A Prefeitura de Fortaleza antecipará o pagamento da primeira parcela do 13º salário dos servidores municipais nesta sexta (21), que deve gerar a injeção de, aproximadamente, R$ 91,6 milhões na economia da capital cearense.

Esta é uma prática que foi iniciada ainda no primeiro ano de gestão do prefeito Roberto Cláudio, sendo que a parcela equivale a 40% do salário extra dos colaboradores, ainda sem os descontos de impostos, e é calculado com base na folha de do mês de abril. 

O valor será pago a 52.339 servidores ativos, aposentados e pensionistas. “A Prefeitura de Fortaleza continua empenhada em manter o equilíbrio das contas públicas, assegurando os compromissos com os servidores, graças ao diligente trabalho do Cogerffor”, afirmou o prefeito Roberto Cláudio.

Somando a folha de maio, paga no início deste mês, com a primeira parcela do 13º e a folha de junho, que será paga no dia 1º de julho, a Prefeitura de Fortaleza estará injetando na economia local mais de R$ 663 milhões, no período de 31 dias.

Comércio de Fortaleza receberá parte dos R$ 663 milhões injetados pela Prefeitura de Fortaleza

Foto: Divulgação

  • Roberto Cláudio
    Roberto Cláudio
M Dias Branco Logo

Porto do Pecém bate recorde de movimentação em maio

17 de Junho de 2019 . Por Marcelo Cabral

O Porto do Pecém chegou à marca de 1.541.285 toneladas (t) de mercadorias movimentadas no mês passado. É o melhor resultado para maio nos últimos cinco anos. Na comparação com o mesmo período de 2018, a alta foi de 4%. 

Esta expansão foi motivada pelo embarque de cargas que registrou crescimento de 29%, totalizando 480.019 t. E no acumulado do ano, a movimentação do terminal portuário foi de 7.082.419 t. 

A alta no embarque apresentou o incremento de 15% quando comparado ao ano passado, totalizando 1.958.905 toneladas de mercadorias enviadas para fora do Estado, somando a navegação de longo curso (exterior) e cabotagem (para portos brasileiros).

Em relação à natureza de carga, a mais relevante foram os granéis sólidos, representando 53% da movimentação total do porto, com 3.771.369 t. O material é utilizado na produção da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e das termelétricas.

Segundo o presidente do CIPP, Danilo Serpa, atualmente existe um extenso leque de produtos movimentados através do porto cearense e  o trabalho de prospecção continua sendo realizado para conquistar mais clientes para o complexo.

“Nosso objetivo é manter a linha de crescimento dos últimos anos, então, estamos realizando melhorias no complexo, reuniões e divulgando a nossa capacidade de operação, além da estrutura do CIPP pronta para receber empresas que possam produzir aqui, movimentar através do porto, gerar emprego e renda para o Estado”, destacou.

A carga conteinerizada registrou a marca de 78.275 unidades (122.293 teus), crescimento de 28% em relação ao resultado obtido em semelhante período do ano passado. 

Dentre os destaques que contribuíram para este crescimento da movimentação aparecem: carvão mineral, minério de ferro, placas de aço, adubos e fertilizantes, arroz, sal, farinha de trigo e frutas.

Porto do Pecém vem ampliando sua capacidade de movimentação de mercadorias a cada ano

Foto: Divulgação

  • Danilo Serpa
    Danilo Serpa

O titular da Setur, Arialdo Pinho, está comemorando os bons resultados obtidos na expansão do movimento de turistas estrangeiros no Ceará, desde a implantação do Hub Nordeste pelo Grupo Air France-KLM, em parceria com a Gol.

Afinal, depois de um ano de operação, e taxas de ocupação que chegam a mais de 90% nos voos de e para Amsterdã e Paris, outras companhias aéreas também aumentaram o número de operações internacionais no Fortaleza Airport.

“Com os novos voos que o Ceará passou a receber em 2018, o número de turistas que vêm ao Estado está numa curva crescente. A quantidade de visitantes estrangeiros aumentou 60,67% em 2018, na comparação com 2017”, destacou Arialdo Pinho.

Ele afirmou que os dados foram repassados à Setur pela Fraport Brazil, que arrematou o aeroporto da capital cearenses e vem realizando diversas obras de expansão e melhorias. “A previsão é de mais crescimento este ano”, disse Arialdo.

Jean-Marc Pouchol, Eduardo Bernardes e Arialdo Pinho falam sobre o sucesso do Hub Nordeste

Foto: Balada IN

  • Números da Fraport
    Números da Fraport
Soho (bonificação)

Eduardo Diogo inicia jornada pelos Sebraes do Brasil

17 de Junho de 2019 . Por Marcelo Cabral

O diretor de Administração e Finanças do Sebrae Nacional, o cearense Eduardo Diogo, tem cumprido uma extensa agenda de trabalho em vários estados do País, como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

E a partir desta terça-feira (18) inicia uma jornada visitando todos os estados, onde além de agendas sugeridas pelas unidades regionais do Sebrae, participará de encontros com governadores, prefeitos e debates com representantes do setor produtivo local.

O objetivo principal desta ação será conhecer as unidades estaduais do Sebrae, suas ações e promover uma interação ainda maior com as autoridades estaduais e municipais, bem como a iniciativa privada, para gerar novas oportunidades. Este giro pelo País será finalizado no primeiro semestre de 2020. 

Sua parada inicial será na capital catarinense, onde, amanhã (18) apresenta uma palestra na sede da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF). Diogo conversará com os representantes do Conselho de Desenvolvimento do Estado; além de reuniões com diretores, superintendentes, corpo técnico, de administração e finanças daquele estado, e encontro os funcionários do Sebrae-SC.

Em recente evento em São Paulo, apresentou a palestra “O futuro do Trabalho: tendências para o Brasil e o mundo”, para mais de 2.000 expectadores. Lá, conversou com o governador João Dória, sobre as oportunidades que existem naquele estado, bem como suas principais demandas.

Já no Rio de Janeiro, moderou o painel “The e-commerce revolution: making digital trade work for small business”, no Congresso Mundial da International Chamber of Commerce, que reuniu representantes de 83 países.

A missão oficial que inicia amanhã foi definida pela diretoria Executiva do Sebrae Nacional, composta pelo diretor-Presidente Carlos Melles, pelo diretor Técnico Bruno Quick, e pelo próprio Eduardo Diogo. Os próximos estados a serem visitados são Paraná e Espírito Santo, respectivamente.

Esta nova empreitada do Sebrae Nacional conta com total apoio do  Ministério da Economia, por meio da Sepec, que tem à sua frente o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Alexandre da Costa.

s

Eduardo Diogo com o governador de São Paulo, João Dória, durante evento do Sebrae em São Paulo

Foto: Divulgação

  • Carlos Melles, Bruno Quick, Carlos Alexandre e Eduardo Diogo
    Carlos Melles, Bruno Quick, Carlos Alexandre e Eduardo Diogo

O empresário Ricardo Bezerra apresentou, nesta sexta-feira, os resultados do mercado de imóveis do mês passado, no seu Flash Imobiliário. E uma das surpresas positivas foi o anúncio de que quatro construtoras deverão realizar dez lançamentos até o fim deste ano, dentro do Minha Casa Minha Vida, representando cerca de 3.000 unidades em Fortaleza.

As vendas dos residenciais verticais (sem o MCMV) continuam acima do ano passado, no acumulado de janeiro a maio de 2019. Foram comercializadas 820 unidades contra 753 no mesmo período de 2018, representando uma alta de 9%. Em VGV o crescimento é de 14%, alcançando a marca de R$ 600 milhões.

Já quando se fala em imóveis do MCMV, ao se analisar as dez maiores construtoras do segmento, foi observado um forte volume de vendas, com 312 unidades comercializadas no mês passado, um crescimento de 65% em relação a abril.

Com isso, o segmento do MCMV segue aquecido na capital cearense, tanto que empresas como Canopus, Direcional, Victa e MRV pretendem lançar ao menos dez empreendimentos, com aproximadamente 3.000 unidades no mercado, até o final de 2019.

O evento, realizado na Lopes Immobilis, mostrou ainda que nas vendas gerais (residenciais verticais e horizontais, comerciais e segunda moradia), apesar de uma pequena retração de 7% no mês de maio, o mercado continua 13% acima no acumulado deste ano. Afinal, foram 1.038 unidades comercializadas, contra 916 no mesmo período de 2018.

Vendas de residenciais verticais, sem o MCMV, tiveram alta de 9% nos cinco primeiros meses do ano

Foto: Divulgação 

  • Ricardo Bezerra
    Ricardo Bezerra