Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estática (ISAPS), Mestre em Cirurgia Plástica pela Universidade Federal do Ceará e autor do livro ”Cirurgia Plástica para Leigos”, com passagem pela Harvard Medical, pelo Saint Joseph Hospital e tendo realizado diversos cursos em Nova York, Las Vegas e Boston, onde buscou aperfeiçoamento em sua área, o cirurgião plástico Eduardo Furlani explica que hoje existem técnicas revolucionárias de tratamentos faciais, com resultados mais naturais, bem menos agressivos e com recuperação mais tranquila. 

Um destes procedimentos é a lipoenxertia facial. A técnica utiliza gordura retirada do próprio corpo do paciente, para preencher depressões do rosto. Com o enxerto da gordura transporta-se à região células tronco que darão origem a novas células, rejuvenescendo a pele de forma bastante natural. 

Em entrevista ao Balada In, Dr. Eduardo Furlani conversou com a gente sobre o procedimento. Ele explicou que quando o paciente chega ao seu consultório é feito um mapeamento facial com volumetria da pele, para que possa ser feito um diagnóstico preciso sobre o problema. “Com o mapeamento é possível tirar a cor e a textura da pele, para ver apenas o relevo, onde precisa ser realizado o enxerto,” explica o médico. 

O procedimento é feito da seguinte forma: geralmente, extrai-se gordura da região abdominal da paciente por meio de uma cânula fina. Uma vez retirada, centrifuga-se para separar o sangue e outros líquidos das células de gordura, para somente depois injetar a gordura na região escolhida para o preenchimento facial. 

O cirurgião plástico nos explica que a lipoenxertia é um procedimento rápido e que normalmente é feita no consultório mesmo. Mas, se o volume de gordura a ser injetado for muito grande, a recomendação é que o procedimento seja feito em um hospital. 

“Nós envelhecemos porque murchamos. Então, até certo ponto a adição de gordura consegue corrigir essa flacidez. Na lipoenxertia você não sabe exatamente o que aconteceu, mas dá para perceber que a pessoa está mais jovem. Essa é a ideia do procedimento, até porque as pessoas nos veem no todo,” esclarece Eduardo Furalani. 

O cirurgião plástico explica que, além de reverter o efeito do envelhecimento, que na maioria das pessoas começa aos 30 anos, a lipoenxertia facial serve também para modelar e marcar algumas estruturas do rosto, inclusive em pacientes bastante jovens. “Existem pessoas que nunca tiveram uma mandíbula ou região malar muito bem delineadas, uma maçã do rosto bem contornada. Isso pode mudar através da lipoenxertia facial, mesmo em pessoas com idade bem menor”, acrescenta ele. 

Tendência mundial, a técnica é bastante segura e não tem efeitos colaterais, pois é feita com a gordura do corpo do próprio paciente. Porém, deve-se levar em consideração que, como é adicionado gordura em determinado local, se o paciente engorda, a gordura aumenta e se ele emagrece, a gordura diminui. Ou seja, apesar de permanente, os resultados do procedimento podem variar de acordo com as oscilações do peso. 

Atendendo aos convites dos organizadores da 32ª Jornada Norte/Nordeste de Cirurgia Plástica, que acontece de 14 a 16 de setembro em Maceió e do 54º Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica, que acontece de 15 a 18 de novembro em Florianópolis, Eduardo Furlani falará, como palestrante convidado, sobre a lipoenxertia. 

A Clínica Eduardo Furlani fica na rua Barbosa de Freitas, 1990 – Aldeota.  Tel: (85) 3055-0505.

Mais informações: www.eduardofurlani.com.br

Eduardo Furlani

Foto: Balada In