na ZPE, superando questões burocráticas e abrindo caminhos favoráveis para as empresas na perspectiva de exportar e ter o livre comércio”, disse.

 Também foi levantado na reunião a sugestão de Ceará e Suécia firmarem parceria para produção de grafeno no Estado. “O Ceará tem a produção do grafite, detém importantes reservas minerais. Agora seria a hora de se estabelecer um link desses. É exatamente o início da descoberta desse material, que certamente vai ser o grande diferencial em termos de padrão tecnológico, na área médica, na área de abastecimento de água, entre outras. É um material revolucionário”, disse o secretário.

 Juventude

O coordenador Davi Barros destacou o otimismo o Governo do Ceará em fortalecer políticas para a juventude com apoio da Suécia. Ele lembrou que a entidade Fryshuset, referência em ações para juventude envolvendo práticas de esportes, tem interesse no desenvolvimento de ações no Centro de Formação Olímpica do Nordeste (CFO).

“Já havia uma tratativa de cooperação internacional para novas políticas de juventude. O objetivo é garantir que a metodologia de ações que aqui acontecem e que lá também são desenvolvidas, com jovens em alta vulnerabilidade social, possam se articular. A partir daí, podemos ter um grande centro de juventude da Suécia para nos ajudar a abrir o CFO para a população de jovens de comunidades”, projetou.

Em dezembro do ano passado, o CFO recebeu para visita técnica às instalações do complexo, uma comitiva da Suécia, representada pela gerente de Desenvolvimento Global da Fryshuset, Raisa Lang Velazco. O Governo do Ceará tem agendada para março visita à Suécia para tratar do assunto.

Ilmar Gourmet - Selo

Balança comercial tem saldo positivo na 1ª semana de 2018

10 de Janeiro de 2018 . Por Pompeu Vasconcelos

Na primeira semana de janeiro de 2018, a balança comercial brasileira teve saldo positivo de US$ 513 milhões, resultado de exportações de US$ 2,957 bilhões e importações de US$ 2,444 bilhões. O resultado foi divulgado, nesta semana, pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Segundo a pasta, a venda de produtos para o exterior avançou 9,1% na comparação com o mesmo período do ano passado. 

Entre os itens mais vendidos estão aviões, tubos de ferro fundido, motores e turbinas para aviação, óxidos e hidróxidos de alumínio e torneiras. De acordo com o diretor do Centro de Economia Mundial da Fundação Getúlio Vargas e ex-presidente do Banco Central, Carlos Langoni, este resultado deve continuar evoluindo de forma positiva e pode fazer com que a economia brasileira se beneficie cada vez mais da recuperação da economia mundial.

“Não só o fato do saldo comercial continuar sólido e deve evoluir ao longo do ano de uma maneira bastante positiva, mas reflete a importância do acesso ao comércio exterior, do acesso aos novos mercados, mas a capacidade que tem a economia brasileira de se beneficiar da recuperação da economia mundial, permitindo uma diversificação da nossa pauta de exportações que vai além de commodities.”

Carlos Langoni acredita também que exportações neste ano devem ser bem mais significativas do que em 2017.

“As exportações são uma importante alavanca para o crescimento brasileiro este ano, que deve ser bem mais expressivo do que aquele observado no ano passado.”

Os semimanufaturados também tiveram participação nesse resultado. Foi o caso do comércio de ferro e aço, celulose, ferro fundido, ferro-ligas, catodos de cobre. 

HAISA

Recursos serão a saída para garantir Lula na disputa presidencial

10 de Janeiro de 2018 . Por Pompeu Vasconcelos

 

Quem o apóia, se preocupa. Quem é contra ele, comemora e torce pela permanência da sua condenação. Certo é que a duas semanas do julgamento em segunda instância no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), ainda é indefinido o quadro político do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na corrida presidencial de 2018. Condenado a 9 anos e meio de prisão pelo juiz Sérgio Moro, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Lula é o único representante da esquerda com ainda alguma chance no cenário atual.

No próximo dia 24, os três desembargadores da 8ª turma do TRF4 vão analisar a condenação dada por Moro ao caso do tríplex do Guarujá. O ex-presidente foi acusado pelo Ministério Público de receber de presente o imóvel de três andares à beira mar por beneficiar a empreiteira OAS em contratos irregulares com a Petrobras. Ele nega as acusações e decidiu recorrer pedindo o cancelamento da sentença dada em primeira instância. Já o Ministério Público entrou com recurso pedindo o aumento da pena.

Se confirmada a condenação em segunda instância, Lula automaticamente cai na Lei da Ficha Limpa, ou seja, fica, por regra, impedido de disputar cargo eletivo por oito anos após decretada a sentença. Mas aí entram os recursos, que podem correr por tempo ainda indeterminado, dando a ele chances de seguir com sua candidatura.

Desde o ano passado, o Supremo Tribunal Federal vem proferido julgamentos em que tem flexibilizado o princípio de presunção de inocência. Nele ninguém pode ser considerado culpado até todo o trâmite de recursos da decisão condenatória. Porém, alguns ministros já têm dito que após o julgamento em tribunal o cumprimento de pena já pode ser aplicado. Certo é que preso Lula não será preso e é em entendido que ele poderá recorrer da sentença em liberdade.

Especialista em direito eleitoral, o advogado João Fernando Lopes explica que Lula ainda terá chances de manter sua candidatura, já que os recursos apresentados não deverão ser julgados ainda este ano. “Essa designação já para janeiro é um ganho para a defesa do ex-presidente. Porque justamente vai permitir a seus advogados que formulem os recursos que são cabíveis, especialmente recursos para o STJ e recurso para o STJ e STF, já agora já logo em janeiro, em fevereiro. Feitos esses recursos eles vão poder buscar nesses tribunais medidas judiciais para ter um efeito suspensivo do julgamento, em especial no que se refere a elegibilidade do ex-presidente Lula. Eles vão correr atrás de medidas que suspendam a execução da decisão para que ele tenha a possibilidade de se candidatar a presidente da República”, avalia.

O julgamento no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, está marcado para começar às 8h30 da manhã do dia 24 de janeiro. O Movimento Brasil Livre, um dos responsáveis pelas manifestações pró-impeachment da presidente caçada Dilma Rousseff, chegou a anunciar a instalação de um telão na avenida Paulista, em São Paulo. Desistiu do ato, por entender que ele causaria impacto no trânsito da cidade.

Gleisy Hofmann e Luiz Inácio Lula da Silva

Foto: Reprodução