Com apenas 25 anos, o advogado e empresário, Thiago Nogueira Pinho, assume o comando da Associação dos Jovens Empresários (AJE) de Fortaleza, tendo como objetivo principal: desenvolver projetos em parceria com o Poder Público para estimular o empreendedorismo entre os jovens.

O novo coordenador aposta como diferencial da sua gestão, a humildade em reconhecer os trabalhos feitos no último legado de Ricardo Dreher de Palhano, aproveitando os eventos de sucesso que foram realizados - a exemplo da corrida Correndo do Imposto; isso sem deixar de inovar, é claro.

''Não adianta querer mudar tudo de um ano para o outro, pois o tempo da gestão é curto (apenas 1 ano). Vamos inovar com diferentes projetos, principalmente em parceria com o Poder Público, mas também vamos dar continuidade ao trabalho que vem sendo desempenhado'', ressaltou.

Metas para 2016

Durante um bate-papo com a gente, Thiago contou que tem como meta para 2016, executar os seguintes projetos: Minha Primeira Empresa, em parceria com o Governo do Estado (Secretária Nicole Barbosa); Meu Bairro Empreendedor, em parceria com a Prefeitura Municipal de Fortaleza (Secretário Robinson de Castro); e o projeto social Superindividados, em parceria com o Deputado Estadual Odilon Aguiar.

Aproveitamos para perguntar sobre os artifícios que ele pretende usar para uma maior interação com os jovens empresários, em meio ao atual cenário de crise que enfrentamos. A resposta?

''Em tempos de crise, a exemplo do que enfrentamos no ano passado e, certamente, enfrentaremos esse ano - ressaltando a projeção negativa do FMI de retração de 3,5% do nosso PIB no ano de 2016 - o empresário busca unir forças para contornar essa situação e o associativismo se apresenta como uma excelente plataforma para essa união. Então, vamos buscar divulgar cada vez mais as ações realizadas pela AJE Fortaleza e estimular que mais jovens empresários da cidade ingressem no movimento'', conta.

Eventos

A gestão já começa a todo vapor com vários eventos agendados para este ano, desde os almoços empresariais quinzenais, com início no final deste mês; até missões internacionais, como a que acontecerá em maio para Coreia do Sul/Dubai, em parceria com a Companhia Siderúrgica do Pecem (CSP), além do encontro comemorativo do Dia da Liberdade de Impostos (DLI), também previsto para maio.

Parcerias

Além do poder público, Thiago também pretende fechar parcerias com entidades privadas, a exemplo da Missão Internacional que terá o apoio da CSP; a realização do evento DLI com apoio do Sistema FIEC e dos shoppings Riomar Fortaleza e Grand Shopping Messejana; além de um projeto envolvendo a FIESP ("Não vou pagar o pato!) e o seu Presidente Paulo Skaf, já tendo a Faculdade Farias Brito se colocado à disposição para a realização desse projeto.

Novos Associados

Até o final do ano, Thiago Pinho almeja alcançar o número de 200 associados. E ressalta que, para se associar, '' os interessados precisam ter entre 18 e 32 anos, ser empresário ou sucessor em linha direta''. Quer saber mais detalhes? Aí vai o telefone da AJE Fortaleza: (85) 3244-7909.

Ah, para conferir todos os flashes da cerimônia de posse da nova diretora, basta clicar aqui.

Ignêz Fiúza: o adeus à dama das artes

11 de Fevereiro de 2016 . Por Balada In

''Diria que a Dona Ignêz Fiúza não passou pela vida, pois mesmo partindo, ela ainda continua presente na vida de muita gente aqui e também na história das artes cearense'', ressalta o artista plástico Totonho Laprovitera, amigo e admirador declarado da galerista.

E galerista era apenas um de muitos atributos da Dona Ignêz, que também se destacou como restauranteur, marchand, visionária e empreendedora. Considerada uma das maiores incentivadoras de artes no Ceará, com legado de quase 50 anos dedicados à cultura no Estado, Ignêz Fiúza nos deixou nesta terça-feira (9), vítima de insuficiência respiratória.

Completaria 92 anos no próximo dia 23. Mais que saudades, deixou um legado de inspiração e requinte. Conduziu a arte e a beleza pelas mãos, apresentando-as ao público e ensinando que quando tudo está perdido, são elas que permanecem.

Trajetória

Aos 39 anos, com cinco filhos Elizabeth, Ticiana, Cezár, Marcílio e Luiz Eduardo e uma viuvez antecipada, entrou no mundo dos negócios, das artes e antiguidades, das abstrações refinadas e das altas quantias. Da Praia de Iracema, ela fez sua pátria. ''Ignêz foi a primeira pessoa no Ceará a ter um antiquário, depois uma galeria, em sua casa, o Recanto do Ouro Preto'', nos contou, Totonho Laprovitera.

Ainda na região, ela inaugurou o famoso restaurante La Bohéme, nos anos 80, em um espaço antes aproveitado apenas pela boemia cearense. ''Na parte gastronômica, a Dona Ignêz inovou. Durante as vernissages, em sua galeria, ela servia comida regional, como castanha e paçoca; reforçando sua identidade cultural com as nossas raízes'', revelou Laprovitera.

Ignêz também foi reconhecida por lançar grandes artistas como José Guedes, Roberto Galvão e Gilberto Cardoso. ''Ela acreditou no meu trabalho. Estou muito triste. Perdi uma grande amiga e uma pessoa que foi de extrema importância para minha vida profissional. Foram muitos anos de convivência e de realizações. Fizemos muitas exposições juntos, momentos inesquecíveis. Tínhamos, inclusive, uma exposição agendada para este ano na Casa D’Alva, com artistas cujas histórias, assim como a minha, estão atreladas à história de sua importantíssima galeria. Tudo o que Ignêz fazia era bem feito. Vai fazer uma falta danada'', afirmou José Guedes.

''Artista Atemporal''

Amigo de infância de Marcílio -um dos herdeiros de Ignêz Fiúza- Totonho Laprovitera nos contou que recentemente, a galerista mantinha um grupo de estudos literários em sua residência. E que também, estava em seus planos algum projeto diferenciado nas artes plásticas. ''Talvéz, ela quisesse fazer alguma amostra com obras de quem já passou pela galeria dela''.

''D. Ignêz era uma mulher de muita fibra, elegância e de uma personalidade muito forte. Ela foi uma artista atemporal; fez da vida a sua arte maior'', ressaltou.

Sociedade cearense em luto

''Homenageamos ela na Casa Cor, em 2011. Na ocasião, ela também recebeu uma homenagem do neto Ronaldo, que redesenhou o restaurante La Bohéme, numa reabertura provisória dentro do evento de arquitetura e decoração. E, nesta última edição, em 2015, ela foi jurada do nosso Prêmio. Estamos todos de luto'', afirmou Neuma Figueiredo. 

"A presença de Ignez Fiúza sempre foi uma referência de olhar para a cultura com a sensibilidade quem amava as artes".Sua trajetória deixa um expressivo acervo de ações e empreendimentos, notadamente no campo da pintura, que deve servir de inspiração às atuais e novas gerações. "Será sempre lembrada pelo inarredável compromisso com as mais legítimas expressões da arte do nosso Estado e de Fortaleza. Um dos mais ricos quadros da nossa cultura", ressaltou o prefeito Roberto Cláudio.

'É uma notícia que entristece, porque ela realmente foi a mãe, a musa das artes plásticas cearenses. Há um diferencial, antes e depois de Ignez Fiúza. Ela possibilitou para a sociedade cearense essa maior aproximação com as artes, porque Fortaleza era uma cidade atrasada nesse aspecto. Antes, as pessoas não pensavam muito em investir em obras de arte, e ela trouxe isso. Pro artista, foi maravilhoso. A notícia me entristece, mas ela deixou uma marca e deve ser reverenciada, lembrada, homenageada. Já fico pensando que temos que ter uma rua ou uma praça com seu nome, o nome de uma mulher extraordinária que trouxe a sofisticação e a simplicidade para si e para os que a rodeavam'' contou, Mano Alencar.

''Sua atuação possibilitou que nossa população conhecesse importantes artistas locais, como Aldemir Martins e Floriano Teixeira, que penetraram na arte de Fortaleza pelas mãos de dona Ignez. Fui um dos artistas com quem ela trabalhava, e tinha uma relação muito estreita com ela e com a galeria. Sua morte foi tristeza porque até 30 dias atrás nós a encontrávamos imaginando e promovendo coisas. Apesar da idade, nunca deixou de ser uma pessoa ativa'', ressaltou Roberto Galvão.

 

 




O deputado estadual Zezinho Albuquerque comandará por mais um ano o Poder Legislativo Estadual em 2016. Apesar de previsão de chuvas abaixo da média, turbulência política nacional e instabilidade dos indicadores econômicos na esfera federal, ele não perde o otimismo. Característica que sempre o acompanhou nestes 25 anos de vida pública. O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará é um defensor da atividade parlamentar como unidade básica para o fortalecimento da democracia. 

Composição legislativa

Para Zezinho Albuquerque, deputados da situação e da oposição deverão permanecer cumprindo seus papéis em 2016. Tendo, inclusive, embates mais calorosos como os que levaram as votações até as madrugadas. Ele destaca, porém, que, quando é necessária a unificação esta ocorre.

“Aconteceu no caso do repasse de R$ 23 milhões das emendas dos parlamentares. Esse montante foi destinado para ações emergenciais de convivência com a seca. E em votações de projetos como a Lei de Promoção dos militares e o piso dos agentes de saúde. Independente das ideologias contrárias e partidos distintos, cada um dos 46 deputados, sem exceção, colaborou com essas causas”, define Zezinho.

 Papel da Assembleia

O presidente da Casa do Povo costuma afirmar em suas entrevistas que a Assembleia Legislativa vai além de sua área de atuação básica. Suas ramificações com Procon, Casa do Cidadão, cursos presenciais e à distância por meio da Universidade do Parlamento, dentre outras atividades aproximam a cada dia o Poder Legislativo da sociedade cearense.

 Ceará Sem Drogas

Neste ano de 2016, mais de 50 municípios já solicitaram a campanha criada pelo deputado Zezinho Albuquerque e que tem alcançado milhares de jovens em todo o Ceará. Considerada um dos problemas mais graves da sociedade contemporânea, a iniciação das drogas e suas más consequências são o tema central de um bate-papo entre a população e o ex-jogador de futebol, Walter Casagrande.

A iniciativa já está rendendo frutos, como a criação de comitês municipais em cada cidade por onde a campanha já visitou. A mobilização também gerou a criação de um fundo estadual de combate às drogas e de uma secretaria, por parte do governador Camilo Santana, para tratar exclusivamente do tema.

 Chuvas no sertão

Homem religioso, nascido no município de Massapê, ele viaja todos os fins de semana pelo interior para acompanhar de perto a situação da população após o quarto ano consecutivo de chuvas abaixo da média. “Tenho fé de que este ano de 2016 será bom de chuva para aliviar o sofrimento da nossa gente”, espera o presidente, contrariando as previsões. Zezinho Albuquerque destaca, contudo, obras históricas que deverão ficar concluídas como o Eixão das Águas e a Transposição das Águas do Rio São Francisco. “Isso resolveria definitivamente o problema de falta de água na maior parte do Estado”.

Atual chefe de gabinete do Governo do Estado do Ceará, Élcio Batista (42) também é mestre em sociologia pela UFC e traz em sua trajetória profissional, experiência na gestão e ensino em instituições de caráter superior: públicas e privadas.

Participação na gestão pública

No âmbito do poder público, fez parte da unidade de gerenciamento do programa do banco interamericano (BID)/ Prefeitura de Fortaleza 2007 e 2008. Já em 2011 e 2012, foi secretário-executivo da Academia Estadual de Segurança, na gestão de Cid Gomes.

Ajudou na reformulação do plano de governo na gestão de Roberto Cláudio, assumindo assim a pasta da juventude; ao mesmo tempo em que atuou na elaboração do projeto ''Fortaleza 2040''.  A experiência na gestão municipal lhe resultou no novo desafio: compor os quadros da equipe que desenvolveu o plano de governo da atual gestão estadual, que o credenciou a assumir a chefia de gabinete do governador.

Articulação entre o governo e a sociedade

No atual cargo, Élcio Batista tem como missão promover a articulação entre o governo e a sociedade, colocando em prática, a máxima defendida pelo governador Camilo Santana de ser um 'Governo de Diálogo'.

Maior proximidade entre o governo e o setor produtivo

E, esta articulação se dá em diversos setores, já tendo como resultado uma maior proximidade entre o governo e o setor produtivo cearense. De acordo com Élcio, os setores públicos e privados são interdependentes; um não existe sem o outro.

Durante entrevista concedida à Federação das Indústrias do Ceará, ele afirmou: ''A aproximação institucional da gestão Camilo Santana com a da FIEC, com o presidente Beto Studart, significa que estamos em um outro momento e esse momento precisa ser reconfigurado. E essa reconfiguração passa intrinsecamente pela aproximação entre o setor produtivo e o governo, que são capazes de interagir em prol do desenvolvimento sustentável''.

''A FIEC tem sido muito receptiva pelo seu presidente e pelos os empresários a ela ligados. É essa aproximação que o governo pretende ter com o setor produtivo e a sociedade como um todo'', conclui.

Novo modelo de Estado

Segundo Élcio, um dos objetivos da atual gestão é chegar a um novo modelo de Estado e desenvolvimento para o Ceará. ''Um estado que ainda não existe em nenhum ''canto'', mas que está se buscando'', afirma.

Assim, através do estreitamento de laços com os diversos setores, é esperado que se crie confiança, continuidade e compromisso, para que se possa chegar a um novo modelo de Estado, voltado para o desenvolvimento sustentável e a maior parceria entre o público e o privado.

Balanço do governo em 2015

No último ano, o governo assumiu o comando tendo como prioridade os 3S- Sáude, Segurança e Seca, que ocuparam grande parte das discussões. O gerenciamento destes 3S acabou passando por uma busca de mais recursos e, ao mesmo tempo, por mais eficiência na gestão.

O governo também lançou o Pacto por um Ceará Pacífico, que é um processo de divisão das responsabilidades e da pactuação de ações com setores do governo, do poder judiciário, do legislativo, da União e da sociedade civil.

''2015 foi um ano de grandes desafios e cobranças para o governo, mas foi também um ano em que o diálogo, a escuta e o estar sempre de portas abertas funcionaram muito bem, para que as pessoas pudessem compreender que o estava sendo colocado pelo governador e seus representantes, não era retórica'', conta.

O que esperar de 2016?

Durante um bate-papo com nossa equipe, Élcio afirmou que, neste ano, será ainda mais aprofundada a relação entre o Governo e a sociedade. '' É importante buscar novas formas de engajamento e participação social''.

''Além disso, será um ano fértil na relação com o setor privado. O estudo do plano de concessão estará pronto ainda no primeiro semestre'', concluiu.

Herdeiro de Ricardo e Luciana Bezerra, Artur Bezerra (21) cresceu vendo o pai se destacar no setor imobiliário, com sua Lopes Immobilis, e optou por seguir o mesmo caminho. Corretor de imóveis há dois anos, ele- que também é estudante de Direito na Unifor- abriu o jogo pra gente e revelou os bastidores do mercado imobiliário cearense.

Fortaleza: um ponto fora da curva

Mesmo com a instabilidade econômica em que se encontra o nosso País, Artur Bezerra classifica a Capital cearense como um 'ponto fora da curva'. ''Por conta das praias e dos atrativos na área de lazer, Fortaleza sempre é bem procurada e, diferente de outros estados, a cidade segue aquecida. Ela foi classificada como a terceira cidade que teve a maior valorização em seus imóveis no Brasil, segundo um levantamento feito por nós da Lopes Immobilis'', conta.

É tempo de vender estoques

''Em 2015, o mercado lançou 1.7 bi e vendeu 2.3 bi, ou seja, as vendas foram maiores que o número de lançamentos. Estamos focando em vender o estoque. As construtoras estão lançando com responsabilidade. Assim, à medida em que o estoque vai diminuindo, elas vão lançando mais. Aprendemos a vender o estoque em 2014 e 2015, neste ano, acredito que vá se manter assim'', ressaltou.

Permuta imobiliária

Como no cenário atual é tempo de vender estoques, as construtoras estão bem mais flexíveis com os clientes e oferecem algumas facilidades como a permuta imobiliária. Funciona assim: ''ao comprar um imóvel, é possível negociar como parte da transação, algum bem, seja uma casa, um terreno ou objeto de valor''.

Ticket médio

Segundo Artur, o ticket médio para a compra de um imóvel por aqui, custa R$ 500 mil e, no geral, o preço do m2 é em torno de R$ 6.200. A tendência em tamanhos de apartamentos é de 90m2.

Localização mais procurada

''A área do Meireles sempre chama muito atenção. Mas, o Cocó é um bairro que está crescendo muito e se destaca por prédios de alto padrão. Um exemplo é o Jonas Cardoso, da Simpex Incorporações'', afirma.

O empreendimento é inspirado nos prédios estilo art décor de Nova Iorque. A torre residencial conta com 36 unidades de 92m2 e diversas opções de lazer.

O que influi na compra?

''Sem dúvidas, a qualidade. Mas, também, existem outras situações, como por exemplo: quem fica na dúvida entre o Cosmopolitan e o Soho, da Dias de Sousa, certamente pode comprar qualquer um dos dois. Neste caso, quando a qualidade dos prédios é parecida e eles são próximos, o que influi na compra é a forma de pagamento''.

No geral, a venda do imóvel acontece desta forma: 30% deve ser pago até a entrega do empreendimento e os outros 70% podem ser financiados. A negociação depende muito de cada construtora.

O que vende mais?

Empreendimento de altíssimo padrão! ''Eu já vi empreendimentos deste tipo serem vendidos por completo em um dia'', contou. Na lista dos lançamentos previstos, está o projeto de um conhecido empresário cearense, que ainda não pode ser divulgado, mas será construído em frente ao Boteco Praia.

Já entre os que estão em obras, Artur citou o Condomínio Porto Fino, dentro do Aquiraz Riviera, da construtora Normatel. Segundo ele, este vai ser o empreendimento de mais alto padrão do Nordeste.

Aposta para o 1º trimestre de 2016

A venda de empreendimentos no litoral cearense é a aposta para este 1º trimestre de 2016. A prova disso, é que a Lopes Immobilis realiza a partir de hoje (15), o I Beach Fest Imobiliário. Um feirão, onde serão ofertados imóveis de segunda moradia com preços atrativos.

"Estamos apostando nestes empreendimentos, pelo fato de o real estar um pouco desvalorizado em relação à outras moedas. Neste primeiro trimestre, é época de festa e fluxo de muitos turistas; então queremos deixar este cenário atrativo para os turistas, que querem investir no Ceará'', contou.

Na lista dos imóveis que serão ofertados no evento estão: Parque das Ilhas, da Simpex Incorporações, localizado no Porto das Dunas. Ele conta com unidades de 89m2 e coberturas de 168m2. O preço é de R$ 755mil.

Além dele, tem também o Aldeias da Lagoinha, da Luciano Cavalcante Imóveis. São lotes de 385m2 a 1066m2, no preço médio de R$ 164 mil.

Também participam do I Beach Fest- que acontece no shopping Iguatemi até o dia 30 deste mês- as construtoras: Diagonal Engenharia, Colmeia, Magis Incorporações, Manhattan, Marquise, Mota Machado e Otoch Empreendimentos.