A exposição “Mato Branco”, do artista plástico cearense Roberto Galvão, que tem curadoria de José Guedes, é uma boa pedida para quem deseja ver o semiárido nordestino através de uma perspectiva diferente. É que as obras retratam em formas, linhas e contornos, pouco convencionais, os principais cenários do agreste. A ideia é fugir dos estereótipos ligados região sem perder os principais aspectos de suas paisagens.

A mostra reúne 100 peças, entre pinturas, aquarelas, desenhos, gravuras e esculturas, que marcam os 50 anos da trajetória de Roberto Galvão, em especial seus 10 últimos anos de produção na temática da relação do cearense com o semiárido.

A exposição segue em cartaz até 20 de janeiro, na galeria do Palácio da Abolição, localizada na Av. Barão de Studart, 500 - Meireles. Funcionamento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h30min, e sábados das 8h às 12 horas.

Roberto Galvão

Foto: Divulgação